Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

domingo, 3 de outubro de 2021

NOVENA EM HONRA DE SÂO FRANCISCO DE ASSIS. (9º Dia)


ORAÇÕES1

para todos os dias da Novena


V. Vinde, ó Deus em meu auxílio.

R. Senhor, apressai-Vos em socorrer-me.

V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

R. Assim como era no princípio, agora e sempre, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Oração Preparatória


Ó Deus, que nos destes, no vosso grande servo São Francisco, um modelo sublime da imitação de Cristo, dai-me a graça de meditar, com o coração devoto e dócil, as suas excelsas virtudes, para que, movido pelo seu exemplo e ajudado pela vossa divina graça, comece seriamente a emendar a minha vida, fugir do pecado, praticar a virtude, e aspirar, decidida e constantemente, à perfeição cristã, a fim de que, sendo imitador de São Francisco aqui na terra, mereça ser, um dia, admitido à participação de sua glória no Céu. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.


Oração a São Francisco2


Glorioso Patriarca São Francisco, a quem o Senhor, por um prodígio de graças, se dignou tornar, desde o berço até à morte, uma viva imagem Sua, vós, que a Ele consagrastes todo o vosso coração e todo o vosso ser, e protestáveis desejar fazer por Ele, mediante o seu divino auxílio, obras cada vez maiores, dignai-vos, ó grande Patriarca dos pobres, lá dos Céus onde estais, lançar sobre nós a vossa bênção. Por aquele divino amor, que tanto vos abrasava, pelo qual pedíeis a Deus a graça de morrer por seu amor, como Ele tinha morrido pelo vosso, e pelo qual vos imprimiu as Suas cinco Chagas, lembrai-vos de nós. Rogai, ó grande Santo, pela Santa Igreja, da qual o Senhor vos quis fazer forte e inabalável coluna. Rogai à Virgem Santíssima da Conceição, à doce e excelsa Maria, poderosa protetora das Vossas três Ordens, que proteja o Sumo Pontífice, Chefe visível da Igreja, e alcance que essa Igreja triunfe sobre seus inimigos e, reunindo em seu seio os seus filhos, chame também a si todos aqueles que dela se acham extraviados; e igualmente os que ainda jazem nas trevas do paganismo, para que todos juntos cantemos no Céu eternamente as misericórdias do Senhor. Amém.



NONO DIA


São Francisco,

Admirável na sua Morte.


1ª Meditação. Admirável é Deus nos seus Santos”, diz a Sagrada Escritura.3 Estas palavras, que se aplicam aos Santos de Deus em geral, valem de um modo particular para o Santo Seráfico, admirável em toda a sua vida, mas principalmente, admirável na sua morte. A morte de São Francisco nada tinha de triste, nada de terrível, nada que nos pudesse despertar ideias desagradáveis: foi o sublime remate de uma vida toda sublime e admirável. Encerrando a Novena do Santo Seráfico, consideremos hoje, para nossa consolação e edificação, a morte admirável de São Francisco, como no-la descreve São Boaventura.


Por uma revelação divina, sabia São Francisco, com muita antecedência, a hora de sua morte. Conhecendo que o dia já não estava longe, pediu a seus irmãos que o levassem para o seu Convento predileto, o Convento da Porciúncula, perto de Assis, porque queria entregar seu espírito ao Criador ali, onde nascera sua Ordem e onde ele recebera de Deus os favores mais importantes e extraordinários. Assim chegou o dia 3 de Outubro de 1226.


Francisco sentia que este seria o último dia de sua peregrinação terrestre. Chamou à sua presença todos os seus irmãos e exortou-os, ainda uma vez, a que nunca se afastassem do caminho da virtude, honrassem e obedecessem sempre e humildemente à Santa Madre Igreja, e guardassem fielmente tudo quanto haviam prometido a Deus. Em seguida – espetáculo tocante! – apelando para as suas últimas forças, levanta-se o servo de Deus, despoja-se do seu hábito e deita-se, quase de todo despido, no chão duro, pois, como fora em vida, assim quis também na morte ser uma imagem, uma cópia fiel do Divino Salvador.


Imaginemos esse drama sublime: São Francisco, o Santo Seráfico, já próximo da morte, deitado no chão, paupérrimo, despido! A esta vista comovedora os irmãos presentes já não podiam conter as lágrimas, romperam todos em prantos e altos soluços. Um deles, porém, que era o guardião do Convento, e que bem conhecia os sentimentos do Pai Seráfico, levantou o hábito atirado a um canto, ofereceu-o a São Francisco, e mandou-lhe, pela virtude da santa obediência, que o aceitasse, ao menos como uma esmola. Cheio de alegria, aceitou-o assim o Santo, acostumado a obedecer sempre e cegamente. Feito isto, dirigiu-se, pela última vez, a seus irmãos que choravam inconsoláveis a perda iminente do pai querido. Com as mais ternas e carinhosas palavras consolou-os em sua dor, lançando-lhes, em seguida, a eles e a todos os seus filhos espirituais, de todo o mundo e de todos os tempos, a sua última bênção paternal.


Depois, sentindo aproximar-se a morte, mandou ler, em sua presença, a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, que sempre tinha meditado e venerado de um modo especial, com cuja recordação quis fortalecer-se também para o último combate. Enfim, já a expirar, entoou ele próprio, ainda com voz clara, o Salmo 141: “Voce mea ad Dominum clamavi – Com a minha voz clamei ao Senhor” – rezando-o com a devoção de um Anjo, até ao fim; e, tendo pronunciado o último verso: “Educ de custodia animam meam – Tirai do cárcere a minha alma, para dar glória ao vosso nome; estão me esperando os justos até que me deis a recompensa” – entregou o Santo Seráfico a sua alma cândida nas mãos do Criador, para penetrar no meio dos justos no Céu e receber a merecida recompensa, ao pôr do sol do dia 3 de Outubro de 1226, com 45 anos de idade.


No mesmo momento – narra São Boaventura – viu um dos irmãos a alma de São Francisco voando para o Céu, na forma de uma estrela brilhante, e ouviu-se de fora o canto alegre de numerosos passarinhos, “irmãos” queridos de São Francisco, que – parecia – que tinham acudido, a fim de abrilhantarem a morte de seu grande amigo. – Oh! Admirável, oh, invejável, oh, preciosa morte de São Francisco! Aqui, na verdade, devemos exclamar com a Sagrada Escritura: “Pretiosa in conspecta Domini mors sanctorum eius – Preciosa aos olhos do Senhor é a morte dos seus Santos.4 – Oh! Sim! Preciosa, preciosíssima, foi a morte de São Francisco, preciosíssima aos olhos de Deus, mas preciosíssima também aos olhos de todo o mundo.


Para comemorar a morte admirável de seu pai seráfico, realizam os filhos de São Francisco, todos os anos, à tarde do dia 4 de Outubro, a solene cerimônia do Transitus, isto é, da passagem de São Francisco, deste vale de lágrimas para as alegrias do Céu. Empunhando velas acesas, cantam, nesta ocasião, o mesmo Salmo cantado pelo Pai Seráfico na hora da morte: “Com a minha voz clamei ao Senhor, etc., e fazem orações fervorosas em honra do grande Pai, exaltado por Deus à glória celeste. Termina a tocante cerimônia com a bênção, dada com uma relíquia do Santo, a qual, em seguida, é apresentada ao povo para beijar.



2ª Meditação. Quem de nós não desejaria ter uma morte tão bela, tão santa, tão preciosa aos olhos do Senhor, como a teve São Francisco Seráfico? “Ah! – pensamos talvez – isto será impossível; pois ele era um santo, e quem sou eu, para morrer como ele?” Seria um erro pensar assim! Ainda que nem todos possamos alcançar uma virtude e uma morte tão santa como São Francisco, devemos, todavia, trabalhar e fazer todos os esforços, para termos, um dia, ao menos uma boa morte, porque da morte tudo depende; pois, de duas uma: ou a nossa morte será santa (na graça de Deus), e assim a passagem para uma eterna felicidade; ou então, ele será maldita (pelo pecado mortal), e a passagem para a eterna desgraça; não há meio termo! Verdade importantíssima!


Vivamos, pois, como São Francisco, e teremos também uma morte semelhante à sua! Sigamos São Francisco na sua vida santa, e segui-lo-emos também na sua bela morte!


E, para conseguirmos esta graça tão grande, rezemos frequentemente ao glorioso São Francisco, principalmente (amanhã) na sua festa, pedindo-lhe, de todo o coração, que interceda por nós junto ao trono de Deus, e nos ajude com o seu poderoso auxílio, a fim de que, tornando-nos seus imitadores, na vida e na morte, possamos também ser admitidos um dia entre o número de seus gloriosos filhos e devotos no Céu.


Oração


Ó Deus, quão admirável, quão preciosa aos vossos olhos foi a morte de vosso grande servo São Francisco! Quem dera ter uma morte semelhante à sua morte! Quem me dera sair, um dia, deste vale de lágrimas com a consciência tão tranquila, com o coração tão contente e alegre, como São Francisco! Ó meu Deus! Pela vida santa e pela morte preciosa de vosso servo, eu Vos peço e suplico, do íntimo do coração, que me deis a graça de uma boa morte!


Ajudai-me a perseverar nos meus propósitos, todos os dias da minha vida, na felicidade e na desgraça, na saúde e na doença, na alegria e na tribulação, até ao último suspiro; para que então possa, como São Francisco, expirar, qual digno discípulo e imagem de Jesus, na vossa graça e no ósculo da paz.




Oração Final


Glorioso São Francisco, imagem fiel de Jesus e Serafim de amor, eis-me aqui mais uma vez aos vossos pés, para vos louvar e bendizer, e para pedir a vossa poderosa intercessão. Do íntimo do coração vos agradeço, no fim desta Novena, todos os benefícios e graças que me alcançastes. Mais uma vez renovo a firme resolução de ser sempre vosso devoto e vosso discípulo, imitando as vossas virtudes e caminhando, como vós, nas pegadas do divino Salvador. Proponho principalmente, a vosso exemplo, morrer para o mundo, para Satanás e para mim mesmo, para que, imitando-vos na vida, possa esperar ser-vos semelhante na morte. Ajudai-me, grande São Francisco, e alcançai-me a graça de ser fiel a Deus até ao último suspiro. E, quando soar a hora da minha morte, ah, glorioso Patriarca, não me abandoneis, mas assisti-me também no derradeiro combate, para que a minha morte, à semelhança da vossa, seja santa e bem-aventurada, o trânsito feliz deste desterro para a eterna pátria. Amém.


*Rezar 5 Pai Nossos, Ave Marias e Glória ao Pai, em honra das Cinco Chagas de São Francisco de Assis.




Ladainha de São Francisco de Assis

(Para uso Privado)


Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, tende piedade de nós.

Senhor, tende piedade de nós.


Jesus Cristo, ouvi-nos.

Jesus Cristo, atendei-nos.


Deus Pai do Céu, tende piedade de nós.

Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós.

Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.

Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.


Santa Virgem imaculada, rogai por nós.

São Francisco Seráfico, rogai por nós.

São Francisco, pai sapientíssimo, rogai por nós.

São Francisco, pai dos pobres, rogai por nós.

São Francisco, que desprezastes o mundo, rogai por nós.

São Francisco, espelho da penitência, rogai por nós.

São Francisco, vencedor dos vícios, rogai por nós.

São Francisco, zeloso imitador de Cristo, rogai por nós.

São Francisco, com as Chagas de Jesus adornado, rogai por nós.

São Francisco, amante da pobreza, rogai por nós.

São Francisco, mestre da obediência, rogai por nós.

São Francisco, espelho puríssimo da castidade, rogai por nós.

São Francisco, norma da humildade, rogai por nós.

São Francisco, pai rico de graças, rogai por nós.

São Francisco, caminho dos que erram, rogai por nós.

São Francisco, auxílio dos enfermos, rogai por nós.

São Francisco, coluna da Igreja, rogai por nós.

São Francisco, protetor da fé, rogai por nós.

São Francisco, herói valente de Cristo, rogai por nós.

São Francisco, baluarte dos que pelejam, rogai por nós.

São Francisco, escudo inexpugnável, rogai por nós.

São Francisco, martelo dos hereges, rogai por nós.

São Francisco, apóstolo dos infiéis, rogai por nós.

São Francisco, sustentáculo dos fracos, rogai por nós.

São Francisco, ressuscitador dos mortos, rogai por nós.

São Francisco, saúde dos leprosos, rogai por nós.

São Francisco, seráfico do mais ardente amor, rogai por nós.


Cordeiro de Deus, que tirais o pecado mundo, perdoai-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.


Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.


V. Rogai por nós, São Francisco de Assis.

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.


Oremos: Deus onipotente, cuja providência governa tudo, ouvi a oração de vossos servos e fazei com que, celebrando devotamente a memória do glorioso confessor vosso, sejamos dignos de contemplar a glória do vosso Filho Unigênito, que convosco vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.




Oração de São Francisco,

para obter o perfeito amor.


Santíssimo Senhor Jesus Cristo, instantemente Vos peço, que a ardente e suave força de vosso Amor, demova o meu coração de todo o afeto das coisas que estão abaixo do Céu; a fim de que, eu deseje morrer por amor de Vós, como Vós, Vos dignastes morrer por meu amor. Amém.




_______________________

1.  “Novena em Honra de São Francisco de Assis”, por Fr. Júlio Janssen, O.F.M., pp. 77-86 e 87-89. 5ª Edição, Editora Vozes, Petrópolis/RJ, 1935.

2.  Indulgenciada.

3.  Psal. 67, 36.

4.  Psal. 115, 5.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...