Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Santa Maria Madalena



Contemplemos esta ilustre penitente, a regar com lágrimas os pés do Salvador e a enxugá-los com os cabelos! É Madalena, outrora escrava do amor profano, e agora esposa de Jesus. Acompanha-O ao Calvário, vai ao túmulo, para lhe embalsamar o Corpo; prostra-se aos pés do Salvador ressuscitado; e, depois da Sua gloriosa Ascensão, retira-se para a solidão, para aí chorar, até à morte, pecados, que sabia terem-lhe sido perdoados. Se a imitamos nos desvarios, imitemo-la na penitência. Amemos muito, para muito nos ser perdoado.

Meditação sobre as Lágrimas
de Santa Maria Madalena.


1. As primeiras lágrimas de Madalena foram lágrimas de contrição. Oprimida pela dor de ter ofendido a Deus, procura Nosso Senhor, encontra-O em casa do fariseu, e aí mesmo faz confissão pública das suas culpas. A partir desse momento, renuncia aos prazeres criminosos e muda de vida. Venturosas lágrimas, que apagastes os pecados de Madalena! Olhos meus, quando chorareis as desordens da juventude? Para que deferir a conversão? Mundo, prazeres, honras, deixo-vos para sempre; deixai-me no futuro chorar os meus pecados, deixai-me, pois, um instante para poder suspirar! – (Jó).

2. Madalena derramou lágrimas de compaixão, quando viu Jesus nas mãos dos algozes. Acompanhou-O até ao Calvário, permaneceu ao pé da Cruz e misturou o seu pranto com o Sangue adorável de Jesus. Todos os dias vemos o Salvador divino pregado na Cruz, todos os dias meditamos na Paixão; porque ficará o nosso coração insensível a tantos sofrimentos? Porque não derramam os nossos olhos, copioso pranto? Ah! É porque não temos por Jesus o mesmo amor que Madalena. A fé desta mulher foi grande, o seu amor ardente, o arrependimento sincero. – (São Lourenço Justiniano).

3. O desejo de ver a Jesus, depois da Ressurreição, fê-la derramar lágrimas sobre o túmulo do divino Mestre. O desejo de O contemplar no Céu fê-la suspirar e gemer na gruta para onde se retirou. Chora de dia e de noite, porque o seu exílio é dilatado, e porque não pode unir-se ao seu Bem-amado. Choramos por bagatelas; quem chora por ter perdido Jesus? Quem chora por estar longe Dele?

PenitênciaOrar pela conversão dos pecadores.


Oração: Ó Deus, que, a pedido da Bem-aventurada Maria Madalena, ressuscitastes Lázaro, seu irmão, há quatro dias morto; fazei-nos sentir os efeitos da sua piedosa intercessão, Vós que sendo Deus, viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Assim seja.


________________________

Fonte: Rev. Pe. João Estevam Grossez, S. J., “Vida dos Santos – com uma Meditação para cada dia do ano”, 2ª Parte, 22 de Julho, pp. 49-50. União Gráfica, Lisboa, 1928.


Nenhum comentário:

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...