Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Honrando a Sagrada Família de Nazaré


Oração para a Festa da Sagrada Família1


V. Quão amáveis são os vossos tabernáculos, Senhor Deus dos Exércitos!

R. Minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor.

Oremos: Senhor Jesus Cristo, éreis submisso a Maria e a José e santificastes a vida doméstica por vossas excelsas virtudes. Auxiliados por Maria e José, fazei com que nos guiemos pelo exemplo de vossa Sagrada Família e assim possamos chegar à união eterna conVosco. Vós que viveis e reinais, por todos os séculos dos séculos. Amém.2

Oremos: Nós Vos pedimos, Senhor, que pela intercessão da Virgem Mãe de Deus, de São José, nossa família seja consolidada na paz e em vossa graça. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.


V. Ele desceu com eles para Nazaré e lhes era submisso.

R. Jesus crescia em sabedoria, idade e graça, diante de Deus e dos homens.

Oremos: Senhor Jesus Cristo, fazei com que sigamos constantemente o exemplo de vossa Sagrada Família, para que, na hora de nosso trespasse, a gloriosa Virgem Maria, vossa Mãe, e São José, venham ao nosso encontro e sejamos todos admitidos nos tabernáculos eternos. Vós, que viveis e reinais, por todos os séculos dos séculos. Amém.3


Oração à Sagrada Família4


V. Jesus, Maria e José, vivestes tão santamente e santo era o lugar em que habitáveis! A primeira Igreja Cristã, Santuário da Nova Aliança, foi constituída por Jesus e seus benditos pais. Sob modestas aparências, vossa casa, ó Sagrada Família, era um templo sacrossanto de Deus, onde se reuniam os Anjos em assembleia maravilhosa, era um jardim de todas as virtudes.

R. Ó Sagrada Família, Jesus, Maria e José, fazei com que, por Vós, as famílias cristãs com todos os seus membros, pais, filhos e servidores, tenham a graça de Vos imitar e consigam, assim, os doces tesouros da paz e da virtude, fonte do verdadeiro progresso temporal e eterno. Amém.

Glória ao Pai…


Oração aos Santos Pais de Jesus5


V. Ó Virgem Mãe de Jesus, ó Pai virginal e adotivo do Senhor, obtende-me a graça da pureza de coração e de um verdadeiro amor a Jesus, a quem alimentastes e abraçastes. Alcançai à Santa Igreja, maior número de almas virgens, que protejam e disseminem o bem na terra. Inspirai-o especialmente, para os estados Sacerdotal e Religioso, a fim de que o mal seja vencido e o bem espalhado em todos os recantos do Universo.

R. Seja adorado e amado Jesus Cristo, vosso Filho e nosso Deus, bendito por toda a eternidade, a quem Vós, ó Maria, destes ao mundo. Amém.

Glória ao Pai…


Oração

que se deve rezar todos os dias,

diante da imagem da Sagrada Família.6


Ó amantíssimo Jesus, que com vossas inefáveis virtudes e exemplos de vida doméstica, consagrastes a Família por Vós escolhida na terra, volvei olhos de clemência sobre esta família, que aqui prostrada a vossos pés, Vos pede e suplica que lhe sejais propício. Lembrai-Vos de que é vossa, pois que a Vós e ao vosso culto especial se consagrou devotamente. Olhai-a benigno e livrai-a dos perigos; socorrei-a em suas necessidades, e concedei-lhe o dom de perseverar constantemente na imitação da vossa Sagrada Família, a fim de que, empregando-se fielmente no vosso serviço e amor, possa finalmente cantar no Céu os vossos louvores por toda a eternidade.

Ó Maria, Mãe dulcíssima, imploramos também a vossa proteção, certos de que o vosso Divino e Unigênito Filho se dignará de atender os vossos rogos a nosso favor.

E Vós, ó gloriosíssimo Patriarca São José, socorrei-nos também com o vosso poderoso patrocínio, e colocai nas mãos de Maria as nossas súplicas, a fim de que Ela as apresente a Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.


Fórmula

de Consagração das Famílias,

que se poderá usar em qualquer língua.7


Ó Jesus, amabilíssimo Redentor Nosso, que descendo do Céu para ilustrar o mundo com as vossas doutrinas e exemplos, quisestes passar a maior parte da vossa vida mortal na humilde casa de Nazaré, sujeito a Maria e a José, e consagrastes aquela Família para servir de Modelo a todas as famílias cristãs, recebei benigno esta família que agora se entrega completamente a Vós. Protegei-a e guardai-a e confirmai nela os sentimentos do vosso Santo Temor, juntamente com a Paz e Concórdia da Caridade cristã, para que se torne semelhante ao Divino Modelo da vossa Família, e todos quantos a constituímos, possamos conseguir a bem-aventurança eterna.

Ó Maria, amabilíssima, Mãe de Jesus e Mãe Nossa, pela vossa piedade e clemência fazei que Jesus aceite a nossa Consagração e nos conceda as suas bênçãos e as suas graças.

Ó bem-aventurado José, guarda santíssimo de Jesus e de Maria, socorrei-nos com a vossa intercessão em todas as necessidades da nossa alma e do nosso corpo, a fim de convosco e com a Santíssima Virgem Maria, podermos louvar e dar graças por toda a eternidade a Jesus Cristo nosso Divino Redentor. Amém.


Oração à Sagrada Família 28


1º. Ó Jesus, Filho de Deus vivo, esplendor da eterna luz, que desde a eternidade fostes gerado puríssimo no seio do eterno Pai, e que no tempo quisestes nascer de uma Virgem puríssima e Imaculada, eu, fragílima criatura vossa, de todo o coração Vos peço, que me conserveis puro na alma e no corpo; e que façais florescer plenamente na vossa Santa Igreja a pureza, para maior gloria vossa e para a salvação das almas por Vós remidas.

2º. Puríssima e Imaculada sempre Virgem Maria, Filha do eterno Pai, Mãe do eterno Filho, Esposa do Espírito Santo, augusto e vivo Templo da Trindade Sacrossanta, Lírio de pureza e Espelho sem mancha, dignai-Vos, ó minha querida Mãe, obter-me de vosso Filho, meu bom Jesus, a pureza da alma e do corpo; e intercedei junto a Ele, a fim de que, esta formosa virtude cada vez mais brilhe em todas as classes dos fiéis.

3º. Esposo castíssimo de Maria Imaculada, glorioso São José, que merecestes de Deus a singular honra de ser Pai adotivo da mesma Inocência, Jesus Cristo, e Custódio intemerato da Virgem das virgens, instantemente Vos peço, que me alcanceis o amor de Jesus, meu Deus e Salvador, e a proteção especial de Maria, minha Mãe Santíssima e fazei, São José, protetor de todas as almas castas, que vossa predileta virtude, a santa pureza, seja por mim e por todos os homens mais dignamente amada.

4º. São Bernardino, amantíssimo servo de Jesus, Maria e José, e modelo da modéstia cristã, apresentai as minhas súplicas à Sagrada Família. Amém.


Oração à Sagrada Família 39


Jesus, Maria e bom São José, abençoai-nos, agora e na agonia da morte.10

Jesus, Maria e José.11


Antífona12


Iluminai-nos, Senhor, com os exemplos de vossa Família e dirigi nossos pés no caminho da paz.


V. Bem-aventurados, Senhor, os que moram em vossa casa.

R. Pois Vos louvarão pelos séculos dos séculos.


Oremos: Senhor Jesus Cristo, que, por vossa submissão a Maria e José, santificastes a vida de família, praticando inefáveis virtudes, fazei que, auxiliados por vossos Pais, nos instruamos nos exemplos da vossa Santa Família, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Ato de Consagração

das famílias cristãs à Sagrada Família13


Ó meu Jesus e meu amabilíssimo Redentor, que, vindo iluminar o mundo com a Vossa doutrina e exemplos, quisestes passar a maior parte da Vossa vida mortal, obediente e submisso a Maria e a José, na humilde e pobre morada de Nazaré, santificando aquela Família, que devia ser o Modelo mais acabado das famílias cristãs, aceitai benigno esta nossa, que se Vos consagra agora e se Vos dedica. Protegei-a, amparai-a, defendei-a e comunicai-lhe o Vosso amor, e o santo temor de Deus; dai-lhe paz, concórdia e caridade cristã, para que possa, conformando-se com o divino Modelo, que na Vossa lhe destes, conseguir toda, sem exclusão de nenhum de seus membros, a Bem-aventurança eterna.

Ó Maria, Mãe amorosíssima de Jesus, e Mãe nossa, fazei aceitável perante Jesus, com a Vossa piedosa intercessão, esta nossa humilde oferta, e alcançai-nos as Suas graças e bênçãos.

Ó guarda Santíssimo de Jesus e de Maria, São José, ajudai-nos com as vossas súplicas, em todas as nossas necessidades espirituais e temporais, para que possamos, convosco e com Maria bendizer eternamente a Jesus, nosso divino Redentor. Amém.


___________________________

1.  “VADEMECUM – Orações cotidianas para uso comum das Educandas das Missionárias ‘Servas do Espírito Santo’ e Membros da ‘Obra Auxiliar do Espírito Santo’, editadas pela Direção Geral da mesma Congregação”, Terceira Parte, Tempo do Natal, pp. 294-295. Tipografia do “Lar Católico”, Juiz de Fora/MG, 1958.

2.  Oração Indulgenciada.

3.  Oração Indulgenciada.

4.  “VADEMECUM”, ob. cit., p. 295.

5.  “VADEMECUM”, ob. cit., pp. 295-296

6.  “A Sagrada Família”, por um Padre Redentorista, pp. 21-23; Versão do Espanhol pelo Cônego Manuel Moreira Aranha Furtado de Mendonça; Estabelecimentos Benzinger & Co. S.A. – Tipógrafos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1898.

7.  Idem. pp. 25-28.

8.  “ADOREMUS – Manual de Orações e Exercícios Piedosos”, por Dom Frei Eduardo, O.F.M., pp. 240-241. XXVIII Edição, Editora Mensageiro da Fé, Salvador/BA, 1958.

9.  “ADOREMUS”, ob. cit., pp. 241-242.

10.  Indulgenciada.

11.  Indulgenciada.

12.  Indulgenciada.

13.  “A Sagrada Família”, ob. cit., pp. 597-599.


sábado, 25 de dezembro de 2021

Da Confissão (Para a 1ª Comunhão)


O Sacramento da Penitência ou Confissão, foi instituído por Jesus Cristo para perdoar todos os pecados, por muitos e enormes que sejam, desde que seja recebido com as devidas disposições.


Para uma boa Confissão, torna-se necessário:


1. Exame de consciência, relembrando os pecados desde a última Confissão;

2. Pesar (dor/arrependimento) de ter ofendido a Deus;

3. Propósito de nunca mais pecar;

4. Acusação dos próprios pecados cometidos, feita ao Confessor (Padre), para obter o perdão e a absolvição;

5. Cumprimento da penitência, que o Confessor (Padre) impõe/dá ao penitente.



Orações


Antes do exame de consciência

Meu Deus, e Senhor, eu me preparo para receber o Santo Sacramento da Penitência. Iluminai o meu espírito, a fim de que conheça claramente o número e gravidade dos meus pecados. Fazei com que deles me arrependa e os confesse ao vosso Ministro com a verdadeira dor e firme propósito de nunca mais Vos ofender. Amém.




Exame de Consciência


Primeiro Mandamento


Tenho deixado de orar diariamente por preguiça?

Tenho rezado?

Tenho frequentado o Catecismo?

Tive vergonha da minha religião?

Falei mal dela?

Fui respeitoso nas procissões?


Segundo Mandamento


Jurei (falso e sem necessidade?);

Pronunciei o nome de Deus ou dos Santos, sem respeito ou devoção?

Roguei praga?

Falei palavrão?

Cumpri as promessas feitas?


Terceiro Mandamento


Assisti Missa inteira nos Domingos e Festas de Guarda?

Assisti com devoção?

Trabalhei sem motivo aprovado, nos Domingos e Festas de Guarda?

Fui irreverente na igreja, rindo, conversando, etc.?

Assisti diversões licenciosas?


Quarto Mandamento


Tenho sido mal criado para com meus pais e superiores?

Desobedeci-lhes?

Injuriei-lhes (insultar/desonrar)?

Zombei dos pobres, dos velhos e pessoas defeituosas?


Quinto Mandamento


Desejei mal ao próximo?

Neguei-me em perdoá-lo?

Tive raiva, ódio, desejos de morte e de vingança?

Bati no próximo?

Provoquei o meu próximo?

Briguei?

Maltratei os animais?

Embriaguei-me?


Sexto e Nono Mandamento


Tive pensamentos, palavras, conversas desonestas/imorais?

Cantei cantigas impuras/imorais?

andei em más companhias (com maus elementos)?

Faltei ao pudor (com minhas roupas, palavras, olhares)?

Pratiquei atos desonestos/imorais?

Deixei que outros praticassem atos desonestos em mim?


Oitavo Mandamento


Menti?

Caluniei alguém?

Fiz juízo temerário, etc.?

Falei mal dos outros?

Fiz enredos, mexericos, fofocas?

Procurei descobrir pecados alheios, erros dos outros, etc.?


Mandamentos da Igreja

Tenho feito minhas confissões bem feitas?

Não ocultei/escondi pecados graves?

Cumpri a penitência imposta pelo Confessor/Padre?

Comunguei, ao menos, pela Páscoa?

Tenho sido orgulhoso e preguiçoso?

Comi carne em dias proibidos pela Igreja?

Não jejuei quando devia?


Advertência

Depois deste exame, arrependa-se sinceramente dos pecados cometidos e, de ter com os mesmos ofendidos a Deus. Prometa nunca mais O ofender. Reze com fervor a seguinte oração:



Oração para depois do exame

Muito me pesa, Senhor, de Vos ter ofendido, pois sois meu verdadeiro e único Deus, que me criastes à vossa imagem e semelhança; meu Redentor, que, com o



vosso precioso Sangue, com tantas dores e angústias, me remistes; peço-Vos, ó meu Jesus, por vossa Sagrada Paixão e Morte, que queirais perdoar-me e, proponho firmemente, ajudado com a vossa graça, nunca mais Vos ofender. Amém.


Prática da Confissão:

Apresentando-me ao Confessor, diga: Padre, faz… (tanto tempo) que não me confesso.

Acuso-me dos seguintes pecados!…

Durante a “absolvição”, reze o Ato de Contrição:


Meu Deus, porque sois infinitamente bom, e Vos amo de todo o meu coração, pesa-me Vos ter ofendido e, com o auxílio da vossa divina graça, proponho firmemente emendar-me e nunca mais Vos tornar a ofender; peço e espero o perdão das minhas culpas pela vossa infinita misericórdia. Amém.



Ação de Graças para depois da Confissão

Meu bom Jesus, quanto Vos devo! Graças infinitas Vos sejam dadas, por me haverdes chamado, das trevas do pecado em que me encontrava submergido, à luz da vossa graça. Meu Deus, se até agora tantas vezes me separei de vós, de hoje em diante já não quero deixar-Vos. Concedei-me o perdão dos meus pecados e inspirai-me os santos propósitos de não mais Vos ofender.

Dispensai-me este benefício pelos merecimentos de meu divino Redentor, vosso Filho Unigênito, pelos de sua Mãe Santíssima, a sempre Imaculada Virgem Maria, e pela intercessão de Todos os Santos e Bem-aventurados da pátria celestial. Amém.


___________________

Fonte: “Luz da Alma – devocionário que contém as principais orações e devoções da vida cristã”, pp. 39-48. 2ª Edição, A. Lucchesi & Cia., Guaratinguetá/SP, 1957.


Santa Faustina, e a Infância Espiritual.


Hoje, durante a Santa Missa, vi junto ao meu genuflexório o Menino Jesus, como se tivesse um ano de idade, que me pedia que O pegasse em meus braços. Quando O peguei nos braços, reclinou-se no meu coração e disse-me: – Gosto de ficar junto do teu coração. – “Embora sejais tão pequeno, eu sei que sois Deus. Por que assumis a figura de um menino para conviver comigo?” – Porque quero ensinar-te como ser espiritualmente criança. Quero que sejas muito pequena, porque quando és pequena, Eu te carrego junto ao Meu Coração, da mesma maneira como tu neste momento Me seguras, junto ao teu coração. – Nesse momento, fiquei sozinha, mas ninguém compreenderá a sensação da minha alma. Eu estava toda tão mergulhada em Deus, como uma esponja jogada no mar…”.


_________________________

Fonte: “Diário – da Serva de Deus, Ir. M. Faustina Kowalska”, Professa perpétua da Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia; Caderno V (1481), p. 414. Congregação dos Padres Marianos, Curitiba/PR, 1982.


sexta-feira, 24 de dezembro de 2021

Novena de Natal (9º Dia)


Orações e Meditações Extraídas dos Escritos

de Santo Afonso Maria de Ligório,

pelo Pe. Saint-Omer, CSSR.


V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Apressai-Vos, Senhor, em me socorrer.

V. Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo.

R. Assim como era no princípio, agora e sempre e por todos os séculos dos séculos. Amém.



Oração a Jesus ganhando a Vida pelo Trabalho1


Até a idade de trinta anos, Jesus não fez outro ofício que o de simples trabalhador numa oficina; Ele obedecia a José e a Maria. Jesus ia buscar água; abria e fechava a carpintaria; varria a casa, recolhia lenha para o fogo, e se afadigava durante o dia para ajudar a José no trabalho. Ó espetáculo espantoso! Um Deus que trabalha e sua, para desbastar um pedaço de lenho!2

Adorável Jesus, trabalhando e suando Vos vejo numa pobre oficina, como se fosseis o mais humilde dos operários. E é para mim, bem o sei, que Vos abateis e fatigais desta maneira. Pois, empregastes toda a vossa vida pelo meu amor, fazei, ó meu terno Senhor, que ocupe também eu no vosso amor os dias que ainda me derdes na terra. Não considereis os meus anos passados; anos, ai, de desordens, anos de pecados, motivos de dor e lágrimas para mim como para Vós. Deixai-me, ó meu Jesus, deixai-me trabalhar e sofrer conVosco na oficina de Nazaré, e não permitais que eu deixe novamente a vossa companhia, mas vá morrer conVosco no Calvário, abraçando a morte que me haveis destinado. Amadíssimo Jesus, ó meu amor, não me permitais deixar-Vos mais, como outrora fiz. Vós, meu Deus, vivestes oculto, desconhecido, desprezado numa humilde oficina, no seio da maior pobreza! E eu, desprezível verme da terra, andei atrás das honras e dos prazeres, e por estas vaidades, ai, separei-me de Vós, Bem Supremo! Ah, isto não mais se dê, ó meu Jesus, amo-Vos, e porque Vos amo, não quero mais viver longe de Vós. Renuncio a tudo o mais para unir-me a Vós, ó meu Salvador, oculto e humilhado por mim! Pela vossa graça me proporcionais muito mais contentamento do que acharei jamais em todas as vaidades e gozos terrestres, pelos quais tive a desgraça de Vos deixar. Ó Virgem Santíssima, que ditosa fostes por haverdes vivido com Jesus vida pobre e oculta, e Vos terdes feito semelhante a este divino Modelo; dai-me, ó minha Mãe, eficaz auxílio com que me aproveite do restante dos meus dias, gastando-os na diligência de me tornar semelhante a Vós e ao meu Redentor.3



9º Dia4


Vamos a Nazaré:

aí acharemos o Coração de Jesus

glorificando Seu Pai pelo trabalho.


Novo prodígio de amor: um Deus que trabalha! Sim, Jesus se submete a uma vida penosa, para nos mostrar o amor de seu Coração. Vede O simples operário na casa de Nazaré, e empregado por Maria e José, ora em desbastar a madeira que José devia trabalhar, ora em reunir as maravalhas destinadas ao fogo, ora em varrer a casa, em carregar água, em abrir ou fechar a carpintaria. São Basílio diz que, sendo Maria e José pobres e obrigados a viver de seu trabalho, Jesus, para exercer a obediência e lhes testemunhar o respeito como a seus superiores, procurava fazer, quanto humanamente podia, tudo o que havia de penoso na casa. Um Deus que serve!… um Deus que trabalha!… ah, um só destes pensamentos devia bastar para nos abrasar e consumir de amor!

Não havia na Sagrada Família servos e nem servas; o único servo que havia na casa, era o Filho de deus, que tinha querido fazer-se Filho do homem, isto é, de Maria, para tornar-se humilde servo e obedecer como tal a um homem e a uma mulher.

Ah! Quem poderia considerar atentamente a Jesus neste estado, trabalhando com dificuldade, sem exclamar: Mas que! Amável moço, não sois Aquele Deus que, por um sinal, tirou o mundo do nada? Como então Vos é agora preciso suar o dia todo, para desbastar esta madeira, sem contudo o conseguirdes? Como Vos tornastes tão fraco? Ó Santa Fé! Ó amor de um Deus! Sim, repito, este pensamento, se o penetrássemos bastante, deveria, não só nos abrasar, mas ainda, nos consumir de amor. Eis aqui então, até onde chegou um Deus.

Adoremos todas estas obras servis de Jesus, sabendo que todas elas eram divinas e infinitamente agradáveis a Deus, pois eram oferecidas continuamente pelo Coração do Salvador, com o fim único de Lhe agradar e operar a nossa salvação.

Nós também trabalhamos, é verdade, mas muitas vezes sem merecimento, porque falta-nos a pureza de intenção nas nossas obras. Oh! Quão agradável é ao Sagrado Coração a intenção de agradar a Deus no trabalho! Para nos convencermos disto, escutemos as doces palavras que o Esposo divino dirige a cada um de nós: Se quereis me agradar, ponde-me como um selo sobre vosso coração, como um selo sobre vosso braço;5 isto é, fazei que eu seja o único fim de todos vossos desejos e de todas as vossas obras. Ele chega até a dizer que, quando uma alma procede assim para Lhe agradar, torna-se Sua irmã e Sua esposa, e Lhe faz no Coração uma ferida de amor, de sorte que Ele não pode deixar de a amar: “Tu feriste meu Coração, minha irmã, minha esposa, tu feriste meu Coração por um de teus olhos.6 Qual é este olho que fere o Coração de Jesus, o Esposo divino? É a intenção da alma que, em toda obra, só põe a mira em cumprir a vontade do Senhor. Esta alma não faz oração senão para agradar a Deus; não obedecer aos superiores senão para obedecer a Deus; não faz todas as suas ações senão para glorificar a Deus, segundo a recomendação do Apóstolo: “Ou comais, ou bebais, ou façais outra coisa qualquer, tudo fazei para a glória de Deus”.7

A Venerável Beatriz da Encarnação dizia: Nenhum preço poderia pagar a menor coisa que se faz por Deus. Isto é verdade, porque todas as ações feitas para agradar a Deus, são atos de amor divino, aos quais o Senhor reserva recompensa eterna. A pureza de intenção é então uma alquimia celeste, que muda o ferro em ouro: porque as ações mais comuns, como comer, dormir, trabalhar, recrear, quando são feitas por amor a Deus, transformam-se todas em ouro do santo amor. Também Santa Maria Madalena de Pazzi, tinha como certo, que uma pessoa que fizesse todas as suas obras com pura intenção, iria direto para o Paraíso, sem passar pelo Purgatório.

Prática: Terei cuidado, cada manhã, ao acordar, de oferecer a Deus todas as minhas ações do dia, com todas as que o Coração de Jesus Lhe ofereceu durante a Sua vida. Esforçar-me-ei, além disso, para renovar esta intenção no começo das principais ações, dizendo por exemplo: Tudo para Vós, ó meu Deus!

Afetos e Súplicas: Adorável Jesus, eu Vos vejo trabalhando e suando numa pobre oficina, como se fosseis o mais humilde dos operários. Para mim é que Vos abateis e fatigais desta maneira. Pois, empregastes toda a vossa vida por meu amor, fazei, ó meu terno Jesus, que eu empregue também por vosso amor, tudo o que me resta de vida. Não considereis meus anos passados, ai, de desordens, anos de pecados, motivo de dor e de lágrimas para mim como para Vós. Deixai-me, de agora em diante trabalhar e sofrer em união conVosco na oficina de Nazaré, e morrer depois conVosco no Calvário, abraçando a morte que me destinais.

Ó amadíssimo Jesus, meu amor, não permitais que eu Vos abandone mais, como fiz outrora. Vós, meu Deus, vivestes oculto, desconhecido, desprezado, suportando numa humilde oficina a maior pobreza! E eu, desprezível verme da terra, busquei as honras e os prazeres, e por estas vaidades, ai, separei-me de Vós, Bem Supremo! Ah, não seja mais assim, meu Jesus; eu Vos amo, e, porque Vos amo, não quero mais viver longe de Vós. Renuncio tudo mais para me unir a Vós, ó meu Salvador, oculto e humilhado por amor de mim! Vossa graça me dá muito mais contentamento do que todas as vaidades e gozos terrenos, pelos quais tive a desgraça de Vos deixar. Ó Virgem Santíssima, quanto sois feliz por terdes sido a companheira de Jesus na Sua vida pobre e oculta, e terdes sabido Vos tornar semelhante a este divino Modelo! Ó minha Mãe, fazei que eu também empregue o resto de meus dias em me tornar semelhante a Vós e a meu Redentor.

Oração Jaculatória: Divino Menino Jesus, tende compaixão de nós, e nascei em nossos corações. 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e 1 Glória ao Pai.



Exemplo

A Venerável Madre Clemência, da Ordem da Visitação, foi uma dessas almas verdadeiramente extraordinárias, que tiveram as mais íntimas comunicações com o Divino Coração de Jesus. Uma noite, Jesus Cristo se fez ver a ela como assentado no meio do seu coração, e lhe disse: Teu coração é para Mim e Eu sou para ele. Outra vez, o Salvador gravou Seu Nome Jesus sobre o coração de Sua serva, dizendo-lhe: Eu aplico meu Coração sobre o teu. Ela sentiu no mesmo instante seu coração unir-se ao Coração do Esposo divino de maneira admirável. Clemência dirigia-se muitas vezes ao Coração de Jesus como o único que era capaz de dar a Deus homenagens dignas d’Ele, e rogava a este divino Coração se dignasse saldar as dívidas que ela tinha contraído para com a Majestade divina. Numa aparição, o Salvador lhe disse, mostrando-lhe Seu Sagrado Coração: Eis aqui o alvo para o qual deves lançar tuas flechas; estas flechas são os atos de amor; consagra-Me teu amor, e ferirás o Meu. Certa manhã em que ela se aproximava da Comunhão, rogou, com muita instância, a Nosso Senhor, para que lhe desse a humildade. Logo o Salvador se dignou unir o coração de Sua esposa ao Seu, e servindo-se de Seu Coração adorável como de um sinete, imprimiu a humildade sobre o coração de Sua esposa. Pediu-lhe depois a doçura, e o divino Mestre lhe disse: Não pode uma pessoa ter a doçura, sem ter meu Coração, que é a verdadeira fonte dela. Outra vez, Jesus Cristo lhe mostrou Seu Coração, como uma fonte de água viva, aonde a convidou a ir matar sua sede. Tais foram as relações íntimas da Madre Clemência com o Coração de Jesus. Esta piedosa filha da Visitação, era muito estimada por Santa Joana de Chantal e pelas mais santas pessoas do seu tempo, como os Padre Suffren e Condren.

Outra santa alma, viu um dia a Jesus tendo na mão um círculo de ouro, no centro do qual estava um coração. Viu também, arqueiros que atiravam setas para esse coração. Uns atiravam de tal maneira que suas setas só chegavam a meio caminho, caindo em terra; outros, feriam o círculo e faziam correr dele faíscas; mas os terceiros transpassavam o coração de lada a lado, e ficavam regados do sangue que corria dele. A alma perguntou, o que significava esta visão. Foi-lhe respondido, que o círculo de ouro representava a misericórdia de Deus, que continha em Si, como o maior efeito por Ela produzido, o Coração de Jesus com Seus merecimentos infinitos; e que os arqueiros representavam três sortes de cristãos: os primeiros, cujas setas não atingiam o alvo, são os que fazem suas ações sem intenção e por mero costume; os segundos, são os que trabalham por bons motivos, mas no seu próprio interesse: por isso, é que eles não tocam senão o círculo de ouro da misericórdia de Deus e não recebem senão as faíscas da graça; enfim, os terceiros, são os que só procuram em tudo agradar a Deus, e por isso, alvejam diretamente o Coração de Jesus e o transpassam: também os frutos da Paixão de Jesus Cristo correm sobre eles com abundância.8



Louvores ao Menino Jesus9


Vinde já, meu Deus-Menino,

Nascei no meu coração,

Tomai dele inteira posse,

Tomai-o da vossa mão.


Vinde, meu rico Infante,

Vinde, não Vos detenhais,

A minha alma Vos espera,

Já não pode esperar mais.


Do Varão nasceu a vara,

Da vara nasceu a flor,

Da flor nasceu Maria,

De Maria o Redentor.


Os Anjos primeiro pegam

No Menino-Deus nascido,

Não O deixam cair no chão,

Em seus braços é detido.


A Virgem então O adora,

Nos seus braços O recebe,

Como Mãe lhe beija a face,

Mais alva que a pura neve.


Foi nascer a uma gruta

O Grande Rei das Nações,

Para render a frieza

De nossos corações.


Pastorinhos do deserto,

Correi todos, ide ver

A pobreza da lapinha

Onde Cristo quis nascer.


Pastorinhos do deserto,

Correi todos a Belém,

Adorar o Deus-Menino,

Nos braços da Virgem-Mãe.


Nos braços da Virgem-Mãe,

Chora o vosso Coração,

Por saber que há de passar

Tão dolorosa Paixão.



Ladainha em Honra do

Divino Menino Jesus10


Senhor, tende compaixão de nós.

Jesus Cristo, tende compaixão de nós.

Senhor, tende compaixão de nós.


Senhor, ouvi-nos.

Divino Menino Jesus, escutai-nos.


Pai celeste, que sois Deus, tende compaixão de nós.

Filho Redentor do mundo, que sois Deus, tende compaixão de nós.

Espírito Santo, que sois Deus, tende compaixão de nós.

Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende compaixão de nós.


Jesus, Filho do Deus Vivo, tende compaixão de nós.

Jesus, num estábulo nascido de Maria Virgem, tende compaixão de nós.

Jesus, adorado pelos pastores e pelos Sábios do Oriente, tende compaixão de nós.

Jesus, circuncidado ao oitavo dia e chamado Jesus, tende compaixão de nós.

Jesus, oferecido no Templo a vosso Divino Pai, tende compaixão de nós.

Jesus, fugido para o Egito com Maria e José, tende compaixão de nós.

Jesus, que voltastes do Egito com Maria e José, tende compaixão de nós.

Jesus, na idade de 12 anos levado ao Templo por vossos pais, tende compaixão de nós.

Jesus, perdido de vossos pais e por eles procurado com ânsia durante três dias, tende compaixão de nós.

Jesus, encontrado com alegria no Templo, tende compaixão de nós.

Jesus, submisso e obediente aos vossos pais, tende compaixão de nós.


Sede-nos propício, tende compaixão de nós, Menino Jesus.

Sede-nos misericordioso, escutai-nos, Menino Jesus.


Dos desvarios da nossa juventude, livrai-nos, Menino Jesus.

Do número dos filhos de Satanás, que perdem as almas dos inocentes, livrai-nos, Menino Jesus.

Dos criminosos desejos da nossa idade, livrai-nos, Menino Jesus.

Dos perigos de pecar, livrai-nos, Menino Jesus.

Da perda da santa pureza, livrai-nos, Menino Jesus.

Pelo vosso misterioso Nascimento, livrai-nos, Menino Jesus.

Pelas vossas lágrimas e gemidos, livrai-nos, Menino Jesus.

Pelo vosso santo porte com vossos pais, livrai-nos, Menino Jesus.

Pela vossa Apresentação no Templo, livrai-nos, Menino Jesus.


Nós que fomos filhos da ira, rogamo-Vos nos escuteis.

Para que nos dias da nossa juventude nos lembremos do nosso Salvador, rogamo-Vos nos escuteis.

Para que acostumemos desde a juventude nossos corações à virtude e ao bem, rogamo-Vos nos escuteis.

Para que em todas as nossas ações demos bom exemplo ao próximo, rogamo-Vos nos escuteis.

Para que não abandonemos na velhice o caminho da virtude que tomamos na juventude, rogamo-Vos nos escuteis.

Para que sejamos recebidos um dia no número dos filhos de Deus, rogamo-Vos nos escuteis.


Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Menino Jesus.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Menino Jesus.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós, Menino Jesus.


Menino Jesus, ouvi-nos.

Menino Jesus, escutai-nos.


Pai Nosso, que estais nos Céus…


V. O Verbo se fez carne. Aleluia.

R. E habitou entre nós. Aleluia.


Oremos: Amado Salvador, Jesus Cristo, que, por amor dos homens e de mim, encarnastes e Vos fizestes um fraco e pobre menino, adoro-Vos e amo-Vos. Concedei-me que ponha sempre em Vós a minha alegria; que Vos siga sempre; que eu seja bom, piedoso, obediente, zeloso, e Vos imite em tudo, a Vós que viveis e reinais com Deus Pai, e o Espírito Santo por toda a eternidade. Amém.


_________________________

1.  “As Mais Belas Orações de Santo Afonso de Ligório”, pelo Pe. Saint-Omer, CSSR, 4ª Parte, Art. 2, § 1, pp. 492-493. Imprimé par les Etablissements Casterman, S.A. Tournai/Belgium, 1921.

2.  Obras Ascéticas, IV. Aut. Medit. 23 Dez.

3.  Obras Ascéticas, IV. 11 Jan.

4.  “O Sagrado Coração de Jesus”, segundo Santo Afonso de Ligório, pelo Pe. Saint-Omer, CSSR, 1ª Parte, 12º Dia, pp. 77-83. 5ª Edição, Typographia de Frederico Pustet, Impressor da Santa Sé, Ratisbona/Alemanha, 1926.

5.  Cânt. 8, 6.

6.  Cânt. 4, 9.

7.  I Cor. 10, 31.

8.  Saint-Jure.

9.  “Cartilha ou Compêndio da Doutrina Cristã, Ordenada por Perguntas e Respostas”, pelo Pe. Antônio José de Mesquita Pimentel, Cap. “Devoção”, pp. 228-229. 18ª Edição, Livraria Chardron, de Lello & Irmão, Ltda, Porto, 1872.

10.  “Livro de Missa para a Juventude”, compilado por um Padre do Espírito Santo, pp. 114-118. 6ª Edição, Casa Cruz, Rio de Janeiro, 1898.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...