Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

sábado, 19 de junho de 2021

Novena em Honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. (3º Dia)


Ato de Contrição


Meu Senhor Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador, Pai e Redentor meu! Eis a vossos pés um pobre pecador, que muito tem entristecido o vosso amante Coração. Ai amável Jesus! Como pude eu ofender-Vos e encher de amargura esse Coração que tanto me ama e que nada omitiu para conseguir que O amasse? Quão grande foi a minha ingratidão! Mas, ó Salvador meu! Consolai-Vos, consolai-Vos, dir-Vos-ei, porque agora estou arrependido: tanta dor sinto pelos desgostos que Vos tenho causado, que quereria morrer de contrição. Oh! Meu Jesus, quem me dera chorar o pecado, como Vós na vida mortal o soubestes chorar! Pesa-me na alma de Vos ter ofendido, Eterno Pai, em satisfação de minhas culpas, Vos ofereço a pena e a dor que por elas sentiu o vosso divino Filho.

Vós, oh amante Jesus! Dai-me tal horror ao pecado que para o futuro me faça evitar até as mais leves faltas. Longe de meu coração os afetos terrenos: já quero só amar ao meu bondoso Redentor. Oh! Meu Jesus, ajudai-me, fortalecei-me e perdoai-me.

Minha Mãe do Perpétuo Socorro, intercedei por mim e obtende-me o perdão dos meus pecados. Amém.


Oração Preparatória

para todos os dias


Oh! Santíssima Virgem Maria, que, para inspirar-nos uma ilimitada confiança, quisestes tomar o dulcíssimo nome de Mãe do Perpétuo Socorro, eu Vos suplico me socorrais em todo o tempo e lugar; em minhas tentações, nas minhas recaídas, dificuldades, e misérias e mais que tudo à hora da morte. Concedei-me, ó amantíssima Mãe, o pensamento e o costume de recorrer sempre a Vós; porque estou certo de que sendo eu fiel em invocar-Vos, Vós mais o sereis em socorrer-me. Obtende-me pois, esta que é a maior das graças, recorrer a Vós sem cessar e sempre com confiança de filho, a fim de que, em virtude da minha constante súplica mereça vosso perpétuo socorro e a perseverança final.

Dai-me, ó terna e cuidadosa Mãe, a vossa bênção, e rogai por mim agora e na hora de minha morte. Assim seja.


Terceiro Dia


Consideração: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, assiste a seus devotos para saírem da tibieza.

Imensa é a ternura de Nossa Senhora para com os grandes pecadores: vimo-lo ontem; mas não é menor para com outra classe de almas necessitadas, que se denominam tíbias e se acham num estado quase tão perigoso como o de pecado mortal.

Essas almas negligentes que por vezes frequentam os Sacramentos, posto que desejam evitar o pecado mortal, contudo, não parecem julgar conveniente que Deus seja servido com fidelidade nem fazem reparo em macular sua vida com muitas faltas veniais voluntárias e deliberadamente. Despacham sempre apressadas suas orações e devoções; ouvem Missa e talvez se confessem e comunguem, mas fazem-no por rotina ou por humanos respeitos, sem fruto sem progresso na virtude: cóleras, mentiras, murmurações, juízos temerários, ditos mordazes, invejas, frouxidão, vaidade, imodéstias, conversações perigosas ou inúteis, apego desordenado às coisas terrenas e outras faltas semelhantes, acham facilmente lugar no coração das pessoas tíbias.

Pondera, pois, o grande risco de condenar-se em que versam por isso.

Santa Teresa previu o lugar que lhe estava destinado no Inferno, se não se afervorasse mais

No sentir de São João Crisóstomo devemos temer mais o pecado venial habitual do que o mortal, porque, diz o grande Santo, o pecado mortal é um monstro que só de per si inspira horror, ao passo que a tibieza nos deixa tranquilos e despreocupados. Não foi porventura contra o tíbio que Nosso Senhor proferiu estas palavras tremendas? “Oxalá fosses frio”, isto é, oxalá que estivesses em pecado mortal. Quem poderia crer nestas palavras se elas não tivessem sido pronunciadas pelo próprio Deus? “Mas, porque és tíbio, estou para vomitar-te da minha boca”.

Quem há aí que não sinta horror ao que é vomitado? Por isso, escreve São Gregório: “Um pecador ainda não convertido, não desespero de o ver salvo; mas, desespero da salvação da alma caída na tibieza”. Sentença terrível que os Doutores confirmam, ensinando ser quase impossível, que um homem tíbio se converta.

Ó alma descuidada! Basta cometer um só pecado venial habitual deliberado, para ser vítima da tibieza e encontrar-se em tal perigo de não converter-se. Que será pois de ti, que cometes tantas faltas, com a mesma facilidade que o homem sequioso bebe a água? – Mas então, já não haverá remédio para mim e terei que abandonar-me à desesperação? Me perguntará a alma que se encontra em tal estado. Ó desgraçada! É difícil tua conversão, mas não desesperes; lembra-te de que o que na terra é impossível, não o é no Céu. Se queres, com toda a energia de tua vontade, sacudir esse funesto jugo, indicar-te-ei um meio tão eficaz como fácil. Levanta teus olhos e contempla a imagem de tua bondosa Mãe do Perpétuo Socorro. Não lhe vês na fronte uma brilhante estrela? É o símbolo de tua esperança. Põe n’Ela tua confiança, principia a servi-la com fidelidade e sentirás transformar-se-te o coração. A devoção a esta Mãe do belo amor, é incompatível com a negligência culpável. Ó quantas almas têm saído de sua tibieza no mesmo dia em que começaram a ser-Lhe devotas!

O que te falta, é o poderoso amor que teme desgostar ao amável Jesus; pois Ela é a Mãe dessa fervorosa caridade que aformoseia as almas; Ela deseja conceder-te mais do que tu desejas recebê-la.

Queres que se repita para ti o milagre das Bodas de Caná? Invoca-A com ardor. Ela te apresentará ao Divino Infante, que descansa em Seus braços, dizendo-Lhe: “Vinum non habet”. Meu Filho, vê, est pobre alma não tem verdadeiro amor; e para logo a algidez do teu coração se transformará em fervor, como a água se converteu em vinho. Nossa Senhora te inspirará um vivo desejo de te consagrares sem reserva ao Senhor: dar-te-á um gosto especial pela meditação das verdades eternas, comunicar-te-á uma singular devoção ao Sacramento Augusto de nossos altares e assim hás de poder quebrar as cadeias que te prendem e tornar a ser as delícias do Sagrado Coração de Jesus.

Pedido: Medite-se e peça-se aquilo que mais se deseja alcançar da valiosa proteção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Gozos


Vendo que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


Virgem Imaculada

Vendo que mal nos vai

Vinde sereis louvada

Por filhos de bom Pai.


Socorro permanente

Se sois, querida Mãe,

Ouvi-nos Mãe clemente,

Os filhos consolai.


A fronte inclino e choro,

Remorso na alma vai

Aos vossos pés imploro

Perdão, Virgem, m’o alcançai.


Livrai-nos da tibieza,

Desse fervor nos dai

Que eleva com presteza

Ao Céu donde ele sai.


De padecer cansado

Neste vale, onde vai

Vos pede um desterrado,

Seu peito consolai.


Se a minha fé declina

E na tormenta vai

Estrela matutina

Vinde m’a alentai.


Se vosso fiel amante

Tremendo vês que vai

Nas ondas vacilante

Seus passos segurai.


Vós, Virgem, da fraqueza

Meu peito me livrai,

Alento e fortaleza

Vós vinde e me inspirai.


Na luta derradeira

Perto de mim estás

Clemente mui fagueira

Amante como Mãe.


Lá na prisão do fogo

Virgem me visitai,

Tira-me de lá logo

Convosco me levai.


Que cante em vida e morte

Vós, Virgem, me inspirai,

Para delícia e sorte,

Vossos louvores, Mãe.


Vinde, que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


N.B. Esta quadra deve repetir-se no fim de cada uma das precedentes.


Oração Jaculatória

Ó Mãe do Perpétuo Socorro! Não permitais que eu caia na tibieza e se desgraçadamente tiver caído nela, fazei que prestes me levante.

Obséquio

Fazer antes de concluir a novena, uma Confissão séria e fervorosa, como se houvesse de ser a última.


Oração


Aqui me tendes, ó minha Mãe, eu sou uma daquelas almas infelizes que merecem ser abandonadas de vosso Filho e de Vós, no miserável estado de tibieza em que há tantos anos tenho vivido; mas as novas luzes que Ele me comunica hoje por vossa intercessão e essa voz misteriosa que me chama a servi-lO com fervor, são sinais de que ainda não me tem abandonado. Ó bondosa Mãe! Não tenho fervor, não amo a Jesus como deveria amá-lO e todavia desejo pertencer-Lhe toda. Ajudai-me a detestar sumamente o pecado venial e dai-me fervor. Rogai, não cesseis de rogar por mim, para que saia desta tibieza e sirva fervorosamente a Deus até chegar ao Céu, onde estarei ao abrigo de qualquer perigo de perder o meu Deus, sempre segura de O amar e a Vós também, ó Mãe do Perpétuo Socorro, por toda a eternidade. Amém.


Exemplo


A tísica, figura da tibieza, essa terrível doença que até hoje tem zombado sempre da ciência humana, oprimia uma senhora da Nova América havia cinco anos, durante dois dos quais nem podia deixar o leito. Tinha afetados ambos os pulmões e um deles quase desfeito por completo. Vários médicos eminentes haviam já declarado que não lhes restava esperança alguma de a salvarem e nada mais podia fazer-se à pobre enferma, senão aliviar-lhe os padecimentos.

Tendo a doente ouvido falar das curas extraordinárias devidas à invocação de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, sentiu-se animada de grande confiança n’Ela, e pediu a sua mãe que desse início a uma novena na igreja dos Padres Redentoristas, onde se venerava a milagrosa imagem. Ao nono dia, quando a mãe se preparava para ir fazer a última visita à imagem, a enferma pediu-lhe licença para acompanhá-la. A pobre mãe julgando que a filha delirava absteve-se de a comprazer, mas eis que no mesmo instante a jovem se levanta e se veste sem auxílio de pessoa alguma. Acompanhou a feliz mãe ao templo, e depois de ter orado, com o fervor que é de imaginar, voltou para casa perfeitamente sã. Foi grande a surpresa do médico quando, ao fazer-lhe a visita ordinária, encontrou a enferma em pé; tal surpresa, porém, aumentou quando soube que já no mesmo dia tinha saído de casa.

Minha filha está sã! Minha filha sarou!” Repetia a mãe delirante de alegria.

O médico que era um incrédulo ferrenho, não sabia que pensar acerca do que estava vendo, examinou-lhe detidamente os pulmões e reconheceu estarem sãos e intactos. Quando, porém, soube tudo o que tinha ocorrido, como que fora de si, exclamou: “Pois bem, se na terra há fatos que se possam chamar milagres, este certamente é um deles”.

Amada, louvada, invocada, bendita sejais eternamente, ó Virgem do Perpétuo Socorro, esperança minha, meu amor, minha Mãe, meu refúgio e minha vida. Amém.


____________________

Fonte: Manual do Devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por um Padre Redentorista, pp. 396-401. 4ª Edição, Estabelecimentos Benziger & Co., S.A., Editores Tipográficos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1899.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...