Blog Católico, para os Católicos

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

sábado, 27 de outubro de 2012

Advertências aos Católicos que irão votar nos Partidos abortistas, como o PT, por exemplo.




Decreto da Suprema Sagrada 
Congregação do Santo Ofício

A Suprema Sagrada Congregação do Santo Ofício, por Mandato e com a Autoridade do Sumo Pontífice Pio XII, promulgou um Decreto no dia 1 de Junho de 1949, no qual proscreve categoricamente o Comunismo e toda colaboração com ele:

1 – É lícito aos católicos dar seu nome e prestar sua ajuda aos Partidos Comunistas?

R= Não é lícito, o Comunismo é materialista e anticristão; com efeito, os Chefes Comunistas, inclusive quando dizem por palavras que não combatem a Religião, na realidade, contudo, tanto na doutrina como pela ação, mostram-se inimigos de Deus, da verdadeira Religião e da Igreja de Cristo.

2 – É lícito editar, difundir ou ler livros, revistas, jornais e folhetos que defendem a doutrina ou atividades comunistas, ou neles escrever?

R= Não é lícito; está proibido ipso jure (Cân. 1399 do CIC).

3 – Os fiéis que, consciente e livremente, tenham incorrido nos atos de que tratam os números 1 e 2, podem ser admitidos aos Sacramentos?

R= Não podem ser admitidos, em conformidade com o princípio geral de que se deve negar os Sacramentos àqueles que não estão nas devidas disposições para recebê-los.

4 – Os fiéis que professam a doutrina materialista e anticristã dos comunistas e principalmente aqueles que a defendem e divulgam, incorrem, ipso facto, na excomunhão reservada de modo especial à Sé Apostólica, como apóstatas da Fé Católica?

R= Sim, incorrem.

Fonte: Acta Apostolicae Sedis (AAS), Vol. XLI, pág. 334.

Injustiça do Sistema Socialista

“Substituindo a providência paterna pela providência do Estado, os “Socialistas” vão contra a justiça natural e quebram os laços da família.

Mas, além da injustiça do seu Sistema, vêem-se bem todas as suas funestas consequências, a perturbação em todas as classes da Sociedade, uma odiosa e insuportável servidão para todos os cidadãos, porta aberta à todas as invejas, a todos os descontentamentos, à todas as discórdias; o talento e a habilidade privados dos seus estímulos e, como consequência necessária, as riquezas estancadas na sua fonte; enfim, em lugar dessa igualdade tão sonhada, será a igualdade na nudez, na indigência e na miséria (…).

Fique, pois, bem entendido que o primeiro fundamento a estabelecer para todos aqueles que querem sinceramente o bem do povo, é a inviolabilidade da propriedade particular...

Os socialistas, para curar este mal, instigam nos pobres o ódio invejoso contra os que possuem, e pretendem que toda a propriedade de bens particulares deve ser suprimida, que os bens de um indivíduo qualquer devem ser comuns a todos, e que a sua administração deve voltar para os Municípios ou para o Estado... Mas, semelhante teoria, longe de ser capaz de pôr termo ao conflito, prejudicaria o operário se fosse posta em prática. Outrossim, é sumamente injusta, por violar os direitos legítimos dos proprietários, viciar as funções do Estado e tender para a subversão completa do Edifício Social...

Assim, esta conversão da propriedade particular em propriedade coletiva, tão preconizada pelo Socialismo, não teria outro efeito senão tornar a situação dos operários mais precária, retirando-lhes a livre disposição do seu salário e roubando-lhes, por isso mesmo, toda a esperança e toda a possibilidade de engrandecerem o seu patrimônio e melhorarem a sua situação.

Mas, e isto parece ainda mais grave, o remédio proposto (pelos Socialistas) está em oposição flagrante com a justiça, porque a propriedade particular e pessoal é para o homem, de Direito Natural...

Por tudo o que acabamos de dizer, compreende-se que a teoria socialista da propriedade coletiva deve absolutamente repudiar-se como prejudicial àqueles mesmos a que se quer socorrer, contrária aos direitos naturais dos indivíduos, como desnaturando as funções do Estado e perturbando a tranquilidade pública...”

Fonte: S.S. o Papa Leão XIII, Carta Encíclica “Rerum Novarum”, de 15 de Maio de 1891.

Intrinsecamente Mau é o Comunismo

“Assim, em alguns lugares, (os chefes comunistas) mantendo-se firmes em seus perversos princípios, convidam os católicos a colaborar com eles, no chamado campo humanitário e caritativo, propondo por vezes coisas em tudo até conformes ao espírito cristão e à Doutrina da Igreja. Em outras partes, sua hipocrisia vai ao ponto de fazer acreditar que o Comunismo, em países de maior fé ou de maior cultura, tomará feição mais branda, não impedirá o culto religioso e respeitará a liberdade de consciência.

Mais, alguns há que, referindo-se a certas mudanças introduzidas recentemente na legislação soviética, concluem que o Comunismo está prestes a abandonar o seu Programa de luta contra Deus.

Velai, Veneráveis Irmãos, para que não se deixem iludir os fiéis. Intrinsecamente mau é o Comunismo, e não se pode admitir, em campo algum, a colaboração recíproca, por parte de quem quer que pretenda salvar a Civilização Cristã. E se alguém, induzido em erro, cooperasse para a vitória do Comunismo em seu país, seria o primeiro a cair como vítima do próprio erro”.

Fonte: S.S. o Papa Pio XI, Carta Encíclica “Divini Redemptóris”, de 19 de Março de 1937.

Incompatibilidade entre o Catolicismo
e Comunismo-Socialismo

“Não se creia também que esta solicitude pastoral, assumida pela Igreja como programa primordial que absorve sua atenção e polariza seus cuidados, signifique uma modificação do julgamento formulado acerca dos erros disseminados em nossa Sociedade, e já condenados pela Igreja, como o Marxismo ateu, por exemplo. Procurar aplicar remédios salutares e urgentes a uma doença contagiosa e mortal não quer dizer mudar de opinião a respeito dessa doença, mas, pelo contrário, significa procurar combatê-la não somente em teoria, mas praticamente; significa que se quer, depois do diagnóstico, aplicar uma terapia, isto é, após a condenação doutrinária, aplicar a caridade salutar”.

Fonte: S.S. o Papa Paulo VI, Alocução de 6 de Novembro de 1963, aos participantes da XIII Semana Italiana de Adaptação Pastoral, de Orvieto.

Li no Jornal Oficioso do Vaticano, o L'Osservatore Romano, no número de 20 de Março de 1964 de sua edição em francês: “Deixando de lado as distinções mais ou menos fictícias, é certo que nenhum católico, direta ou indiretamente, pode colaborar com os comunistas, pois a incompatibilidade ideológica entre Religião e Materialismo (dialético e histórico) corresponde a uma incompatibilidade de métodos e de fins, incompatibilidade prática, isto é, moral” (Artigo “Le rapport Ilitchev” de F.A.). E em outro artigo do mesmo número: “Para que o Catolicismo e o Comunismo fossem conciliáveis seria preciso que o Comunismo deixasse de ser Comunismo. Ora, mesmo nos aspectos múltiplos de sua dialética, o Comunismo não cede no que diz respeito a seus fins políticos e sua intransigência doutrinária. É assim que a concepção materialista da História, a negação dos direitos da pessoa, a abolição da liberdade, o despotismo do Estado, e a própria experiência econômica mais bem infeliz, colocam o Comunismo em oposição com a concepção espiritualista e personalista da Sociedade tal como deriva da Doutrina Social do Catolicismo” (Artigo “A propos de solution de remplacement”).

No mesmo sentido ainda, cabe mencionar a Carta Coletiva do venerando Episcopado Italiano contra o Comunismo ateu, datada de 1 de Novembro de 1963.

“Fiel quer a Deus e quer aos Homens, a Igreja não pode deixar de reprovar dolorosamente, com toda a firmeza, como reprovou até agora (cfr. Pio XI, Enc. “Divini Redemptoris”, de 19-3-1937: A.A.S. 29 (1937), pp. 65-106; Pio XII, Enc. “Ad Apostolorum Principis”, de 29-6-1958: A.A.S. 50 (1958), pp. 601-614; João XXIII, Enc. “Mater et Magistra”, de 15-5-1961: A.A.S. 53 (1961), pp. 451-453; Paulo VI, Enc. “Ecclesiam Suam”, de 6-8-1964: A.A.S. 56 (1964), pp. 651-653), aquelas doutrinas e atividades perniciosas que contradizem à razão e à experiência humana universal e privam o homem de sua grandeza inata...

Condenam-se, porém, quaisquer formas políticas, vigentes em algumas regiões, que impedem a liberdade civil e religiosa, multiplicam as vítimas das paixões e crimes políticos e desviam o exercício da autoridade, do bem comum para o proveito de algum partido ou dos próprios governantes...

Entre as formas do ateísmo hodierno não deve ser esquecida aquela que espera a libertação do homem, principalmente da sua libertação econômica e social. Sustenta que a Religião, por sua natureza, impede esta libertação, à medida que, estimulando a esperança do homem numa quimérica vida futura, o afastaria da construção da cidade terrestre. Os partidários desta doutrina, onde chegam ao Governo da coisa pública, perseguem com veemência a Religião, servindo-se na difusão do ateísmo, sobretudo na educação da juventude, dos meios de pressão ao alcance do poder público...

Em todo caso, é desumano que a autoridade política incorra em formas totalitárias ou ditatoriais que lesem os direitos da pessoa ou dos grupos sociais...”

Fonte: Constituição Pastoral “Gaudium et Spes”, em relação ao Ateísmo.

“Na medida em que rejeita ou recusa a existência de Deus, o ateísmo é um pecado contra a virtude da religião (Rom. 1, 18)...” (CIC, “Não terás outros deuses diante de Mim”).

“A Igreja tem rejeitado as ideologias totalitárias e atéias associadas, nos tempos modernos, ao 'Comunismo' ou ao 'Socialismo'” (CIC, “A Doutrina Social da Igreja”).

Desqualificação do Sistema Marxista

O Padre Baldomero Ortoneda, jesuíta espanhol, auxiliado por uma equipe e orientado por especialistas, deu-se ao trabalho de analisar do ponto de vista da Filosofia e das Ciências Naturais, os princípios básicos do Marxismo-Leninismo. Ao cabo de 700 páginas de comparação das afirmações (mais de 15 mil) de cerca de 900 autores comunistas, com os dados da Biologia, da Química, da Física, da Geologia e das Matemáticas, além da Filosofia, constata a existência de perto de 400 erros de caráter científico, 600 erros de raciocínio e 200 erros filosóficos. O que desqualifica totalmente qualquer Sistema.

Fonte: Baldomero Ortoneda, “Principios, Fundamentales del Marxismo-Leninismo”, México – Madrid, 1974.


  

Nenhum comentário:

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...