Blog Católico, para os Católicos

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quinta-feira, 15 de março de 2012

6º Dia




Porém São José faz mais que abrigar e proteger a Jesus e a Maria. Sua Paternidade é ativa. E Deus a quer eficaz. Deve reger os que protege, deve sustentar os que rege. Aquela Obra Divina da Providência, que consiste no governo deste mundo, e dos mundos quase que sem número espalhados na imensidade do espaço, obra cuja contemplação arrebata nosso espírito em profundíssima admiração; esta obra é sem comparação menos admirável que o governo, o regime do Salvador e de Sua Mãe Santíssima. Por certo a luz das perfeições Divinas resplandece divinamente no governo do mundo visível, mas este resplendor comparado com o que fulguram as mesmas perfeições no governo do Verbo Encarnado e da Virgem que O gerou, é uma aurora, uma fraca e pálida aurora. Ora, São José entra de jure (de fato), como Príncipe, como Chefe, como Pai no governo humano da vida de Jesus e de Maria. Pelo que é o Sacramento consciente, vivo, ativo daquela sabedoria, daquele poder, daquela bondade que chamamos Providência, e em sua ação a mais sublime, a mais divina que é o governo, a direção, o regime do Filho de Deus feito homem, e da quase divina criatura que O gerou. E esta prerrogativa lhe confere uma excelência incompreensível, O reveste de uma glória que deixa muito atrás a glória e claridade, não só dos Santos, mas dos mais altos Serafins.

O grau mais alto, o cume da Paternidade na Igreja, é o Papado, a Suprema Autoridade Pontifícia. Mas, os Sumos Pontífices, e digo os mais grandes e os mais santos, nunca foram chamados, e nunca foram senão Vigários de Cristo. Entre todas as criaturas, só São José foi Vigário de Deus Pai. Pois, de Deus Pai faz as vezes para com o Filho Humanado.

V. Rogai por nós, São José, Esposo da Mãe de Deus;
R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

Oração

Oremos: Ó Deus, que por uma inefável Providência Vos dignastes escolher o Bem-aventurado São José para Esposo de Vossa Mãe Santíssima, concedei-nos que aquele mesmo que na Terra veneramos como Protetor e Pai, mereçamos tê-lo no Céu por nosso Intercessor. Nós suplicamos a Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

Oremos: Que os méritos, Senhor, do Esposo de Vossa Mãe Santíssima nos sirvam de arrimo, a fim de que a sua intercessão nos obtenha o que não pode o nosso próprio esforço. Nós suplicamos a Vós, que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. Amém!

    Oremos: Glorioso São José, que fostes exaltado pelo Eterno Pai, obedecido pelo Verbo Encarnado, favorecido pelo Espírito Santo e amado pela Virgem Maria: Louvo e bendigo à Santíssima Trindade pelos privilégios e méritos com que vos enriqueceu. Sois poderosíssimo e jamais se ouviu dizer, que alguém tenha recorrido a Vós e fosse por Vós desamparado. Sois o Consolador dos aflitos, o Amparo dos míseros e o Advogado dos pecadores. Acolhei, pois, com bondade paternal a quem Vos invoca com filial confiança e alcançai-me as graças que Vos peço nesta Novena... Eu Vos escolho por meu especial Protetor e Pai. Sede, depois de Jesus e Maria, a minha consolação nesta terra, o meu refúgio nas desgraças, o meu guia nas incertezas, o meu conforto nas tribulações; o meu Pai solícito em todas as necessidades. Obtende-me, finalmente, como coroa dos Vossos favores, uma boa e santa morte na graça de Nosso Senhor. Assim seja!
 
 

5º Dia




Considerado na luz destas duas prerrogativas, nada se pode imaginar mais augusto, mais grave, mais igual, mais tranquilo, mais suave que São José. É uma sombra, ou antes, um reflexo do Pai Eterno, de quem faz as vezes para com o Verbo Eterno humanado. A Santíssima Trindade fiou dele, entregou-lhe não só o que há de mais precioso neste mundo, mas o que vale mais que todos os mundos possíveis: a pureza e virgindade de Maria Santíssima, e a Seu Divino Filho Jesus, a Pessoa do Verbo Divino humanado.

José é esposo de Maria, e é o Pai putativo, o Pai legal, o Pai por adoção e por amor, o Pai criador e alimenteiro de Jesus. Jesus e Maria vivem à sombra da alma e do coração de São José, isto é, de seus cuidados. A vida de São José é o quadro, a órbita em que se movem Jesus e Maria. É o firmamento em que brilharão. Ele não brilhará, mas fará que brilhem estes dois Astros. Há uma semelhança, uma analogia maravilhosa entre a vida e a alma de São José, e o Seio do Pai Eterno.

Aquele Seio do Pai Eterno, é o lugar Divino e Incriado, em que nasce e se desenvolve e se consuma o Mistério de Jesus e de Maria, e a alma e a vida São José são, o lugar criado em que este mesmo Mistério está colocado, e permanece, e vai crescendo para a Redenção do Gênero Humano.

Quem poderá dizer, nem imaginar a grandeza, a formosura, a santidade de uma vida apropriada pelo mesmo Deus, para semelhante Mistério? Doura-se com muito cuidado o interior destes vasos sagrados destinados a conter, só por alguns momentos, o precioso sangue da Vítima Eucarística, oh! como deverá o Espírito Santo ter revestido de pureza, de justiça, de caridade principalmente; como deve ter transformado em amor, em religião, em humildade e dedicação sem limites, não só o interior de São José, mas todo seu ser, destinado e consagrado para servir de Aio, de abrigo, de garantia à inefável Vida de Jesus e de Maria Santíssima.

Sim, aquela paternidade de São José para com Jesus, é o espelho da Paternidade Eterna, e um reflexo de sua Autoridade, de sua Serenidade, de sua Imensidade, de sua Divina Suavidade.

V. Rogai por nós, São José, Esposo da Mãe de Deus;
R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

Oração

Oremos: Ó Deus, que por uma inefável Providência Vos dignastes escolher o Bem-aventurado São José para Esposo de Vossa Mãe Santíssima, concedei-nos que aquele mesmo que na Terra veneramos como Protetor e Pai, mereçamos tê-lo no Céu por nosso Intercessor. Nós suplicamos a Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém!

Oremos: Que os méritos, Senhor, do Esposo de Vossa Mãe Santíssima nos sirvam de arrimo, a fim de que a sua intercessão nos obtenha o que não pode o nosso próprio esforço. Nós suplicamos a Vós, que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. Amém!

    Oremos: Glorioso São José, que fostes exaltado pelo Eterno Pai, obedecido pelo Verbo Encarnado, favorecido pelo Espírito Santo e amado pela Virgem Maria: Louvo e bendigo à Santíssima Trindade pelos privilégios e méritos com que vos enriqueceu. Sois poderosíssimo e jamais se ouviu dizer, que alguém tenha recorrido a Vós e fosse por Vós desamparado. Sois o Consolador dos aflitos, o Amparo dos míseros e o Advogado dos pecadores. Acolhei, pois, com bondade paternal a quem Vos invoca com filial confiança e alcançai-me as graças que Vos peço nesta Novena... Eu Vos escolho por meu especial Protetor e Pai. Sede, depois de Jesus e Maria, a minha consolação nesta terra, o meu refúgio nas desgraças, o meu guia nas incertezas, o meu conforto nas tribulações; o meu Pai solícito em todas as necessidades. Obtende-me, finalmente, como coroa dos Vossos favores, uma boa e santa morte na graça de Nosso Senhor. Assim seja!
 
 

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...