Blog Católico, para os Católicos

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

sábado, 10 de dezembro de 2016

Simples Pensamentos sobre o Ato de Amor de Deus




Meu Deus,


Eu Vos Amo.






Com Aprovação Eclesiástica





21 de Agosto de 1959





_________________________





Meu Deus, eu Vos amo.


Um ato de amor de Deus é a ação maior e mais preciosa que se possa fazer no Céu e na Terra.

A alma que faz mais atos de amor de Deus, é a alma mais amada por Deus no Céu e na Terra.

O ato de amor de Deus, é o meio mais poderoso e eficaz para alcançar facilmente a mais íntima união com Deus, a mais alta santidade e a maior paz da alma.


Um ato de perfeito amor de Deus, realiza imediatamente o Mistério da união da alma com Deus. Ainda que esta alma fosse culpada de graves e inumeráveis faltas, com este ato, readquire imediatamente a graça de Deus, com a condição da sucessiva Confissão Sacramental.

Este ato purifica a alma dos Pecados Veniais, das imperfeições, dá o perdão às culpas, comuta a pena de todo o pecado e restitui os merecimentos perdidos.

O ato de perfeito Amor de Deus, restitui imediatamente a inocência batismal.

Este ato é o meio mais eficaz para converter os pecadores, para salvar os moribundos, para livrar as Almas do Purgatório, para consolar os aflitos, para auxiliar os Sacerdotes, para ser útil às almas e à Igreja.

Um ato de amor de Deus, aumenta a glória externa do mesmo Deus, da Bem-aventurada Virgem Maria, de todos os Santos do Paraíso; dá alívio a todas as Almas do Purgatório; obtém um aumento de graças, a todos os fiéis da terra; refreia o poder maligno do Inferno sobre as criaturas.

O menor ato de amor, chega como bênção e graça, até ao último selvagem que, habita na última cabana perdida nos confins da terra.

O ato de amor de Deus, é o meio mais poderoso para evitar o pecado, para vencer a tentação, para adquirir todas as virtudes e para merecer todas as graças.

O menor ato de perfeito amor de Deus, tem mais eficácia, mais merecimentos e mais importância, do que todas as boas obras reunidas” (São João da Cruz).

O Ato de Amor de Deus, é a ação mais simples, mais fácil, mais breve que se possa fazer. Basta dizer com simplicidade: “Meu Deus, eu Vos amo”.


É facílimo realizar um Ato de Amor de Deus. Pode-se fazer a todo o momento, em qualquer circunstância, durante o trabalho, nas ruas apinhadas de gente, em qualquer ambiente, num átimo de tempo. Deus está sempre presente, sempre atento para ouvir, sempre na expectativa afetuosa de poder colher do coração de Sua criatura essa expressão de amor. Ele deseja somente, que a alma que faz o seu ato de Amor, lhe dê um instante de atenção, para ouvi-lo repetir: “Também Eu te amo, te amo tanto”.

Este ato de Amor, não exige esforço, nem inteligência, não interrompe a atividade, não exige fórmulas especiais.

O ato de Amor, não é um ato de sentimento: é um ato de vontade elevado infinitamente acima da sensibilidade e até é imperceptível aos sentidos. Basta que a alma diga ao Bom Deus: “Meu Deus, eu Vos amo”.

Na dor suportada com paz e paciência, a alma exprime assim o seu Ato de Amor: “Por que Vos amo, meu Deus, sofro tudo por Vós”.

Nos trabalhos, nas preocupações externas, no cumprimento do dever cotidiano: “Meus Deus, eu Vos amo, convosco trabalho, por Vós e por Vosso amor”.

Na solidão, no isolamento, na humilhação e na desolação: “Graças, meu Deus, assim me assemelho a Jesus – basta que eu possa amar-Vos muito”.

Nas alegrias, nas horas de felicidade: “Meu Deus, graças por estes dons. Eu Vos amo”.

Quando se aproximar a última hora, o fim da vida: “Meu Deus, graças por tudo. Eu Vos amei na terra e agora espero amar-Vos para sempre no Paraíso”.


O Ato de Amor pode ser feito de mil maneiras, mas faz-se especialmente com a vontade sempre disposta a cumprir a Santa Vontade de Deus, como se apresenta ou como nos é comunicada.

O Ato de Amor de Deus se faz quando se cumpre o mínimo dos deveres, quando se sofre a mínima dor, quando se goza qualquer alegria, tudo por Seu Amor.

Vale mais aos olhos de Deus, apanhar do chão um alfinete por Seu amor, do que cumprir ações estrepitosas por outros fins, mesmo bons”, diz um Santo.

O ato de Amor de Deus se cumpre toda vez que com a vontade se diz: “Meu Deus, eu Vos amo”.

Uma pobre alma, ignorada no mundo, pode fazer cada dia, mais de 1000 Atos de Amor de Deus. Realmente uma alma simples, que vive no mundo, no turbilhão das preocupações, repete cada dia 10.000 vezes: “Meu Deus, eu Vos amo”.

A alma pode realizar seu Ato de Amor em três graus de perfeição:

1) Vontade de sofrer todas as penas e mesmo a morte, antes que ofender gravemente ao Senhor.

Meu Deus, antes morrer a cometer um Pecado Mortal”.

2) Vontade de sofrer todas as penas e mesmo a morte, antes que consentir em um Pecado Venial.

Meu Deus, antes morrer a Vos ofender, ainda que, levemente”.

3) Vontade de escolher sempre o que é mais agradável ao Bom Deus.

Meu Deus, porque Vos amo, quero só o que quereis”.

Qualquer destes três graus, contém um ato perfeito de Amor de Deus.


Santo, não é aquele que faz milagres, que tem êxtases, mas aquele que faz mais atos de Amor de Deus durante o dia.

Santo, não é aquele que nunca comete faltas, mas aquele que, se peca por fraqueza, logo se levanta e encontra, na própria fraqueza, um motivo maior de amar mais a Deus e de se abandonar em Seus Divinos Braços.

Santo, não é aquele que macera seu corpo, foge do mundo, realiza obras extraordinárias que causam a admiração dos homens, mas sim, aquele que diz frequentemente e com mais amor ao Bom Deus: “Meu Deus, eu Vos amo muito, e por puro amor Vosso, quero florescer onde me semeastes”.

É Santo, aquele que repete com mais vontade e com mais frequência o seu Ato de Amor durante o dia: “Meu Deus, eu Vos amo muito”.

A alma mais simples e obscura, ignorada de todos, que faz mais Atos de Amor, é mais útil às almas e à Igreja do que aqueles, que realizam obras grandiosas com menos amor.

"Meu Deus, eu Vos amo"


Nenhum comentário:

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...