Blog Católico, para os Católicos

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

sábado, 19 de maio de 2012

O Verdadeiro Cristão


Presidente Gabriel Garcia Moreno

Por que se diz dos “verdadeiros cristão”? Não são todos verdadeiros cristãos aqueles que receberam o Batismo? Não; assim como nem todos os cidadãos são verdadeiros cidadãos (e não o são os traidores, os que renegam a pátria ou se revoltam contra ela), assim também nem todos os batizados são verdadeiros cristãos, mas somente os que, sendo batizados:

Princesa Isabel

1) Professam a Fé e Doutrina de Jesus Cristo: Professar a Fé e Doutrina de Jesus Cristo, quer dizer:

a) Crer em geral todas as Verdades, que Jesus Cristo nos ensina por meio da Igreja, e em particular as que se devem crer com Ato de Fé explícita;

b) Não negar, nem fingir negar nenhuma Verdade de Fé;

c) Confessar explicitamente a Fé, ainda mesmo à custa da vida, quando for necessário, por exemplo, quando para fim religioso se é interrogado pela autoridade pública sobre a Fé; quando o silêncio fosse ocasião de escândalo ou significasse negação, desprezo ou vergonha da Fé.

Beato José Sanchez del Rio, Mártir.

Milhares de cristãos sacrificaram generosamente a vida no meio de indizíveis sofrimentos, para não negarem a Fé, fiéis ao dever de confessá-la explicitamente.

d) Finalmente, deve-se professar a Doutrina de Jesus Cristo, isto é, viver em conformidade com os ditames da Fé, praticando as suas obras (por exemplo: não basta encontrando no caminho o Santíssimo Sacramento, crer que Jesus Cristo está presente na Eucaristia, é necessário também confessar, professar esta Fé, saudando, isto é, adorando Jesus Cristo; não basta crer que Deus existe, que há Paraíso e Inferno, é necessário também respeitar e obedecer a Deus, e viver de modo que se mereça o Paraíso e se evite o Inferno) e observando os Mandamentos de Deus e da Igreja. Os hereges, que negam tudo ou parte do que Jesus Cristo ensinou, já não pertencem à Igreja, embora tenham sido batizados. Um cristão que renega a Fé de Jesus Cristo, deixa de pertencer à Igreja.


2) Participam dos seus Sacramentos, isto é, dos Sacramentos que Jesus Cristo instituiu para santificar as nossas almas. Por conseguinte, os que dizem professar a Fé de Jesus Cristo, e depois negam um ou outro dos Sacramentos, não pertencem também à Igreja; apartaram-se dEla. Em suma, embora por palavras digam confessar a Fé de Jesus Cristo, renegam-na de fato, negando ainda que seja um só Sacramento por Ele instituído.

São Pio de Pietrelcina com D. Marcel Lefebvre

3) Obedecem aos Pastores constituídos por Ele. Toda a sociedade tem os seus superiores e um chefe supremo. Jesus Cristo instituiu a Igreja e estabeleceu nEla os Pastores, cujo Chefe é o Sumo Pontífice. Este representa Jesus Cristo na terra, faz as suas vezes, e por isso, rege e governa a Igreja em nome dEle. O verdadeiro Chefe da Igreja é Jesus Cristo, mas Ele só no Céu é que está visivelmente; na terra, na Eucaristia, encontra-se de modo invisível. Nem do Céu, nem da Eucaristia Ele ensina, rege ou governa a Igreja; rege-A e governa-A por meio do Papa, que constituiu seu Vigário, seu representante na terra.

Os outros Pastores instituídos por Jesus Cristo são os Bispos, que em comunhão com o Papa, regem e governam a Diocese que lhes foi designada. Os que não obedecem ao Papa e ao respectivo Bispo não são verdadeiros cristãos. (Teólogo Giuseppe Perardi, “Novo Manual do Catequista”, 1958)

Diz Sertillanges: “É de Fé que todos os Justos recebem as graças necessárias para a sua perseverança no bem; todos os pecadores, as graças necessárias para a sua conversão e salvação; todos os pagãos, as graças que os conduzirão, se quiserem, quer à Fé explícita, quer às disposições morais e sobrenaturais supletivas da Fé (explícita)” (Catechisme des Incrovants, I, p. 286).

Porém, sempre é exigida a nossa cooperação: Quem nos criou sem nós, não nos salvará sem nós” (Santo Agostinho).

O SEGREDO DE FÁTIMA




Caríssimos,

    Envio-lhes o meu artigo semanal, que espero lhes interessar. Com meu abraço e bênção cordial.

    + Dom Fernando Arêas Rifan



                                                          Dom Fernando Arêas Rifan*

Domingo passado, com o dia das mães, celebramos o 95o aniversário da primeira de uma série de aparições de Nossa Senhora a três pobres crianças, pastores de ovelhas, em Fátima, pequena cidade de Portugal, de onde a devoção se espalhou e chegou ao Brasil. E são sempre atuais e dignas de recordação as suas palavras e seu ensinamento.

O segredo da importância e da difusão de sua mensagem está exatamente na sua abrangência de praticamente todos os problemas atuais. E aquelas três pobres crianças foram os portadores do “recado” da Mãe de Deus para o Papa, os governantes, os cristãos e não cristãos do mundo inteiro.

Ali, Nossa Senhora nos alerta contra o perigo do materialismo comunista e seu esquecimento dos bens espirituais e eternos, erro que, conforme sua predição, vai cada vez mais se espalhando na sociedade moderna, vivendo os homens como se Deus não existisse: o ateísmo prático, o secularismo.

A Rússia vai espalhar os seus erros pelo mundo”, advertiu Nossa Senhora. A Rússia tinha acabado de adotar o comunismo, aplicação prática da doutrina marxista, ateia e materialista. Se o comunismo, como sistema econômico, fracassou, suas ideias continuam vivas e penetrando na sociedade atual. Aliás, os outros sistemas econômicos, se também adotam o materialismo e colocam o lucro acima da moral e da pessoa humana, adotam os erros do comunismo e acabam se encontrando na exclusão de Deus. Sobre isso, no discurso inaugural do CELAM, em 13 de maio de 2007, em Aparecida, o Papa Bento XVI alertou: “Aqui está precisamente o grande erro das tendências dominantes do último século... Quem exclui Deus de seu horizonte, falsifica o conceito da realidade e só pode terminar em caminhos equivocados e com receitas destrutivas”. Fátima é, sobretudo, a lembrança de Deus e das coisas sobrenaturais aos homens de hoje.

Aos pastorinhos e a nós, Nossa Senhora pediu a oração, sobretudo a reza do Terço do Rosário todos os dias, e a penitência, a mortificação nas coisas agradáveis e lícitas, pela conversão dos pecadores e pela nossa santificação e perseverança.

Explicou que o pecado, além de ofender muito a Deus, causa muitos males aos homens, sendo a guerra uma das consequências do pecado. Lembrança muito válida, sobretudo hoje, quando os homens perderam o senso do pecado e o antidecálogo rege a vida moderna.

Falou sobre o Inferno - cuja visão aterrorizou sadiamente os pastorinhos e os encheu de zelo pela conversão dos pecadores –, sobre o Purgatório, sobre o Céu, sobre a crise que sofreria a Igreja, com perseguições e martírios.

Enfim, Fátima é o resumo, a recapitulação e a recordação do Evangelho para os tempos modernos. O Rosário, tão recomendado por Nossa Senhora, é a “Bíblia dos pobres” (João XXIII). Assim, sua mensagem é sempre atual. É a mãe que vem lembrar aos filhos o caminho do Céu.


                                                                       *Bispo da Administração Apostólica Pessoal
                                                                         São João Maria Vianney


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...