Blog Católico, para os Católicos

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Rezemos pela Igreja na China. Novas sagrações episcopais ilícitas e Bispo Católico preso.


Monumento de Nossa Senhora de Sheshan - Catedral de Sheshan, Xangai, China.
Monumento de Nossa Senhora de Sheshan – 
Catedral de Sheshan, Xangai, China. Foto: Reuters.

Dom Thaddeus Ma Daqin, que publicamente abandonou a “igreja estatal” e foi sagrado bispo com a aprovação do Papa, foi preso por oficiais no último fim de semana e está sendo mantido em seu seminário. Por sua vez, a Santa Sé confirmou hoje a excomunhão de novos bispos sagrados ilicitamente.

China: 
Vaticano confirma excomunhão 
de bispo ordenado sem mandato do Papa

Cidade do Vaticano, 10 jul 2012 (Ecclesia) – A Santa Sé anunciou hoje que o padre Yue Fusheng incorreu numa pena de excomunhão automática (latae sentetiae) após ter sido ordenado bispo, na sexta-feira, sem autorização do Papa.

“O reverendo Joseph Yue Fusheng, ordenado sem mandato pontifício e, portanto, ilicitamente, incorreu automaticamente nas sanções previstas pelo cânone 1382 do Código de Direito Canónico”, refere um comunicado divulgado pela sala de imprensa do Vaticano.

A nota oficial acrescenta que a Santa Sé não reconhece o sacerdote como bispo da administração apostólica de Harbin, no nordeste do país, e que Yue Fusheng, de 48 anos, tinha sido chamado a não aceitar a “ordenação episcopal”.

A cerimônia foi promovida pela Associação Patriótica Católica (APC), subordinada a Pequim.
O Vaticano diz que os bispos que participaram na celebração têm de se justificar para evitar as “sanções previstas pela lei da Igreja”, entre as quais a excomunhão, para estes casos.

A Santa Sé pede também que as autoridades da China evitem “ações contrárias” ao diálogo bilateral e cesse as “celebrações ilegítimas e ordenações episcopais sem mandato pontifício”.

A declaração oficial considera como “motivo de apreço e alento” a “ordenação episcopal legítima” de D. Thaddeus Ma Daqin como bispo auxiliar da Diocese de Shangai, no sábado, mas lamenta a presença de um bispo “que não está em comunhão” com o Papa, gesto tido como “inoportuno”.

O novo bispo está em prisão domiciliária no seminário de Seshan, noticiou hoje a agência católica AsiaNews, após ter apresentado a sua demissão da APC.

A APC foi criada em 1957 para evitar interferências estrangeiras, em especial da Santa Sé, e para assegurar que os católicos viviam em conformidade com as políticas do Estado – o que inclui o controle de Pequim sobre a nomeação de bispos, pretensão não reconhecida pelo Vaticano.


 

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...