Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

sexta-feira, 18 de junho de 2021

Novena em Honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. (2º Dia)


Ato de Contrição


Meu Senhor Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador, Pai e Redentor meu! Eis a vossos pés um pobre pecador, que muito tem entristecido o vosso amante Coração. Ai amável Jesus! Como pude eu ofender-Vos e encher de amargura esse Coração que tanto me ama e que nada omitiu para conseguir que O amasse? Quão grande foi a minha ingratidão! Mas, ó Salvador meu! Consolai-Vos, consolai-Vos, dir-Vos-ei, porque agora estou arrependido: tanta dor sinto pelos desgostos que Vos tenho causado, que quereria morrer de contrição. Oh! Meu Jesus, quem me dera chorar o pecado, como Vós na vida mortal o soubestes chorar! Pesa-me na alma de Vos ter ofendido, Eterno Pai, em satisfação de minhas culpas, Vos ofereço a pena e a dor que por elas sentiu o vosso divino Filho.

Vós, oh amante Jesus! Dai-me tal horror ao pecado que para o futuro me faça evitar até as mais leves faltas. Longe de meu coração os afetos terrenos: já quero só amar ao meu bondoso Redentor. Oh! Meu Jesus, ajudai-me, fortalecei-me e perdoai-me.

Minha Mãe do Perpétuo Socorro, intercedei por mim e obtende-me o perdão dos meus pecados. Amém.

Oração Preparatória

para todos os dias

Oh! Santíssima Virgem Maria, que, para inspirar-nos uma ilimitada confiança, quisestes tomar o dulcíssimo nome de Mãe do Perpétuo Socorro, eu Vos suplico me socorrais em todo o tempo e lugar; em minhas tentações, nas minhas recaídas, dificuldades, e misérias e mais que tudo à hora da morte. Concedei-me, ó amantíssima Mãe, o pensamento e o costume de recorrer sempre a Vós; porque estou certo de que sendo eu fiel em invocar-Vos, Vós mais o sereis em socorrer-me. Obtende-me pois, esta que é a maior das graças, recorrer a Vós sem cessar e sempre com confiança de filho, a fim de que, em virtude da minha constante súplica mereça vosso perpétuo socorro e a perseverança final.

Dai-me, ó terna e cuidadosa Mãe, a vossa bênção, e rogai por mim agora e na hora de minha morte. Assim seja.


Segundo Dia

Consideração: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ajuda seus devotos a sair do pecado.

Nos homens, os títulos muitas vezes não passam de sonoras denominações sem realidade. Em Maria, ao contrário, são os títulos a expressão da verdade mais e mais comprovada: assim a Santíssima Virgem se diz e é na realidade o perpétuo socorro de todos os desventurados que a Ela recorrem. Considera que ainda assim há uma espécie de desgraçados para os quais esta Mãe amantíssima parece reservar as Suas maiores ternuras, dos quais faz o objeto especial da Sua mais compassiva solicitude; são os pobres pecadores. Fácil é de compreender o motivo de tal predileção.

O amor maternal cresce à medida que a desgraça do filho se torna maior. Pois bem: que maior desgraça poderia dar-se do que a de estar separado de Jesus e sujeito aos opróbrios e escravidão do Demônio? Perdida a graça santificante, o infeliz pecador faz-se alvo da cólera divina; contra ele clama a ira de Deus, e se a morte o surpreendesse, ó que desventura seria a do réprobo!

Eis porque a mais bondosa das mães esgota com Seus filhos pecadores o tesouro da misericórdia e ternura do Seu Coração maternal. Procura atraí-los com a suavidade do Seu nome de Mãe do Perpétuo Socorro, com a fama de Seus milagres e até com Seu olhar misericordioso. Quantos pecadores não se sentiram comovidos e mesmo convertidos ao cruzar seu olhar com o desta Virgem milagrosa!

Esse olhar cheio de tristeza e compaixão parece estar dizendo ao pecador: “Desgraçado, até quando? Até quando hás de contristar com tuas culpas o terno Filho que em meus braços vês? Até quando Lhe estarás oferecendo fel e vinagre, inutilizando para ti a Sua Paixão e Morte? Até quando me contristarás, a mim, tua Mãe, e cravarás em meu Coração, um após outro, mil crudelíssimos dardos? Até quando te obstinarás em correr para o abismo eterno? Meu filho até quando?…” Palavras ternas que só o coração escuta; palavras maravilhosas que esclarecem o entendimento, abrandam o coração endurecido, enternecem-nos, e por fim arrancam-lhe o grito do pródigo arrependido: “Pequei, meu Deus! Perdão, perdão!” Correm-lhe as lágrimas copiosas, a Virgem apresenta-as a Seu amado Filho e eis o pecador convertido. E se não, dizei-o vós, os que diante de Sua imagem encontrastes o arrependimento, a vida, o perdão, a paz e a alegria de vossa alma.

Como, pois, estranhar que entre os pródigos que quotidianamente faz a Virgem do Perpétuo Socorro, apareçam em primeiro lugar, os milhares, as conversões estupendas devidas à Sua intercessão! Tão certo é isto, que um piedoso escritor dizia: Não sei de meio mais eficaz nem mais pronto para obter a conversão de um pecador do que inspirar-lhe uma terna e sincera devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. E porque esta imagem milagrosa tem querido confiar-se a uma Congregação de Missionários senão para o ser também, acompanhando-os até aos países mais longínquos em busca das ovelhas desgarradas, até entrar nas mais solitárias choupanas?

Por isso, amado pecador, seja qual for o número e a gravidade das tuas culpas, por mais empedernido que esteja teu coração, nem tudo se acha perdido para ti; recobra ânimo, alenta-te, recorre a nossa Mãe do Perpétuo Socorro e alcançarás o perdão. É Ela refúgio seguríssimo para o pecador, que sinceramente quer voltar-se para o seu Deus. Dize-lhe, pois, de todo o teu coração: “Ó Mãe do Perpétuo Socorro, confiado em vossa bondade e misericórdia me prostro a vossos pés. Venho ferido da seta do arrependimento. Pesa-me de haver ofendido o meu Deus: minha Mãe, obtende-me o verdadeiro arrependimento e o perdão”. – E logo verás que esta Mãe tão benigna te faz voltar à graça e amizade do teu Deus. Amém.

Pedido: Medite-se e peça-se aquilo que mais se deseja alcançar da valiosa proteção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Gozos


Vendo que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


Virgem Imaculada

Vendo que mal nos vai

Vinde sereis louvada

Por filhos de bom Pai.


Socorro permanente

Se sois, querida Mãe,

Ouvi-nos Mãe clemente,

Os filhos consolai.


A fronte inclino e choro,

Remorso na alma vai

Aos vossos pés imploro

Perdão, Virgem, m’o alcançai.


Livrai-nos da tibieza,

Desse fervor nos dai

Que eleva com presteza

Ao Céu donde ele sai.


De padecer cansado

Neste vale, onde vai

Vos pede um desterrado,

Seu peito consolai.


Se a minha fé declina

E na tormenta vai

Estrela matutina

Vinde m’a alentai.


Se vosso fiel amante

Tremendo vês que vai

Nas ondas vacilante

Seus passos segurai.


Vós, Virgem, da fraqueza

Meu peito me livrai,

Alento e fortaleza

Vós vinde e me inspirai.


Na luta derradeira

Perto de mim estás

Clemente mui fagueira

Amante como Mãe.


Lá na prisão do fogo

Virgem me visitai,

Tira-me de lá logo

Convosco me levai.


Que cante em vida e morte

Vós, Virgem, me inspirai,

Para delícia e sorte,

Vossos louvores, Mãe.


Vinde, que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


N.B. Esta quadra deve repetir-se no fim de cada uma das precedentes.


Oração Jaculatória

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, alcançai-me o perdão dos meus pecados e a graça de poder chorá-los perpetuamente.

Obséquio

Recite-se a Salve Rainha pela conversão dos pecadores mais endurecidos.

Oração

Ó minha Mãe do Perpétuo Socorro, vendo-me tão desprezível e manchado, não deveria ousar aproximar-me de Vós nem chamar-Vos Mãe; mas não quero que minhas misérias me privem da consolação e confiança de que me sinto possuído ao pronunciar o vosso suavíssimo nome. Não mereço ser ouvido; sou um miserável pecador, bem o reconheço, mas ai! O mal está feito: Vós podeis dar-lhe remédio e por isso Vos suplico encarecidamente, minha Mãe, que venhais em meu auxílio e Vos apiedeis de mim.

Eu sei que amais os pecadores, ainda os mais miseráveis e que andais em sua procura para os salvar. Mereço o Inferno, é certo, eu sou o mais miserável dos pecadores, mas não necessitais de me procurar pois eu me apresento espontaneamente a Vós com a firme esperança de que não me haveis de repelir. Eis-me a vossos pés, socorrei-me. Minha Mãe, não me afastarei de vossos pés senão quando o Filho vosso me tenha dito como à Madalena: “Teus pecados ficam perdoados”. Assim seja.

Exemplo

Entre os muitos milagres que Nossa Senhora do Perpétuo Socorro operou na ilha de São Maurício (África), relata-se a seguinte conversão.

Uma jovem corria precipitada pelo declive do vício. Para livremente desenfrear suas paixões, tinha abandonado a casa paterna. Assevera-se que jamais criatura humana tenha caído em mais profundo abismo de corrupção do que aquele em que a infeliz filha se precipitou. Sua afligida mãe que em silêncio chorava com amargas lágrimas a perdição da filha, recorreu à Virgem do Perpétuo Socorro para obter a conversão da jovem: principiou uma novena e ao segundo dia eis que por acaso passa a infeliz jovem pela porta da igreja; entra e logo encontra-se diante da imagem da Santíssima Virgem. Malgrado seu, a imagem atrai os olhares da desventurada pecadora. Foi o bastante para esta ficar vencida; copiosas lágrimas lhe brotam dos olhos, os soluços embargam-lhe a respiração e a seta do arrependimento crava-se-lhe no peito até ferir o coração empedernido. Sua mãe, que tanto a amava, vinha aflita ao templo a fim de continuar a novena e… qual não seria o espanto e o gozo que sentiu ao deparar-se-lhe ali a sua filha! Louca de alegria sai em busca de um Padre missionário e, em companhia deste, torna pressurosa, para lhe mostrar aquela Madalena banhada em lágrimas aos pés de Maria do Perpétuo Socorro, a quem era devedora de maravilhosa conversão de sua filha. Este sucesso teve lugar no ano de 1878.

Sede amada, louvada, invocada e eternamente bendita, ó Virgem do Perpétuo Socorro! Minha esperança, meu amor, minha Mãe, meu refúgio e minha vida. Amém.


_______________________

Fonte: Manual do Devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por um Padre Redentorista, pp. 390-395. 4ª Edição, Estabelecimentos Benziger & Co., S.A., Editores Tipográficos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1899.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...