Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Novena em Honra da Sagrada Família (7º Dia)



Sétimo Dia

Ato preparatório, como nos dias antecedentes.

MEDITAÇÃO
A Sagrada Família Modelo de Trabalho

Considera, cristão, esse espetáculo admirável e divino, que aos olhos da nossa Fé oferece o interior da casa de Nazaré. Vê como este pobre artista, São José, trabalha todo o dia, para socorrer às necessidades mais urgentes da sua Família. Observa como a Santíssima Virgem Maria, cuja dignidade e perfeições só Deus pode avaliar, se dedica aos árduos cuidados de sua casa: olha para o Menino Jesus, em quem se acham reunidos todos os tesouros da ciência e sabedoria de Deus, como Ele se consagra, primeiramente a ajudar a Sua Mãe Santíssima nos trabalhos mais humildes; e depois, conforme o permitiam-Lhe a sua idade e forças, como Ele auxilia seu pai putativo nos labores da sua arte. Considera que, talvez, ou certissimamente, não haja espetáculo tão digno de tua atenção, como este: pois que, uma das obrigações, mais caída em desuso entre a gente abastada, é o trabalho. Adão em castigo de sua queda, foi condenado a comer o pão amassado com o suor de seu rosto: e a par da herança do Pecado Original transmitiu-nos a do castigo dele. Por isso, é que, com quanto nem todos tenham necessidade de trabalhar para viver, todos têm, contudo, de sujeitar-se ao trabalho, como castigo, imposto ao homem prevaricador. Quer Deus que todos trabalhemos; e, se quisermos ser do número dos escolhidos, devemos imitar a Jesus, Maria e José, que todos pelo trabalho se santificaram. – Devemos pois trabalhar, e, se quisermos que o trabalho sirva para nossa santificação, havemos de trabalhar como a Sagrada Família, isto é, há de o nosso trabalho ser honesto e feito com pureza de intenção, e, sobretudo, acompanhado da oração. Penetremos nos Corações de Jesus, Maria e José, e veremos, como no seu interior a oração acompanhava de contínuo o seu trabalho manual. Se se sentem cansados, bendizem a justiça de Deus, condenando o homem a regar a terra com o suor da sua fronte. Quando lhes encomendam alguma obra, bendizem a bondade de Deus, que assim lhes proporciona os meios de subsistência, e executam-na pronta e docilmente. São, sem dúvida alguma, talvez mal remunerados os seus trabalhos; pagam-lhes com ingratidões, e desdéns; mas eles tudo sofrem silenciosamente, para assim desagravarem a majestade de Deus, ofendida pelo pecado. Desta forma deves tu também entregar-te aos trabalhos e obrigações do teu estado. Imita os Anjos da Guarda, que sem se descuidarem de velar por nós, não deixam nem um instante de fixar seus olhos no Senhor; e assim, enquanto te ocupares nas coisas da terra, traze os teus olhos sempre fixos em Deus. Se assim não fizeres, o trabalho dissipará o teu espírito, e pouco a pouco te retrairá da oração e te afastará do caminho da virtude e da eterna vida.

Meditação… Súplicas… Gozos…
(como nos outros dias)

Oração Jaculatória: Bendita seja a Santa e Imaculada Conceição da Virgem Maria, Mãe de Deus. (Indulgenciada)

Obséquio: Para honrar a Sagrada Família, trabalharei, hoje especialmente, sem perder tempo, e acompanharei o meu trabalho com a oração.

ORAÇÃO

Ó adorável Menino que, por amor, quisestes sujeitar-Vos a trabalhar e suar numa pobre oficina, como o último dos artistas, fazei que eu trabalhe pelo Vosso Santo Amor, com assiduidade, paciência, espírito de oração, e reta intenção. Virgem Santíssima, que tiveste a dita de manter, com assíduos cuidados, a vida de Jesus, alcançai-nos, nós vo-lO pedimos, a graça de empregar bem a nossa vida no trabalho e na oração. Quão consolador, ó Chefe Augusto da Sagrada Família, São José, quão consolador e edificante é o espetáculo, que me oferece a Vossa pobre e humilde morada de Nazaré, mais formosa a meus olhos, do que os palácios dos reis. Lá reina a oração e o silêncio, a santificar o trabalho, tornando-a um verdadeiro Santuário de virtude e de paz. Quero ter-Vos por Modelo, ó amável Santo, e como Vós, trabalhar por amor do meu Deus, em união com Jesus e Maria.

EXEMPLO

Lê-se na vida da Venerável irmã Josefa Maria de Santa Inêz, que havia em Beniganim (Arcebispado de Valência), uma donzela mui devota da Sagrada Família de Nazaré, e cheia de caridade para com as Almas do Purgatório. Resolvera deixar o mundo e consagrar a sua vida ao Senhor. Neste intuito, fez a vestição do Hábito num Convento de religiosas descalças, de Santo Agostinho. Viu irmã Inêz, que Jesus Cristo, Senhor Nosso assistia a esta Cerimônia, acompanhado de Maria Santíssima, do Glorioso Patriarca São José, de Santa Teresa de Jesus, e de muitos outros Santos da corte celestial, prodigalizando à Noviça, abundantes e especialíssimos favores. Destes favores, diz a Venerável, participaram também as Almas do Purgatório, cujas penas sensíveis ficaram suspensas por todo aquele dia; muitas saíram daquele lugar e vieram até a sala, onde estava reunida a Comunidade, e ali permaneceram até ao fim do ato e depois subiram ao Céu, associando-se à celestial comitiva. Causou este acontecimento extraordinário gozo inexplicável ao coração da Serva de Deus, que ficou, como fora de si, dando graça ao Senhor por tão inefáveis benefícios.

JACULATÓRIAS

Amado Jesus, Maria e José, o meu coração Vos dou e a minha alma.

Amado Jesus, Maria e José, assisti-me na última agonia.

Amado Jesus, Maria e José, expire em paz entre Vós a minha alma.


Novena em Honra da Sagrada Família (6º Dia)



Sexto Dia

Atos preparatórios como no primeiro dia

MEDITAÇÃO

A Sagrada Família,
Modelo de Paz e Concórdia.

Consideremos o amor de São José, para com sua Santíssima Esposa. Era Ela a mais formosa entre todas as mulheres, a mais humilde, a mais obediente, a mais pura das almas, e a que Deus mais amou, acima de todos os homens e de todos os Anjos. Merecia, pois, que São José, que tanto amava a virtude, lhe dedicasse um amor extremo, superior a toda apreciação. A todos estes atrativos, juntemos ainda o do afeto, com que se via amado de Maria, que certíssimamente queria a seu Esposo mais do que a todas as outras criaturas. Por outro lado, considerava-A como a Amada do Senhor e a escolhida dentre todas, para ser a Mãe do Seu Unigênito Filho. Fácil será de conceber qual seria, por todos estes motivos, o afeto do coração justo, generoso e agradecido de São José para com sua castíssima Esposa. Consideremos, além disso, o amor de José e de Maria ao seu Jesus. Havendo-os Deus escolhido para servirem de Pais ao Seu Unigênito, lhes havia adornado os Corações com o amor paternal o mais acrisolado, qual convinha tivessem a semelhante Filho, tão amável e que era o próprio Deus. Não foi, pois, simplesmente natural o amor de José e de Maria, como os dos outros pais; mas foi sobrenatural, por isso, que viam numa só Pessoa reunidos o seu próprio Filho e o de Deus. Sabiam ser este Menino, que sempre os acompanhava, o próprio Verbo divino, incarnado por amor dos homens e particularmente por amor seu: que este adorável Infante por Si mesmo os havia a eles escolhido, dentre todos os homens, para serem seus Pais e Protetores de Sua vida terrena. Avaliemos, pois, se é possível, como todas estas considerações haviam de abrasar em incêndios de amor os Corações de José e de Maria, ao verem o seu divino Mestre, servindo como operário, abrindo ou fechando a oficina, serrando madeira, manejando a plaina ou o machado, juntando os cavacos e fragmentos, varrendo a casa, e obedecendo-lhes, numa palavra, em tudo quanto Lhe mandavam, e dependendo de sua autoridade em tudo quanto fazia.

De que terníssimos afetos não se inundariam os Corações de José e de Maria, quando tinham ao colo este amabilíssimo Menino, quando lhe prodigalizavam as suas carícias, ou dEle as recebiam! Quando ouviam sair de Seus lábios essas palavras de vida eterna, que eram outras tantas setas ardentes de amor divino, que lhes atravessavam e incendiavam as almas: e sobretudo, quando contemplavam os sublimes exemplos de virtude, que lhes dava o Seu divino Companheiro! Entre as pessoas que se amam acontece muitas vezes, que o amor se vai entibiando, à medida que se frequentam, porque, quanto mais se tratam e comunicam, melhor manifestam umas às outras os próprios defeitos. Não era, porém, assim com José e Maria; quanto mais tratavam com Jesus melhor lhe conheciam a santidade e as perfeições: e daqui se pode avaliar o grau de amor de Jesus, a que deviam ter chegado, gozando por tantos anos de Sua Companhia e familiaridade.

O adorável Menino correspondia, por seu turno, com um amor divino àqueles que tanto O amavam. Oh! Que admirável paz, que encendrada e mútua caridade reinava entre os membros da Sagrada Família de Nazaré.

Meditação… Súplica… e Gozos…
(como nos outros dias)

Oração Jaculatória: Doce Coração de Jesus, sede a minha salvação. (indulgenciada)

Obséquio: Por amor da Sagrada Família não direi hoje de ninguém coisa, que na sua presença não pudesse dizer, procurando observar sempre esta regra para o futuro, em meu procedimento com o próximo.

ORAÇÃO

Amado Jesus meu, que para expiar as minhas desobediências, quisestes humilhar-Vos até Vos sujeitardes a obedecer a um homem, concedei-me, pelos merecimentos desta obediência e submissão, prestada a São José, a graça de sempre ser no futuro obediente e sujeito a Vossa santíssima vontade: e pelo amor que lhe tivestes, e pelo que ele Vos consagrou, abrasai a minha alma num ardente amor para convosco, ó Bondade infinita, sumamente digna dos afetos de todos os corações. Esquecei, Senhor, todas as iniquidades, que contra Vós tenho praticado e usai de misericórdia comigo. Amo-Vos, ó meu Jesus, meu amor e meu Deus, e quero amar-Vos sempre, por toda a eternidade. E Vós, ó gloriosíssima Virgem Maria, pelo amor de São José para convosco, tomai-me debaixo da Vossa proteção, e suplicai ao Vosso santíssimo Esposo, que me aceite por seu servo.

Suplico-Vos também, ó glorioso São José, por esse paternal coração, de que Deus vos dotou para com Seu Filho, e pelo Coração deste Filho para convosco, que vos interesseis especialmente na santificação da minha alma. Fazei-me humilde, dai-me espírito de oração, e enchei o meu coração do amor mais generoso para com Jesus e Maria, para que, imitando as vossas virtudes, cá na terra, possa chegar um dia a possuir, a felicidade dos Bem-aventurados lá no Céu.

EXEMPLO

A Venerável sóror Margarida, religiosa carmelita, alimentava uma devoção tão viva, terna e constante, para com a Sagrada Família, que por sua intercessão obteve de Deus a graça de ser purificada de toda a mancha de pecado. Em ação de graças, por tão insigne favor, fez a Venerável, quanto pôde para inspirar a todos aqueles, sobre quem exercia alguma influência, a mesma confiança e devoção terna. Não se deixou, porém, a Sagrada Família vencer em generosidade, e a serva de Deus teve a dita de ser visitada por São José, acompanhado de Jesus e de Maria, nos últimos momentos da sua vida, em recompensa do seu zelo. A sua morte foi a mais doce e consoladora que se pode imaginar. Referem os seus biógrafos que, havendo-se-lhe extraído, depois da morte, o coração, se lhe encontraram gravados os Santíssimos nomes de Jesus, Maria e José.

JACULATÓRIAS

Amado Jesus, Maria e José, o meu coração Vos dou e a minha alma.

Amado Jesus, Maria e José, assisti-me na última agonia.

Amado Jesus, Maria e José, expire em paz entre Vós a minha alma.

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...