Blog Católico, para os Católicos

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Nas Atuais Circunstâncias o Melhor a Fazer é irmos à São José.





Oração a São José[1]

Formulada pelo Santo Padre Leão XIII
na Encíclica QUAMQUAM PLURIES[2],
de 15 de Agosto de 1889,
sobre a Devoção a São José.


Oremus:

Ad te, beate Joseph, in tribulatione nostra confugimus atque implorato Sponsae tuae sanctissimae auxilio, patrocinium quoque tuum fidenter exposcimus.

Per eam, quae sumus, quae te cum immaculata Virgine Dei Genitrice conjunxit caritatem, perque paternum, quo Puerum Jesum amplexus es, amorem, supplices deprecamur, ut ad hereditatem quam Jesus Christus acquisivit sanguine suo, benignus respicias, ac necessitatibus nostris tua virtute et ope succurras.

Tuere, o custos providentissime divinae Familiae, Jesus Christi sobolem electam; prohibe a nobis, amantissime Pater, omnem errorum ac corruptelarum luem; propitius nobis, sospitator noster fortissime, in hoc cum potestate tenebrarum certamine a coelo adesto; et sicut olim Puerum Jesum e summo eripuisti vitae discrimine, ita nunc Ecclesiam sanctam Dei ab hostilibus insidiis atque ab omni adversitate defende: nosque singulos perpetuo tege patrocinio, ut ad tui exemplar et ope tua suffulti, sancte vivere, pie emori, sempiternamque in coelis beatitudinem assequi possimus. Amen.[3]

Oremos:

Ó Bem-aventurado São José, a Vós recorremos na nossa tribulação, e implorando o socorro de vossa Santíssima Esposa, pedimo-vos também com toda a confiança o vosso patrocínio.

Por aquele afeto que vos uniu com a Imaculada Virgem, Mãe de Deus, e pelo paternal amor com que abraçastes a Jesus Menino, nós vos rogamos e vos suplicamos submissamente que olheis compadecido para a herança que Jesus Cristo adquiriu com seu Sangue e que nos assistais nas nossas necessidades com o vosso poder e auxílio.

Ó providentíssimo guarda da divina Família, amparai os filhos escolhidos de Jesus Cristos; afastai de nós, ó Pai amorosíssimo, todo o contágio de doutrinas errôneas e de corrupção; ó nosso poderosíssimo protetor, assisti-nos lá do Céu neste combate com o poder das trevas; e assim como livrastes outrora o Menino Jesus de um grande perigo de vida, assim agora defendei a Santa Igreja de Deus das insídias dos seus inimigos e de todas as adversidades e a cada um de nós protegei perpetuamente com o vosso patrocínio, para que, fortalecidos com a vossa assistência possamos viver santamente, morrer piedosamente e alcançar a bem-aventurança eterna no Céu. Assim seja.


Versão atualmente conhecida:

A Vós, São José, recorremos em nossas tribulações e (depois de ter invocado o auxílio de Vossa Santíssima Esposa), cheios de confiança solicitamos o vosso patrocínio. Por esse laço sagrado de Caridade, que vos uniu à Virgem Imaculada, Mãe de Deus, e pelo amor paternal que tivestes ao Menino Jesus, ardentemente vos suplicamos que lanceis um olhar benigno para a herança que Jesus Cristo conquistou com Seu Sangue e nos socorrais em nossas necessidades com o vosso auxílio e poder. Protegei, ó guarda providente da divina Família, a raça eleita de Jesus Cristo, afastai para longe de nós, ó pai amantíssimo, a peste do erro e do vício; assisti-nos do alto do Céu, ó nosso fortíssimo sustentáculo, na luta contra o poder das trevas; e assim como outrora salvastes da morte a vida ameaçada do Menino Jesus, assim também defendei agora a Santa Igreja de Deus contra as ciladas dos seus inimigos e contra toda adversidade. Amparai a cada um de nós com o vosso constante patrocínio, a fim de que, a vosso exemplo e sustentados com o vosso auxílio, possamos viver virtuosamente, morrer piedosamente e obter no Céu a eterna bem-aventurança. Assim seja.[4]



[1]   Joia da Alma Piedosa, pp. 145-148; com aprovação do Arcebispo Primaz de Braga, D. Antônio José de Freitas Honorato; Editores-Tipógrafos da Santa Sé Apostólica Benziger & Co., em Einsiedeln, Suíça, 1892.
[3]   Ganham-se 7 anos e 7 quarentenas por cada vez que devotamente se rezar. (Nota: era até então)
[4]   Versão utilizada em toda a Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney, Campos, RJ.


Nenhum comentário:

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...