Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

domingo, 5 de dezembro de 2021

A Imaculada Conceição, da Bem-aventurada e Sempre Virgem Maria, Mãe de Deus.

Reflexões1

O Senhor possuiu-me desde o princípio de seus caminhos”2. Quem senão esta filha favorecida do Céu, a quem a Igreja aplica estas palavras, é que pode gloriar-se de não haver estado nunca debaixo da escravidão do Demônio? É uma pura criatura que Deus escolheu por Mãe desde a eternidade. Admiraremos à vista disso que o Senhor haja sido tão zeloso da posse de seu Coração, e que se haja reservado as suas primeiras homenagens? É um Templo, onde deve residir toda a plenitude da Divindade.

É necessário que Maria seja isenta do Pecado Original, por que o Filho de Deus deve nascer em seu seio como em seu Templo; e o primeiro emprego e a sua primeira função merece o privilégio dessa santidade.

Aprendamos da Igreja a reverenciar em Maria uma prerrogativa tão singular, sem querer aprofundar este Mistério com uma curiosidade infiel. Mas, que instrução devemos tirar nós daqui, sendo filhos da ira? Podemos acaso evitar a triste desgraça em que fomos envolvidos desde o primeiro momento da nossa origem? Por certo que não; mas, podemos inferir desta prerrogativa a ideia que é preciso formar da graça santificante, vendo a distinção que Deus faz de Maria, dando-lhe desde o primeiro instante de sua origem; e outrossim o horror que Deus tem ao pecado, e o que nós devemos ter, visto que Deus isenta Maria da Lei Comum para não se unir a uma carne inclinada pelo funesto hálito do pecado.

Meditações

Primeiro Ponto: Considera que pela Imaculada Conceição da Santíssima Virgem se entende aquele insigne privilégio, pelo qual preservou Deus a esta ditosa criatura da mácula do Pecado Original, que infeccionou toda a posteridade de Adão. Todos sabem que o privilégio é uma lei particular, que exime as pessoas, objeto dele, de uma Lei Comum, a que todos os outros estão sujeitos. O privilégio pois é tanto mais apreciável, quanto a lei, de que exime, é mais universal e mais dura. Maria em sua Conceição foi subtraída à lei que sujeitava os homens ao pecado. E houve jamais lei mais dura e mais comum? Imagina, se é possível, o preço, a grandeza, a excelência do privilégio da Imaculada Conceição de Maria. É tal este privilégio, dizem os Doutores e os Santos Padres, que se se houvesse deixado à escolha de Maria, ou o ser Mãe de Deus, ou o ser concebida sem pecado, haveria preferido a Imaculada Conceição a todas as preeminências, e à própria Maternidade divina. Conhecendo a Deus, e amando-O naquele grau, em que O conhecia, nenhuma prerrogativa, nenhuma graça, nenhuma dignidade a haveria indenizado da desgraça do ter estado um só momento na inimizade de Deus. Aprendamos daqui a ideia que devemos formar do pecado. Na verdade, se a augusta dignidade de Mãe de Deus pedia que fosse isenta de toda a corrupção depois da sua morte, e de toda a mancha de Pecado Venial durante sua vida; quanto mais não pedia esta incompreensível dignidade, que fosse isenta do Pecado Original?

Suposta esta verdade, a Virgem Santíssima foi cumulada dos maiores favores neste primeiro momento, e neste primeiro momento foi cheia de graça: “Vós sozinha possuís, diz São Bernardo, todas as virtudes e méritos de todos os Santos juntos”. Com que devoção, pois, e com que culto não se deve honrar e celebrar o primeiro momento da mais Santa vida?! “Assim como todos os rios, diz São Boaventura, entram no mar, assim todas as torrentes de graças e bênçãos, que saem do Seio de Deus, e se repartem por todos os Santos, se reuniram no Coração de Maria no primeiro momento de sua vida, no qual foi santificada. Quão devido e justo é celebrar este ditoso momento com todas as demonstrações de regozijo e da mais acabada solenidade! Um filho bem criado considera como a mais natural e justa obrigação tomar toda a parte possível nas prosperidades e glórias de sua mãe. A natureza, a razão, o reconhecimento, inspiram estes sentimentos a todos os filhos. Tem-se visto, e veem-se todos os dias soberanos que decretam a suas mães as honras do triunfo, que eles mesmos recusaram para si, desejando que os povos festejem suas mães. Qual não deve ser pois o gozo, a veneração, a alegria de todos os verdadeiros fiéis neste dia? Com que devoção, com que gosto, com que fervor não devemos celebrar a Festa da Imaculada Conceição da Mãe de Deus? De todas as festas, instituídas em sua honra, que outra lhe será mais agradável, e em que outra se comprazerá mais? A nossa tibieza e indiferença nesta ocasião não seria uma prova do nosso pouco reconhecimento, da nossa pouca confiança e do nosso pouco amor? O não ter senão uma devoção medíocre à Imaculada Conceição da Mãe de Deus poderia ser uma prova sensível da nossa veneração e ternura?

Segundo Ponto: Considera que nesta admirável santificação há três prerrogativas singulares, três notas que jamais se encontraram juntas na santificação de outra pura criatura: a santificação da Virgem foi original, inalterável, e sempre em aumento. Os Anjos, Adão e Eva foram criados na graça santificante, mas podiam perdê-la; e de fato, Adão e Eva a perderam como também os Anjos rebeldes. Porém, Maria em sua Conceição Imaculada foi cheia de uma graça, que jamais perdeu, e que era incapaz de perder, não por natureza, mas por privilégio.

Os Apóstolos foram confirmados na graça depois da vinda do Espírito Santo; mas além de terem sido pecadores, não estavam isentos de faltas leves; ao passo que Maria desde o primeiro instante de sua existência, foi imutavelmente unida com Deus, e por um particular favor, isenta toda a sua vida de faltas, ainda mesmo leves. Os Bem-aventurados no Céu estão livres de toda a imperfeição; mas esta santidade não pode crescer, nem ser mais perfeita; porém, a de Maria sempre foi crescendo, multiplicando-se todo o tempo que esteve sobre a terra. Esta primeira graça foi acompanhada dos Dons do Espírito, dos Hábitos infusos, de Virtudes Morais e Intelectuais, dos Dons de Profecia, de Milagres, de Inteligência das Sagradas Escrituras, no mais alto grau de perfeição. As névoas que ofuscam o entendimento das outras crianças, não escureciam as luzes do entendimento de Maria. O seu Coração não se ocupou desde então, senão em amar ardentemente aquele Divino Esposo, de quem havia de vir a ser Mãe; e o tempo que é perdido para o resto dos homens, foi para Ela um tempo de mérito e de bênçãos.

Que graça, que glória a de Maria neste primeiro momento! Não é possível dizer, nem se pode compreender o que valeu este privilégio. Pois, que progressos não faria na santidade uma alma que tinha mais graça que todos os Serafins, e que não sentia nenhuma das imperfeições da natureza corrompida. A que grau de contemplação não deveu elevar-se a que não sentia o peso do seu corpo, e a que tinha um espírito tão ilustrado? Qual não deveu ser o excesso de amor a Deus, pois longe de que lho entibiassem as outras paixões, podia fazer servir todas as suas paixões para mais e mais se inflamar a cada instante? Qual não deve ser, Deus meu, a nossa admiração, a nossa ternura, a nossa veneração para com vossa Mãe neste primeiro instante de sua Conceição! E com que devoção devemos celebrar esta festividade!

Oração

Virgem Santa, Virgem Imaculada, eu creio firmemente que Deus vos possuiu desde o princípio; creio que não só a vossa Conceição, mas toda a vossa vida passou sem mancha, e que amastes a Deus sem interrupção alguma até ao último instante de vossa vida. Fazei, Virgem Santa, que por esta confiança que tenho em vossa bondade, entre na amizade do vosso Filho, para a não perder jamais; e que, honrando toda a minha vida a vossa Imaculada Conceição, o melhor que me seja possível, alcance por vossa intercessão a graça de uma santa morte. Amém.


Todos os que celebram, ó Virgem Santa,

vossa Conceição Imaculada,

experimentem os efeitos de vossa proteção.


____________________

1.  Rev. Pe. Croiset, “Ano Cristão ou Devocionário Para Todos os Dias do Ano”, Vol. XII, 8 de Dezembro, pp. 110-113; Traduzido do francês, revisto e adaptado às últimas reformas litúrgicas pelo Rev. Pe. Matos Soares, Professor do Seminário do Porto, Porto, 1923.

2.  Provérbios 8, 22-35.


Novena em Honra da Imaculada Conceição da Virgem Maria. (7º Dia)


V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Apressai-Vos, Senhor, em me socorrer.

V. Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo.

R. Assim como era no princípio, agora e sempre e por todos os séculos dos séculos. Amém.


Oferecimento1

Imaculada Virgem Mãe de Deus, Rainha dos Céus e da terra, minha terna Mãe, eu Vos ofereço e consagro esta novena, destinada a promover o Vosso culto, a celebrar as Vossas glórias e aumentar a devoção para convosco. Dignai-Vos aceitá-la, ó Mãe Virgem, e acolher todos os que recorrem a Vós, e abrasai o meu coração no amor divino, para que de hoje em diante os meus pensamentos, palavras e obras não tenham outro fim senão concorrer para Vos dar glória e a Vosso divino Filho. Assim seja.



Coroinha

em Honra da Imaculada

Conceição de Maria Santíssima2


Primeira Parte: Seja bendita a Santa e Imaculada Conceição da Beatíssima Virgem Maria. Recite-se 1 Pai Nosso, 4 Ave Marias e um Glória ao Pai.

Segunda Parte: Seja bendita… Recite-se 1 Pai Nosso, 4 Ave Marias e um Glória ao Pai.

Terceira Parte: Seja bendita… Recite-se 1 Pai Nosso, 4 Ave Marias e um Glória ao Pai.




7º Dia


Preparação para a

Festa da Imaculada Conceição3

(1º Dia do Tríduo)



1º Ponto

Motivos por parte de Deus:

Associar-nos a Ele na glorificação de Maria.


Considerações: Quando Deus quis, desde toda a eternidade, subtrair Maria ao anátema pronunciado contra a posteridade culpada de Adão, preservando-A da mancha do Pecado Original, que tinha em vista fazer? – Glorificar Maria acima de todos os Santos do Antigo e Novo Testamento, porque a escolhera para ser, segundo a carne, a Mãe do seu Verbo.

E nós, quando nos esforçamos por celebrar com extraordinária solenidade a festa da Imaculada Conceição, preparando-nos para ela com alguns dias de antecedência, que pretendemos? – O que Deus quis desde toda a eternidade. Associamo-nos a Ele na obra da glorificação da Santíssima Virgem.

Aplicações: Como podemos nós, nestes três dias antes da Festa, prepararmo-nos convenientemente para ela?

1º – Pensando nela frequentemente e dizendo a nós mesmos: eis que todo o universo, unido aos habitantes do Céu, se prepara para celebrar dignamente o grande privilégio da nossa Mãe querida!

2º – Excitando no nosso coração um ardente desejo de não ficarmos atrás, seja de quem for, na digna celebração de tão excepcional prerrogativa da nossa Mãe.

Afetos: Peçamos a Deus este santo desejo, que deve ser-lhe não menos agradável do que a Maria.

Propósitos: Para evitar o esquecimento, determinemos alguns instantes, durante o dia, propícios à lembrança desta Festa.



2º Ponto

Motivos por parte de Maria:

Prestar-lhe um obséquio muito agradável.

Considerações: De todos os privilégios de Maria, o de ter sido sempre Imaculada é o que mais caro lhe é; a ele teria sacrificado, se fosse necessário, o próprio privilégio da Maternidade divina! Deve, portanto, ser-lhe muito agradável ver que muitas vezes pensamos nele, nos alegramos com Ela e nos preparamos o melhor que podemos para celebrar dignamente essa festa.

Aplicações: Para nos prepararmos da maneira que acabamos de referir, o que podemos ainda fazer é evitar com o máximo cuidado, durante estes dias, tudo o que desagrada a Maria, tudo o que poderia empanar, a seus olhos, a beleza da nossa alma.

Afetos: Peçamos, supliquemos à Santíssima Virgem que nos obtenha um horror cada vez maior ao pecado e a graça de viver puros no meio da depravação do mundo.

Propósitos: Esforcemo-nos por velar atentamente sobre nós mesmos, em particular nas circunstâncias em que, por experiência, já sabemos que somos mais fracos.



3º Ponto

Motivos por parte de nós mesmos

Considerações: Deus quer, dizem os Doutores, que todas as graças nos venham por mãos de Maria. Ela deseja servir eficazmente de intermediária entre Deus e qualquer fiel, mas, semelhante nisto às outras mães, favorecerá sobretudo, os seus filhos que mais se esforçarem por lhe serem especialmente agradáveis.

Tomando, portanto, parte muito especial na festa do aniversário do mais querido dos seus privilégios, estamos seguros de lhe agradar e de obter os seus favores. Assim, tomando a peito os interesses da glória da nossa Mãe, tomamos ao mesmo tempo a peito os nossos.

Aplicações: Uma terceira prática de bem nos prepararmos para a festa da nossa Mãe do Céu, consiste em redobrar, durante estes dias de atenção e fervor, o empenho de nos assinalarmos nas virtudes que Ela mais parece ter prezado, como a humildade, a caridade, o zelo e a piedade. Vejamos que estimação fazemos destas virtudes e, sobretudo, que cuidado empregamos em praticá-las. As ocasiões não nos faltarão hoje. Não as deixemos escapar.

Colóquio: Com Santo Afonso Maria de Ligório, que tão devoto foi da Imaculada Conceição da Santíssima Virgem e que, em troca, Dela recebeu tão grandes favores. Peçamos-lhe que nos apresente a Ela, lhe ofereça os nossos bons desejos, os nossos afetos, as nossas homenagens e nos obtenha graças abundantes para sermos fiéis às nossas boas resoluções, particularmente durante este dia.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.



Oração4

Virgem Imaculada, que agradastes ao Senhor e fostes sua Mãe: por piedade volvei benigna os olhos para nós, os infelizes, que imploramos o vosso poderoso patrocínio.

A Serpente maligna, contra quem foi lançada a primeira maldição, teima em combater e tentar os míseros filhos de Eva.

Eia, bendita Mãe, nossa Rainha e Advogada, que desde o primeiro instante da vossa Conceição esmagastes a cabeça do Inimigo! Acolhei as súplicas que, unidos a Vós num só coração, vos pedimos que apresenteis diante do Trono do Altíssimo, para que nunca nos deixemos cair nas emboscadas que se nos preparam; para que todos nós cheguemos ao porto da salvação; e, no meio de tantos perigos, a Igreja e a Sociedade, cantem de novo o hino do resgate, da vitória e da paz. Assim seja.


V. Toda sois formosa, ó Maria.

R. Toda sois formosa, ó Maria.

V. E mácula original não há em Vós.

R. E mácula original não há em Vós.

V. Vós sois a glória de Jerusalém.

R. Vós sois a alegria de Israel.

V. Vós sois a honra do nosso povo.

R. Vós sois a Advogada dos pecadores.

V. Ó Maria.

R. Ó Maria.

V. Virgem prudentíssima.

R. Mãe clementíssima.


V. Rogai por nós.

R. Intercedei por nós a Nosso Senhor Jesus Cristo.


V. Vós fostes, ó Virgem, imaculada em vossa Conceição.

R. Rogai por nós ao Pai, cujo Filho destes à luz.


Oremos: Ó Deus, que pela Imaculada Conceição da Virgem Maria, preparastes a vosso Filho digna morada: nós vos rogamos que, pois a preservastes de toda a mancha, pela previsão da morte de seu mesmo Filho, nos concedais por sua intercessão, que também puros até Vós cheguemos. Pelo mesmo Cristo, Senhor nosso.

R. Amém.



Ladainha de Nossa Senhora

(Atualizada)


Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, tende piedade de nós.

Senhor, tende piedade de nós.


Jesus Cristo, ouvi-nos.

Jesus Cristo, atendei-nos.


Pai celeste que sois Deus, tende piedade de nós.

Filho, Redentor do mundo, que sois Deus,

Espírito Santo, que sois Deus,

Santíssima Trindade, que sois um só Deus.


Santa Maria, rogai por nós.

Santa Mãe de Deus,

Santa Virgem das Virgens,

Mãe de Jesus Cristo,

Mãe da Igreja,*5

Mãe de misericórdia,*6

Mãe da divina graça,

Mãe da esperança,*

Mãe puríssima,

Mãe castíssima,

Mãe imaculada,

Mãe intacta,

Mãe amável,

Mãe admirável,

Mãe do bom conselho,

Mãe do Criador,

Mãe do Salvador,

Virgem prudentíssima,

Virgem venerável,

Virgem louvável,

Virgem poderosa,

Virgem clemente,

Virgem fiel,

Espelho de justiça,

Sede de sabedoria,

Causa da nossa alegria,

Vaso espiritual,

Vaso honorífico,

Vaso insigne de devoção,

Rosa mística,

Torre de Davi,

Torre de marfim,

Casa de ouro,

Arca da aliança,

Porta do céu,

Estrela da manhã,

Saúde dos enfermos,

Refúgio dos pecadores,

Conforto dos migrantes,*

Consoladora dos aflitos,

Auxílio dos cristãos,

Rainha dos anjos,

Rainha dos patriarcas,

Rainha dos profetas,

Rainha dos apóstolos,

Rainha dos mártires,

Rainha dos confessores,

Rainha das virgens,

Rainha de todos os santos,

Rainha concebida sem pecado original,

Rainha elevada ao céu,

Rainha do sacratíssimo rosário,

Rainha da família,*7

Rainha da paz,


Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.


V. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.


Oremos: Senhor Deus, nós Vos suplicamos que concedais aos vossos servos perpétua saúde de alma e de corpo; e que, pela gloriosa intercessão da Bem-aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.


________________

1.  Manual da Pia União das Filhas de Maria, Cap. V, Devocionário, Art. I, p. 474. Traduzido do Italiano pelo Côn. Dr. Ananias Correa do Amaral, 11ª Edição, Editora Livraria Católica Portuense Ltda, Porto, 1926.

2.  “Manual das Missões e Devocionário Popular”, por um Presbítero da Congregação da Missão, Orações e Meditações, p. 382. 1908.

3.  Meditações Práticas para Todos os Dias do Ano, pelo Pe. Bruno Vercruysse, S.J., Tomo II, 5 de Dezembro, pp. 419-421. 3ª Edição, Livraria Apostolado da Imprensa, Porto, 1950.

4.  Manual dos Congregados Marianos (Edição Oficial), 4ª Parte – Devocionário Mariano, pp. 235-237. Editora Vozes, Petrópolis/RJ, 1938.




Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...