Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Oração Indulgenciada aos Santos Apóstolos, Pedro e Paulo.


Ó Santos Apóstolos Pedro e Paulo, eu N., vos escolho hoje e para sempre pelos meus especiais Protetores e Advogados; e humildemente me alegro assim convosco, ó glorioso São Pedro, Príncipe dos Apóstolos, por serdes aquela Pedra, sobre a qual Deus edificou a sua Igreja; como convosco, ó Bem-aventurado São Paulo, escolhido por Deus para vaso de eleição e Pregador da verdade no mundo universo. Eu vos rogo que me alcanceis viva Fé, firme Esperança, e Caridade perfeita, total desapego de mim mesmo, desprezo do mundo, paciência nas adversidades e humildade nas prosperidades, atenção na oração, pureza de coração, reta intenção nas obras, diligência no cumprimento das obrigações do próprio estado, constância nos propósitos, resignação na vontade de Deus, e perseverança na divina Graça até à morte, para que, mediante a vossa intercessão e gloriosos merecimentos, vencidas as tentações do mundo, do Demônio e da carne, eu me torne digno de aparecer na presença do Supremo e Eterno Pastor das Almas, Jesus Cristo, que com o Pai, e com o Espírito Santo, vive e reina por séculos de séculos, para o gozar e amar eternamente. Amém.


Pai Nosso, Ave Maria, e Glória ao Pai.



Fonte: "Manual das Missões e Devocionário Popular", por um Presbítero da Congregação das Missões, p. 665-666. Editores Católicos Benziger & Cia., Einsiedeln/Suíça, 1908.


Comemoração de São Paulo, Apóstolo.


Depois de sublinhar as prerrogativas de São Pedro, a Santa Igreja, que nunca separa a comemoração dos dois Apóstolos, recorda-nos hoje o papel particularíssimo que São Paulo desempenhou na conversão dos gentios (Epístola, Gradual, Aleluia). Não esqueçamos, que devemos a São Paulo, além da expansão do Evangelho por todo o mundo romano, as exposições magnífica de doutrina, que formam quase todas as Epístolas das Missas.


Ó Apóstolo São Paulo, pregador da verdade, doutor das gentes, intercedei por nós junto de Deus que te escolheu”.


V. Tu és vaso de eleição, ó Apóstolo São Paulo.

R. Pregador da verdade no mundo todo.


Oremos: Ó Deus, que instruístes o mundo inteiro com a palavra do Bem-aventurado Apóstolo Paulo, fazei que celebrando a sua memória, sintamos os efeitos da sua proteção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo… Amém.



Fonte: “Missal Cotidiano e Vesperal”, por Dom Gaspar Lefebvre, O.S.B., 30 de Junho, pp. 1451-1454. Desclée de Brouwer & Cie, Bruges/Bélgica, 1952.


segunda-feira, 28 de junho de 2021

São Pedro, Apóstolo. (A.D. 42-67)


São Pedro era um pobre pescador da Galileia. Chamava-se Simão. Filho de Jonas, da tribo de Neftali, nasceu em Betsaida, às margens do rio Jordão, junto ao lago de Genesaré. Ignora-se a data de seu nascimento. Tinha família, e uma vez Jesus curou-lhe a sogra. Seu irmão André era discípulo de João Batista, mas, ao ver Jesus, correu logo a chamar o irmão, a quem o Salvador trocou o nome de Simão em Cefas, que significa Pedra.1


Ao depois, foi-se confirmando o primado de Pedro, que, em muitas ocasiões, será por Jesus distinguido dos demais Apóstolos.


Assim, é da barca de Pedro que Jesus evangeliza a multidão no litoral. É a Pedro que Ele dá ordem de lançar a rede para a pesca milagrosa. È a Pedro que Ele sustém sobre as ondas. A Pedro dirigiu Ele estas frases divinamente majestosas: “Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja, e as portas (poderes) do Inferno não prevalecerão contra Ela. E dar-te-ei as chaves dos Céus, e o que ligares sobre a terra será ligado também nos Céus, e o que desligares sobre a terra será desligado também nos Céus”.2 A Pedro foi confiada pelo Mestre a missão de apascentar os cordeiros e as ovelhas3 e a missão de confirmar seus irmãos na fé.4 Somente Simão Pedro teve prerrogativas especiais, pessoais.


Pelo que, o Príncipe dos Apóstolos, logo depois da Ascensão do Senhor, principia a exercer em tudo a sua autoridade suprema. Ainda no Cenáculo, levanta-se e faz a primeira alocução pontifical à assembleia, para a nomeação de São Matias ao posto de Judas Iscariotes. No dia memorável de Pentecostes, ele, por primeiro, fala à multidão, convertendo milhares de pessoas. Indo com João ao templo, cura um aleijado, opera conversões inúmeras. Preso, defende com assombrosa coragem o nome de Cristo e a Igreja nascente. Lança a pena de excomunhão contra o primeiro heresiarca, Simão Mago. Uma visão celeste leva-o a atravessar as fronteiras, até então intransponíveis, do Judaísmo, acolhendo os “Gentios”, indo de Jafa a Cesareia para batizar a família do centurião Cornélio. Preso por Herodes, “toda a Igreja reza sem interrupção por ele” e um Anjo o livra. São Paulo, convertido, procura-o.5 É São Pedro quem, por primeiro, fala no 1º Concílio em Jerusalém… Sempre e por todos, ele é considerado e em tudo se conduz como Chefe Supremo da Igreja.


Residiu sete anos em Antioquia. A Tradição diz que São Pedro governou a Cristandade, em Roma, por 25 anos, desde o ano 42. Na então capital do mundo pagão, o humilde pescador da Galileia converteu ingente número de almas, ganhando os corações com sua bondade e alicerçando a brilhante Igreja de Roma, já tão célebre em sua vida, como o atesta Paulo em sua Epístola ao Romanos.


Há muitas piedosas recordações de São Pedro em Roma: Sua prisão, com São Paulo, no cárcere Mamertino; a Capela da Separação, onde os dois Apóstolos se despediram para o martírio; a milagrosa fonte em que batizara seus carcereiros São Processo e São Martiniano, etc…


Mais conhecida a igreja do Quo Vadis. Contam que, a instâncias dos cristãos, Pedro fugia de Roma, quando lhe apareceu Jesus. À pergunta do discípulo: Quo vadis, Domine? (aonde vais, Senhor?) o Mestre respondeu: “Morrer com minhas ovelhas”. Pedro compreendeu, voltou e sofreu o martírio na perseguição feroz de Nero, o qual, segundo diz o pagão Tácito, injustamente responsabilizara os cristãos pelo colossal incêndio de Roma (que durou nove dias) e os tratou com espantosa crueldade.


São Pedro e São Paulo foram martirizados aos 29 de Junho do ano 67. O convertido Saulo, por ser cidadão romano, foi decapitado. São Pedro, condenado à cruz, rogou que o crucificassem de cabeça para baixo, por se julgar indigno de morrer da mesma forma que seu Mestre, a quem negara um dia… Foi sepultado no monte Vaticano, e seu sepulcro obteve, desde os primeiros séculos, grande veneração – sancionada pelo imperador Constantino Magno, que ali erigiu magnífica basílica.


A glória desse sepulcro aumentou de século em século, porque a primazia de Pedro passou a seus Sucessores, visto como Jesus Cristo prometeu ficar com a sua Igreja até a consumação dos séculos, visto como os Sucessores de Pedro exerceram a mesma autoridade, visto como, a este respeito, a Tradição tem sido sempre unânime e universal. Pelo que a Igreja de Roma foi constantemente, e continua a ser, chamada a Cátedra de Pedro, a Sé Apostólica, a Cabeça da Igreja universal.


O Bispo de Roma é pois o Sumo Pontífice, o Papa (pai), o legítimo Sucessor de Simão Pedro, o Chefe visível de toda a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.


Na Idade Média, após ter salvo das trevas dos Bárbaros a civilização cristã – indiscutivelmente a melhor civilização – a Roma de Pedro tornou-se o centro da História da Humanidade. Ainda hoje, sobre o túmulo do Príncipe dos Apóstolos, a imensa cúpula de Miguelângelo encerra, na maior igreja do mundo, vinte séculos de fé invicta, de lutas pelo Bem e de vitórias para Deus. “Tu es Petrus…”



Fonte: Rev. Pe. Iran Corrêa, S.D.B., “Biografias dos Papas – Guardiães Vigilantes dos Textos Sagrados Através dos Séculos”, 29 de Junho, pp. 12-15. Editora das Américas, São Paulo/SP, 1952.



Tu és o Pastor das ovelhas, ó Príncipe dos Apóstolos. Foram entregues a ti as chaves do Céu”. (Ant. de Magnificat)


______________________

1 Jo. 1, 36-42.

2 Mt. 16, 13-19.

3 Jo. 21, 15-17.

4 Lc. 22, 31-32.

5 Gál. 1, 18.


domingo, 27 de junho de 2021

Meditação Para o Dia da Festa, de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Louvor a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro


Minha alma, considera quão célebres e magníficos são neste dia os louvores à Virgem do Perpétuo Socorro. Seu Nome ecoa por todo o orbe e como o Nome, repetem-se também seus louvores de uma a outra extremidade da terra.

O culto de Nosso Senhora do Perpétuo Socorro está já dilatado por toda a parte. Como em todos os lugares há misérias a aliviar, apenas se ouve o suave Nome de Mãe do Perpétuo Socorro os corações se lhe inclinam. Por isso, mal foi revelado ao mundo, já se tem feito o objeto de apreço, amor e veneração de todos: “Percorrei os dilatados confins do orbe, achareis por certo cidades sem muralhas, sem palácios, sem letras, sem leis, sem monarcas; porém, cidades sem templos, sem altares, sem Sacrifícios não n’as procureis: jamais se encontrou nem se encontrará”. Estas mesmas palavras podemo-las nós aplicar, em certo modo, à celebridade de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Cruzai as extensões imensas do orbe católico, dai a volta ao novo e velho mundo se quereis verem quantas ciladas, vilas e aldeias se profere, com terno afeto, este doce Nome. As almas justas e os pecadores amam-no e vão após o suave aroma do perfume que se exala do Nome Mãe do Perpétuo Socorro e ao experimentar os doces efeitos do seu maternal socorro, não podem deixar de encontrar suas bondades e virtude miraculosa.

Neste dia, principalmente, consagrado ao culto e veneração de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em mais de mil santuários se ouvem fervorosos hinos de glória, que seus devotos lhe entoam e em outros tantos a voz do orador sagrado que publica os seus prodígios. Em Roma, na Áustria, na França, na Bélgica, na Espanha e Portugal e nas restantes nações católicas a Sagrada Imagem de Maria é levada em triunfo em meio de círios, flores, cânticos e preces mudando-se, por tal modo, a festa que lhe dedica a Igreja Militante em perene triunfo destas Associações, Congregações e Confrarias piedosas, que A tem tomado por especial Padroeira; as famílias que A veneram em seus oratórios e as que apenas possuem uma humilde imagem a honram hoje com duplicado fervor e unem sua voz ao universal concerto, que por toda a parte exalta a Mãe do Perpétuo Socorro.

Quantos milhões e milhões de vozes não sobem neste dia ao trono desta celestial Rainha!

Prorrompe, pois, também tu, minha alma, em hinos de louvor e ações de graças a tão divinal benfeitora. Consola-te de A ver tão conhecida, tão amada, tão louvada; endereça-lhe as palavras que Ela própria cantou no transporte da sua maior alegria, dizendo – Alma minha, engrandece a tua Senhora; e tu, meu espírito, alegrar-te-ás n’Aquela que é meu socorro perpétuo em todas as necessidades. Ela vê compadecida todas as minhas misérias e me trás o oportuno remédio. Grandes coisas me têm feito Aquela cujo socorro é Onipotente, cujo Nome faz dilatar-se meu coração. A sua misericórdia estende-se a todas as necessidades nossas. Eis porque a engrandecem todas as gerações.

Sim, Mãe do Perpétuo Socorro, não há entre nós quem em Vós não confie, quem em Vós não haja posto suas esperanças, quem não Vos dirija suas súplicas, quem de Vós não espere pronto e oportuno remédio. Por isso, dentre a inumerável multidão de fiéis que Vos conhecem, deixe somente de pregar neste dia a clemência e de engrandecer o poder de vosso socorro maternal, aquele que com verdade possa dizer que depois de o ter invocado em suas necessidades não o alcançou. Ó dulcíssima, se neste vale de lágrimas já temos tanto prazer em louvar-Vos, qual não será nosso regozijo no Céu, vendo-nos reunidos cantando vossos louvores com os Anjos e os Santos, pelos séculos dos séculos. Amém.


___________________

Fonte: Manual do Devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por um Padre Redentorista, pp. 437-440. 4ª Edição, Estabelecimentos Benziger & Co., S.A., Editores Tipográficos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1899.


Bênção das Rosas de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. 2021-06-27

Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


In me omnis spes vitae et virtutis”

Em mim há toda a esperança da vida e da virtude”1


1º Ponto

Entre os muitos títulos sob os quais os fiéis honram Maria Santíssima, uma dos mais gloriosos para Ela e dos mais consoladores para nós, é o que Ela mesma se atribuiu, de Mãe do Perpétuo Socorro. – Dando-lhe o nome de Mãe, exaltamos a sua dignidade incompreensível, reconhecendo-A pela verdadeira Mãe de Deus, e, por conseguinte, pela Rainha do universo, a cujo nome se inclinam o Céu, a terra e o Inferno. – Não somente confessamo-lA Mãe de Deus, mas também Mãe nossa; porquanto, dando a vida temporal a Jesus, nosso Irmão Primogênito, comunicou-nos ao mesmo tempo a vida de graça, pela parte que teve na grande obra da Redenção, tornando-se Co-redentora do gênero humano.

Acrescentando ao nome de Mãe as palavras do Perpétuo Socorro, exaltamos o poder ilimitado com que a enriqueceu o Senhor, e a misericórdia inesgotável de que transborda o seu terníssimo Coração. O Pai Eterno constituiu Maria depositária dos merecimentos infinitos de Jesus Cristo, e decretou que nenhuma graça seja dispensada aos homens sem que passe pelas mãos de Maria. Por sua vez a divina Mãe demonstrou e continua a demonstrar que não há nem tempo, nem lugar, nem circunstância em que não esteja disposta a correr em auxílio daqueles que A invocam como Mãe do Perpétuo Socorro.

Numa palavra, este belo título é o resumo de todas as glórias de Maria e de todas as consolações do homem; pois que, não há nele palavra que não encerre uma das mais belas prerrogativas da Virgem e uma das mais belas esperanças do homem. Felizes de nós, se lhe formos sempre devotos!

2º Ponto

Se ainda não o fizeste, meu irmão, coloca-te sob a proteção de Maria, Mãe do Perpétuo Socorro, e alista-te na Pia Arquiconfraria erigida em sua honra.2 Não sejas, porém, do número daqueles confrades que se contentam em darem o seu nome; mas cuida em observar as práticas de devoção. – Portanto, recorre à Mãe do Perpétuo Socorro em todas as tuas necessidades; procura imitar as suas virtudes, e honra de modo particular a Santo Afonso, elegendo-o teu advogado especial junto à Rainha do Céu. Afinal, empenha-te em promover nos outros, com palavras e exemplos, esta devoção, como sendo um meio eficacíssimo para obter de Deus os favores mais assinalados e alcançar com certeza a salvação eterna.

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, Vós sois a Dispensadora de todas as graças que Deus nos concede, a nós pobres e miseráveis. Se Ele Vos fez tão poderosa, tão rica e tão benigna, foi para que nos assistais nas nossas misérias. Sois Vós a Advogada dos mais miseráveis e desamparados pecadores que a Vós recorrem; socorrei-me, pois, a mim que a Vós me recomendo. Nas vossas mãos ponho o negócio da minha salvação, entrego-Vos a própria alma. Aceitai-me no número dos vossos servos prediletos; acolhei-me debaixo da vossa proteção, e dou-me por satisfeito; porque, se Vós me socorreis, nada temo. Não temo os meus pecados, porque Vós me obtereis o perdão; não temo o Demônio, pois Vós sois mais poderosa que todo o Inferno; não temo o meu próprio Juiz, Jesus Cristo, porque uma só súplica vossa basta para reconciliá-lo. O que só temo é, por minha negligência esquecer de Vos invocar e assim perder-me. Alcançai-me, Senhora minha, o perdão dos pecados, o amor a Jesus Cristo, a perseverança final, e a de recorrer sempre a Vós, ó Mãe do Perpétuo Socorro.3

E Vós, ó Deus Onipotente e Misericordioso, que nos destes vossa Mãe Maria, cuja imagem insigne veneramos, como Mãe do Perpétuo Socorro, concedei-nos propício, que implorando assiduamente a sua proteção maternal, mereçamos conseguir sempre os frutos da vossa Redenção.4 Amém.



Fonte: “Meditações para Todos os Dias e Festas do Ano – Tiradas das Obras Ascéticas de Santo Afonso Maria de Ligório, Bispo e Doutor da Santa Igreja”, pelo Pe. Thiago Maria Cristini, CSsR, Tomo Segundo, pp. 343-346. Herder & Cia. Livreiros-Editores Pontifícios, Friburgo em Brisgau, Alemanha, 1921.


_______________________

1.  Eclo. 24, 25.

2.  Esta Arquiconfraria existe em quase todas as igrejas dos Padres Redentoristas.

3.  Indulg. de 100 dias.

4.  Or. festi.


sábado, 26 de junho de 2021

Novena em Honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. (9º Dia)


Ato de Contrição


Meu Senhor Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador, Pai e Redentor meu! Eis a vossos pés um pobre pecador, que muito tem entristecido o vosso amante Coração. Ai amável Jesus! Como pude eu ofender-Vos e encher de amargura esse Coração que tanto me ama e que nada omitiu para conseguir que O amasse? Quão grande foi a minha ingratidão! Mas, ó Salvador meu! Consolai-Vos, consolai-Vos, dir-Vos-ei, porque agora estou arrependido: tanta dor sinto pelos desgostos que Vos tenho causado, que quereria morrer de contrição. Oh! Meu Jesus, quem me dera chorar o pecado, como Vós na vida mortal o soubestes chorar! Pesa-me na alma de Vos ter ofendido, Eterno Pai, em satisfação de minhas culpas, Vos ofereço a pena e a dor que por elas sentiu o vosso divino Filho.

Vós, oh amante Jesus! Dai-me tal horror ao pecado que para o futuro me faça evitar até as mais leves faltas. Longe de meu coração os afetos terrenos: já quero só amar ao meu bondoso Redentor. Oh! Meu Jesus, ajudai-me, fortalecei-me e perdoai-me.

Minha Mãe do Perpétuo Socorro, intercedei por mim e obtende-me o perdão dos meus pecados. Amém.

Oração Preparatória

para todos os dias

Oh! Santíssima Virgem Maria, que, para inspirar-nos uma ilimitada confiança, quisestes tomar o dulcíssimo nome de Mãe do Perpétuo Socorro, eu Vos suplico me socorrais em todo o tempo e lugar; em minhas tentações, nas minhas recaídas, dificuldades, e misérias e mais que tudo à hora da morte. Concedei-me, ó amantíssima Mãe, o pensamento e o costume de recorrer sempre a Vós; porque estou certo de que sendo eu fiel em invocar-Vos, Vós mais o sereis em socorrer-me. Obtende-me pois, esta que é a maior das graças, recorrer a Vós sem cessar e sempre com confiança de filho, a fim de que, em virtude da minha constante súplica mereça vosso perpétuo socorro e a perseverança final.

Dai-me, ó terna e cuidadosa Mãe, a vossa bênção, e rogai por mim agora e na hora de minha morte. Assim seja.

Nono Dia

Consideração: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro auxilia no Purgatório os seus devotos.

A misericórdia de Maria não se exerce só além dos umbrais da eternidade ou do tribunal de Jesus Cristo: não: que este socorro é perpétuo. Com solicitude maternal continua a favorecer-nos até nos ver a seu lado na glória. Esta Mãe piedosa socorre a seus devotos, não só em todas as necessidades da vida e da morte mas também no Purgatório. Como as almas ali detidas necessitam de maior auxílio, por serem mais atormentadas e não poderem aliviar-se a si próprias, esta Rainha de misericórdia ocupa-se mais eficazmente em socorrê-las. As almas sentem principalmente alívio só com ouvir pronunciar-lhe o Santíssimo Nome e sentem consolação pensando que o socorro d’Aquela sua Mãe é perpétuo e como tal se estende também àquela prisão horrorosa.

Um dia disse Jesus, como Santa Brígida ouviu: “Tu és minha Mãe, Mãe de misericórdia, consolação dos que se acham no Purgatório”, e a Bem-aventurada Virgem disse a mencionada Santa, que assim como a um pobre enfermo, aflito e abandonado em seu leito de dor, lhe são comprazíveis as palavras de consolação que se lhe dirigem, assim também aquelas almas experimentam consolo somente ouvindo pronunciar seu Nome.

Este Nome é para seus filhos queridos de grande alívio naquele cárcere para os que O invocam com frequência e a amorosa Mãe ouvindo esta invocação proporciona-lhes seu maternal socorro; depois endereça a Deus os rogos com que as ditas almas são socorridas e ficam refrigeradas, como com celestial orvalho, em seus grandes sofrimentos.

Além do mais, como Rainha Soberana, exerce naquela prisão seu domínio e plenipotência tanto para aliviar prisioneiras almas do Purgatório dos tormentos que as afligem como para as livrar deles.

E quanto a este alívio, São Bernardino de Sena aplicando a este nosso assunto as palavras do Eclesiástico: “Passei-me pelas ondas do mar” diz, isto é, visitando e socorrendo as necessidades e penas dos meus devotos que são meus filhos.

Chamam-se ondas as penas do Purgatório, acrescenta o referido Santo, porque são transitórias para se distinguirem das do Inferno que nunca passam e chamam-se ondas do mar por serem muito amargos. Afligidos com estas penas os devotos de Maria são frequentemente socorridos e visitados por Ela.

A própria Virgem Santíssima revelou a Santa Brígida, que Ela era Mãe de todas as Almas do Purgatório, porque todas as penas que merecem pelas culpas que cometeram durante a vida vão-se mitigando, de um instante para outro, por seus rogos. Esta piedosa Mãe não se dedigna em baixar por vezes aquele cárcere bendito para visitar e consolar suas afligidas filhas.

Quanto importa, pois, dedicar-se ao culto desta bondosa Rainha, pois que não se esquece de seus devotos nas purificadoras chamas do Purgatório.

Mas não é só consolar, socorre e visita Maria a seus filhos no cárcere da expiação, mas por vezes tira-se de lá para os levar ao Céu. No dia de sua gloriosa Assunção, diz uma piedosa tradição, fica vazio o Purgatório, porque Maria tinha pedido a Jesus Cristo e d’Ele conseguido levar consigo para a glória todas as almas que gemiam então naquele lugar onde o fogo purifica de toda a mácula e é de crer que com seus rogos e súplicas têm o singular privilégio de libertar, como lhe aprouver, as Almas do Purgatório e especialmente as de seus filhos mais devotos. Sede, pois, devotos sinceros desta terna Mãe para experimentardes também os doces efeitos de seu maternal socorro, quando estiverdes no Purgatório. Pedi-lhe ainda mais que vos alcance a graça de fazerdes antes de morrer um ato tão perfeito de amor que possais voar ao Céu sem passar pelas chamas purificadoras do Purgatório.

Pedido: Medite-se e peça-se aquilo que mais se deseja alcançar da valiosa proteção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Gozos


Vendo que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


Virgem Imaculada

Vendo que mal nos vai

Vinde sereis louvada

Por filhos de bom Pai.


Socorro permanente

Se sois, querida Mãe,

Ouvi-nos Mãe clemente,

Os filhos consolai.


A fronte inclino e choro,

Remorso na alma vai

Aos vossos pés imploro

Perdão, Virgem, m’o alcançai.


Livrai-nos da tibieza,

Desse fervor nos dai

Que eleva com presteza

Ao Céu donde ele sai.


De padecer cansado

Neste vale, onde vai

Vos pede um desterrado,

Seu peito consolai.


Se a minha fé declina

E na tormenta vai

Estrela matutina

Vinde m’a alentai.


Se vosso fiel amante

Tremendo vês que vai

Nas ondas vacilante

Seus passos segurai.


Vós, Virgem, da fraqueza

Meu peito me livrai,

Alento e fortaleza

Vós vinde e me inspirai.


Na luta derradeira

Perto de mim estás

Clemente mui fagueira

Amante como Mãe.


Lá na prisão do fogo

Virgem me visitai,

Tira-me de lá logo

Convosco me levai.


Que cante em vida e morte

Vós, Virgem, me inspirai,

Para delícia e sorte,

Vossos louvores, Mãe.


Vinde, que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


N.B. Esta quadra deve repetir-se no fim de cada uma das precedentes.


Oração Jaculatória

Ó Mãe do Perpétuo Socorro! Tende piedade das Almas do Purgatório e em especial das que Vos foram mais devotas.

Obséquio

Ouvir Missa e comungar em honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, pelas Almas do Purgatório.

Oração

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, Vós que jamais abandonais vossos filhos e os socorreis perpetuamente na vida, na morte, e até no Purgatório, vede a vossos pés um pobre pecador, que à Vós recorre e em Vós confia. Muitos e graves são os pecados que tenho cometido; espero, Mãe minha, que já me tenham sido perdoados mas não sei se faria por eles a devida penitência; o mais provável é que tenha de acabar de os expiar no Purgatório. Ah! Se tal for a minha sorte, não deixeis de me visitar naquela terrível prisão! Consolai-me então e aliviai minhas penas.

Finalmente, sede o meu perpétuo socorro até ver-me no Céu louvando-Vos e cantando vossas misericórdias por toda a eternidade. Amém.

Exemplo

(Áustria – 1876) – Uma mulher temente a Deus, tinha um filho de mau caráter e de costumes péssimos. Aos bons conselhos maternais costumava responder: “Sei o que hei de fazer”. Um dia sua mãe cheia de confiança fez uma peregrinação à Catzelsdorf, que ficava distante 4 léguas, de difícil caminho a um Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Apenas chegou ante o altar da Virgem ajoelhou e orou por longo tempo pedindo com lágrimas a conversão do filho. Por aquele tempo, ele, que ficara em casa, começou a sentir mudar-se-lhe repentinamente o coração com uma grande confiança n’Aquela que é refúgio dos pecadores. Tornou a boa mãe para seu lar, relatou o que vira e ouvira e falou da emoção que sentira na presença da Santa imagem, o que ouvindo o filho pródigo não pode resistir à graça e tomou a resolução de fazer o mais depressa possível a mesma peregrinação. Cumpriu-a só e sem que a mãe o soubesse. Nossa Senhora terminou a obra que havia começado outorgando ao infeliz jovem em recompensa daquele ato de virtude a graça de uma profunda contrição e sincera confissão. Reconciliado com Deus comungou e regressou a sua casa.

Felizmente não foi surdo à voz de Deus, pois, em breve foi vítima de um triste acidente e morreu repentinamente. A pobre mãe ignorava a conversão do filho, por isso, qual não seria a mágoa e a inconsolável dor que sentiu julgando que ele morrera nos pecados de outrora e dia e noite chorava sem cessar.

Mas a Virgem que salvara o filho pecador, não deixou a mãe sem consolação, pois uma noite viu em sonhos o seu filho que estava no Purgatório e do meio das chamas estendia os braços dizendo: “Minha mãe! Minha mãe, não estou condenado! Devo padecer horrivelmente neste lugar, por isso, vo-lo suplico, ide em peregrinação a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Catzelsdorf”.

Mal acordou sem preocupar-se com suas ocupações , a pobre mulher dirigiu-se ao dito Santuário.

Prostrada aos pés da Virgem, depois de receber a Sagrada Comunhão, fervorosamente orava pelo filho defunto. Ali soube por seu Confessor o que ainda ignorava: que poucos dias antes viera ali também seu filho orar à milagrosa imagem e que não voltara para casa sem reconciliar-se com Deus, recebendo os Sacramentos, preparando-se assim para a morte. Ela ouvindo tão fausta notícia, transformou-se-lhe em alegria a sua antes vivíssima dor, louvando e bendizendo a misericordiosa Mãe e repetindo por toda a parte as maravilhas de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


____________________

Fonte: Manual do Devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por um Padre Redentorista, pp. 431-437. 4ª Edição, Estabelecimentos Benziger & Co., S.A., Editores Tipográficos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1899.


sexta-feira, 25 de junho de 2021

Novena em Honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. (8º Dia)


Ato de Contrição


Meu Senhor Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador, Pai e Redentor meu! Eis a vossos pés um pobre pecador, que muito tem entristecido o vosso amante Coração. Ai amável Jesus! Como pude eu ofender-Vos e encher de amargura esse Coração que tanto me ama e que nada omitiu para conseguir que O amasse? Quão grande foi a minha ingratidão! Mas, ó Salvador meu! Consolai-Vos, consolai-Vos, dir-Vos-ei, porque agora estou arrependido: tanta dor sinto pelos desgostos que Vos tenho causado, que quereria morrer de contrição. Oh! Meu Jesus, quem me dera chorar o pecado, como Vós na vida mortal o soubestes chorar! Pesa-me na alma de Vos ter ofendido, Eterno Pai, em satisfação de minhas culpas, Vos ofereço a pena e a dor que por elas sentiu o vosso divino Filho.

Vós, oh amante Jesus! Dai-me tal horror ao pecado que para o futuro me faça evitar até as mais leves faltas. Longe de meu coração os afetos terrenos: já quero só amar ao meu bondoso Redentor. Oh! Meu Jesus, ajudai-me, fortalecei-me e perdoai-me.

Minha Mãe do Perpétuo Socorro, intercedei por mim e obtende-me o perdão dos meus pecados. Amém.

Oração Preparatória

para todos os dias

Oh! Santíssima Virgem Maria, que, para inspirar-nos uma ilimitada confiança, quisestes tomar o dulcíssimo nome de Mãe do Perpétuo Socorro, eu Vos suplico me socorrais em todo o tempo e lugar; em minhas tentações, nas minhas recaídas, dificuldades, e misérias e mais que tudo à hora da morte. Concedei-me, ó amantíssima Mãe, o pensamento e o costume de recorrer sempre a Vós; porque estou certo de que sendo eu fiel em invocar-Vos, Vós mais o sereis em socorrer-me. Obtende-me pois, esta que é a maior das graças, recorrer a Vós sem cessar e sempre com confiança de filho, a fim de que, em virtude da minha constante súplica mereça vosso perpétuo socorro e a perseverança final.

Dai-me, ó terna e cuidadosa Mãe, a vossa bênção, e rogai por mim agora e na hora de minha morte. Assim seja.

Oitavo Dia

Consideração: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro ampara seus devotos na hora da morte.

Considera que ainda que em todo o tempo e circunstância o homem precisa do benigno Socorro de Maria, nunca tanto carece dele como na angustiosa hora da morte, que é por certo o momento de mais tremenda provação. Terríveis, sim, muito terríveis são os padecimentos dos agonizantes. Tudo se conspira para tornar temerosos aquele instante: a recordação dos pecados cometidos, o temor dos incompreensíveis juízos de um Deus ofendido, a incerteza da eterna salvação, tudo, tudo. Então, de modo especial arma-se o Inferno e envida todos os esforços para se apoderar daquela alma que vai passar para a eternidade, pois, sabe que pouco tempo lhe resta antes de ser julgada e que se não o aproveitar para a perder será salva.

Por isso, o espírito maligno, acostumado a tentá-la em vida não se contenta com a tentar ele na hora da morte, mas chama também a seus companheiros para o ajudarem. Dizem que estando para morrer Santo André Avelino, dez mil Demônios se ajuntaram em sua cela para o tentar.

Mas se naquela hora tivermos a nosso favor o poderosíssimo socorro de Maria, quem poderá vencer-nos? E como poderá esta bondosa Mãe negar-nos seu socorro se formos perseverantes em lh'o pedir? Ela mesma revelou a Santa Gertrudes que concede a seus devotos no momento da morte tantos socorros quantas às vezes que na vida a invocaram.

Meu irmão, quão ditoso será ao morrer se te encontrares preso pelos laços do amor a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, laços são estes de salvação e de eterna glória! E tem sempre em conta que Aquela terna Mãe não sabe abandonar seus devotos naquele transe supremo. É Mãe do Perpétuo Socorro e como os protegeu no tempo do desterro, também se mostra deles doce protetora à hora da morte, tornando-a venturosa.

Primeiro que tudo, mostrando-se digna de suavíssimo nome que tem, envia o Príncipe São Miguel com todos os Anjos em socorro de seus moribundos para bem os defender das ciladas do Demônio e para receberem as almas dos que continuamente se encomendaram a Ela.

Não se dá por satisfeita enviando os Anjos para socorrer seus devotos; mas Ela mesma vem assisti-los nos últimos momentos. Desde que um dia teve a sorte e ao mesmo tempo sentia a dor de assistir à morte do seu Filho Jesus, Cabeça dos predestinados, obteve a graça de assistir a todos estes naquele terrível transe, por isso, a Santa Igreja nos manda pedir-lhe que nos socorra especialmente à hora da morte: “Rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte”.

Vai isto de harmonia com o que a Santíssima Virgem disse a Santa Brígida, falando de seus devotos: “Então, minha filha, eu como Senhora e Mãe deles hei de sair-lhes ao encontro, a fim de que tenham consolação e refrigério”.

A amorosa Rainha então cobre com seu manto aquelas almas e apresenta-as ao Juiz, seu Filho, e com certeza lhes alcança a salvação.

Cristão, ainda que sejas pecador, não deixarás de provar esta consolação se doravante procurares viver retamente e servir esta agradecida e benigníssima Senhora.

Nas angústias e tentações com que o Demônio te acometerá na morte, para te fazer desesperar, nossa Mãe do Perpétuo Socorro te dará forças e Ela mesma virá defender-te e com tal Mãe e protetora, que podes temer, ó pecador?

Pedido: Medite-se e peça-se aquilo que mais se deseja alcançar da valiosa proteção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Gozos


Vendo que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


Virgem Imaculada

Vendo que mal nos vai

Vinde sereis louvada

Por filhos de bom Pai.


Socorro permanente

Se sois, querida Mãe,

Ouvi-nos Mãe clemente,

Os filhos consolai.


A fronte inclino e choro,

Remorso na alma vai

Aos vossos pés imploro

Perdão, Virgem, m’o alcançai.


Livrai-nos da tibieza,

Desse fervor nos dai

Que eleva com presteza

Ao Céu donde ele sai.


De padecer cansado

Neste vale, onde vai

Vos pede um desterrado,

Seu peito consolai.


Se a minha fé declina

E na tormenta vai

Estrela matutina

Vinde m’a alentai.


Se vosso fiel amante

Tremendo vês que vai

Nas ondas vacilante

Seus passos segurai.


Vós, Virgem, da fraqueza

Meu peito me livrai,

Alento e fortaleza

Vós vinde e me inspirai.


Na luta derradeira

Perto de mim estás

Clemente mui fagueira

Amante como Mãe.


Lá na prisão do fogo

Virgem me visitai,

Tira-me de lá logo

Convosco me levai.


Que cante em vida e morte

Vós, Virgem, me inspirai,

Para delícia e sorte,

Vossos louvores, Mãe.


Vinde, que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


N.B. Esta quadra deve repetir-se no fim de cada uma das precedentes.


Oração Jaculatória

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, rogai por nós, agora e na hora da nossa morte. Amém.

Obséquio

Encomendar-se três vezes ao dia a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, para conseguir uma feliz morte.

Oração

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, que será de mim quando estiver prestes a entregar minha alma a Deus? Desde já tremo e me confundo quando me ponho a considerar meus pecados e penso naquele terrível momento que há de decidir a minha salvação ou perdição eterna, e quando medito no meu último suspiro e no juízo que se lhe seguirá. Ó minha Mãe do Perpétuo Socorro! Não me abandoneis naquela hora tremenda; que seria de mim se me faltásseis Vós naquele momento supremo?

Ah! Virgem Santa, esperança minha, vinde em meu auxílio, em tão tremendas angústias de que então serei presa. Fortificai-me, quando o Demônio pretender lançar-me na desesperação, pondo-me diante, as minhas culpas. Obtende-me a graça de Vos invocar então mais assiduamente que nunca, para que expire proferindo o vosso suavíssimo Nome e do vosso adorável Filho e morra amando o meu Deus e a Vós para depois continuar amando-Vos eternamente no Paraíso. Assim seja.

Exemplo

Uma senhora dos Estados Pontifícios veio um dia a Roma para venerar a milagrosa imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Um Padre a quem ela se havia dirigido perguntou-lhe qual era a causa da sua viagem; ao que ela respondeu: “Meu marido disse-me já por várias vezes que nesta igreja se venera uma muito milagrosa imagem da Virgem Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ele encomendava-se a esta imagem com frequência e por sua intercessão, recebeu muitas graças; morreu há pouco tempo e pouco antes da sua morte, disse-me que estava vendo à cabeceira do leito Nossa Senhora. Tanta consolação teve com tal visão, que parecia não sentir as aflições da morte e expirou tão tranquila e santamente, que não duvido da sua salvação e a minha maior felicidade seria morrer como ele morreu”.

Amada, louvada, invocada e bendita sejais, ó Virgem do Perpétuo Socorro, esperança minha, meu amor, minha Mãe, refúgio meu e minha vida. Amém.


_____________________

Fonte: Manual do Devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por um Padre Redentorista, pp. 426-431. 4ª Edição, Estabelecimentos Benziger & Co., S.A., Editores Tipográficos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1899.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...