Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

SANTO AFONSO MARIA DE LIGÓRIO ENSINA QUE:



"Numa palavra, a Santa Missa, conforme a predição do Profeta, é a coisa mais preciosa e bela que possui a Igreja: 'Qual é o seu bem e qual a sua formosura, senão o pão dos escolhidos e o vinho que gera virgens' (Zac. 9, 17). São Boaventura (De inst. Nov., I. c.) diz que a Santa Missa nos põe diante dos olhos todo o amor que Deus nos dedicou, e que é, de certo modo, um compêndio de todos os benefícios que Ele nos fez. Por isso, o Demônio se esforçou sempre para retirar do mundo a Santa Missa por meio dos HEREGES; estes se mostram assim como precursores do ANTICRISTO, que procurará, antes de tudo, impedir a celebração da Santa Missa, o que ele, de fato, conseguirá, conforme a profecia de Daniel:


'E elevou-se até contra o príncipe da força (contra DEUS), e tirou-lhe o Sacrifício perpétuo, e destruiu o lugar do seu Santuário. E foi-lhe dado poder contra o Sacrifício Perpétuo, por causa dos pecados (do Povo); e a verdade será abatida sobre a terra, e ele compreenderá tudo e, tudo lhe sucederá conforme o seu desejo' (Dan., 8, 11-12)".


Fonte: Rev. Pe. Saint-Omer, C.Ss.R., "Escola da Perfeição Cristã para Seculares e Religiosos", IV Parte, Cap. III, § I, IV Ponto, p. 402. IV Edição, Editora Vozes Ltda, Petrópolis/RJ, 1955.

ORAÇÃO PELOS SACERDOTES.



Por amor do Imaculado Coração de Maria, dai-nos santos Sacerdotes, ó JESUS.


É, por meio deles, que o recém-nascido se torna filho de Deus, o pecador recupera a paz, os fiéis têm o benefício dos Santos Sacramentos, os desamparados se refugiam junto do Sacrário de onde recebem o divino Pão dos Anjos e o moribundo vê fechar-se-lhe a porta do Inferno e abrir-se-lhe a porta do Céu.


Por amor do Coração Imaculado de Maria, dai-nos santos Sacerdotes, ó JESUS.


Sacerdotes de mãos puras e sem mancha, que levantem ao Céu o Cálice e a Hóstia Imaculada, interpondo-se poderosos pela paz dos povos e prosperidades das nações, Sacerdotes que devorados pela caridade, se rodeiem de almas inocentes, para guiá-las ao Céu; de mocidade, conservando-a para Deus, e se consumam pelo tesouro da Fé e da Religião.


Por amor do Coração Imaculado de Maria, dai-nos santos Sacerdotes, ó JESUS.


Sacerdotes que, famintos de Vosso amor, abandonem a Pátria, parentes e amigos pela salvação do próximo; que perseguidos pelo Mundo, por Satanás e pelas paixões, progridam sempre na santidade, apregoando a Fé e a Vossa doutrina. Amém.


OFERECIMENTO DO SANTO SACRIFÍCIO DA MISSA.



As pessoas que não sabem ler os excelentes métodos de oferecer o Santo Sacrifício, contidos nos formulários de orações, podem decorar a oração seguinte:


"Meu Deus, eu Vos ofereço esta Santa Missa; ofereço-Vos Vosso Filho, sua Encarnação, seu Nascimento, sua dolorosa Paixão; ofereço-Vos seu suor de Sangue, sua Flagelação, sua Coroação de Espinhos, sua Via-sacra, sua Crucificação, sua Morte, seu precioso Sangue. Ofereço-Vos, para Vossa maior glória e a salvação de minha alma, tudo quanto Vosso caro Filho fez, padeceu, mereceu, e todos os Mistérios que Ele renova nesta Santa Missa. Amém".


Fonte: Ven. Martinho de Cochem, O.F.M.Cap., "Explicação da Santa Missa", Cap. XXIX, p. 326. 2° Edição, Typ. de São Francisco, Bahia, 1914.

O RETRATO DE JESUS.



D... O... C...


Públio Lêntulo, homem pagão do primeiro século da nossa era, antecessor de Pôncio Pilatos no cargo de Governador da Judeia, numa carta enviada ao Senado Romano, descreve assim o retrato de Jesus Cristo:


"Senadores, existe um homem, cuja virtude é inexcedível, que se chama Jesus Cristo. Os judeus julgam-no profeta, mas, os seus partidários adoram-no como descendente da Divindade. Ressuscita os mortos e cura todas as doenças pela palavra e pela imposição das mãos. É alto e bem constituído, tem a expressão meiga e venerável. Os cabelos, cuja cor é semelhante à das searas quando maduras, espalham-se sobre os ombros com graça e são penteados como usam os Nazarenos. A testa é ampla, o rosto levemente rosado. O desenho do nariz e da boca é impecável. A barba é espessa, da cor do cabelo; desce um pouco abaixo do queixo e é dividida ao meio. Os olhos são brilhantes, claros e serenos. Censura com majestade e exorta com brandura. Nas palavras e nos gestos há elegância e austeridade. Nunca o viram rir, mas já foi visto chorar. Muito discreto e prudente, enfim, um homem que pela sua rara beleza e divinas perfeições, excede os filhos dos homens".1


Fonte: Pe. Frei Mateus Maria do Souto, Missionário Capuchinho, "Verdade e Luz", Vol. I, Introdução. Casa do Castelo - Editora, Coimbra, 1948.


____________________

1. Documento encontrado numa das bibliotecas da cidade de Roma.

O RETRATO DE NOSSA SENHORA.



D... O... C...


Há uma pintura que, segundo a Tradição, nos foi dada por São Lucas, à qual se atribuem numerosas graças outorgadas pela Santíssima Virgem Maria, e na qual teria o Evangelista retratado aquele belo ideal que formamos da Mãe de Deus. Cedrenius e Niceforo, sobre este assunto escreveram:


"A Santíssima Virgem Maria, era de uma estatura mediana, mais alta do que baixa. Seu rosto, de forma um pouco ovalada, era moreno. Os cabelos, louros; as sobrancelhas, negras e graciosamente arqueadas; os olhos vivos; as pupilas escuras; o nariz um pouco comprido; os lábios de carmim; as mãos e os dedos, compridos e delgados. Modesta, ao mesmo tempo que grave em todas as suas maneiras, falava só quando se via obrigada pela necessidade. Quando ouvia os que Lhe falavam, fazia-o sempre com gosto, demonstrando-lhes respeito e deferência. Afastada do fausto e da vida de moleza, simples e cheia de humildade, repreendia com dignidade e com doçura, sem se rir e sem se encolerizar. Vestia com simplicidade e tinha habitualmente a cabeça coberta com um véu".


Em poucas palavras, era tal o resplendor divino que brilhava no seu semblante e até nas suas menores ações, que São Dionísio, o Areopagita, disse quando viu Maria: Se não acreditasse na Unidade de Deus, tê-la-ia tomado por uma divindade.


Fonte: Pe. Fr. Mateus Maria do Souto, Missionário Capuchinho, "Verdade e Luz", Vol. II, Introdução. Casa do Castelo - Editora, Coimbra, 1952.

SINCERIDAD Y FRANQUEZA.

 


"Cuándo entenderán los enemigos de la religion, que la sumision á la autoridad legítima nada tiene de servilismo, que el homenaje tributado á los dogmas revelados por Dios, no es torpe esclavitud, sino el mas noble ejercicio que hacer podamos de la libertad?... que es indispensable el vivir sometido á una regla?... y que la buena fé exige que hablemos con toda sinceridad y franqueza...".


Fonte: Don Jaime Balmes, Presbítero, "Cartas á un Escéptico en Materia de Religión",  Carta Primera, pp. 2-3. Duodécima Edición, Librería de La Vda de Ch. Bouret, Paris/México, 1923.

O ADEUS DA TARDE A JESUS.



Os últimos raios do dia desaparecem; as sombras da noite começam a cobrir a terra; é a hora da partida; é necessário que eu Vos deixe, ó Jesus; Jesus, que me haveis abençoado este dia cobrindo-me com o vosso manto. Jesus, que tendes enchido minha alma com as vossas graças; ah! como os Apóstolos sobre o Tabor, levantarei aqui a minha tenda; é muito doce cerrar os olhos e repousar o coração à sombra do vosso Tabernáculo!... É muito doce orar, chorar e gemer aos pés do vosso altar!... Como vossa Santíssima Mãe é saudada com três saudações pelo bronze (dos sinos), assim minha alma, ó Jesus, depõe a vossos pés a tríplice expressão do seu mais puro amor. Eu Vos amo, ó Jesus, muito mais do que posso exprimir; amo-Vos e separando-me de Vós, divino Mestre, eu Vos deixo meu coração! Oh! por que não sou esta afortunada lâmpada, cuja doce e trêmula luz vai aclarando esta hora santa, durante a noite!... E ainda por que não sou uma daquelas flores que com seu perfume embalsamam o ar do vosso Templo?!...


Anjos do santuário, guardas de honra da divina Eucaristia, dizei a Jesus, que o meu coração não cessará de velar durante a noite e que cada uma das suas palpitações será uma prece, um perfume, uma espiral de incenso que se elevará a Ele.


Adeus, meu Jesus, dai-me vossa benção e defendei-me contra os inimigos de minha alma. Em vossas mãos encomendo o meu espírito, guardai-o durante o tempo e na eternidade!...

O BOM DIA A JESUS.



Jesus Eucarístico escondido debaixo de um véu de amor - Vós que minha fé contempla e que meu coração adora - recebei as primícias deste dia e dignai-Vos bendizer a vossa(o) filha(o).


Prisioneiro voluntário do sagrado Tabernáculo, a minha fé penetra as vossas douradas paredes!...


Vós sois o meu Salvador, não muito longe de mim!... Sim, saúdo-Vos, Filho eterno do Pai, nascido no tempo da Bem-aventurada Virgem Maria por nossa Redenção: - Ave Verum Corpus. - Enquanto os primeiros raios do sol iluminam a sumidade do vosso santo Tabernáculo, Vós, ó Jesus, esplêndida e indefectível luz do Paraíso, irradiai a minha inteligência e aquecei minha alma do vosso doce fogo! E nesta hora em que as flores desabrocham das suas corolas e embalsamam com seu suave perfume o ar dos campos, recebei, ó Jesus, o perfume da minha humilde oração!... Ela é tão pobre!... e às vezes, aflita!...


Que me acontecerá hoje, meu Deus?! Ignoro-o... Se for a graça que o vosso Coração me procure, sede bendito, ó Jesus... Se for a Cruz que a vossa direita me reserve, aceito-a antecipadamente, pois tenho firme esperança; dignai-Vos de ajudar minha fraqueza e prevenir minha insuficiência.


Qualquer coisa que me aconteça, Coração divino, que tirais os pecados do mundo, dai-me a vossa paz!


"Dona nobis pacem".

São José, Glória do Antigo e Novo Testamento.

 


São José, diz São Bernadino de Sena, é como a chave do Antigo Testamento, pois nele o merecimento dos Patriarcas atingiu, por assim dizer, o termo das promessas. Só ele, com efeito, possui realmente o que a bondade divina prometera aos justos da Antiga Lei e é figurado com razão pelo Patriarca José, que distribui aos pobres o pão. É no entanto, maior de que ele, porque, mais que fornecer aos Egípcios o pão da vida material, é, alimentando Jesus com as vigílias e os suores do seu trabalho, proporcionar aos eleitos o Pão do Céu que dá a vida eterna.


Leitura do Livro de Gênesis (49, 22-26).*


[O texto desta Epístola é da bênção que Jacó deu ao seu filho José]


José é rebento duma árvore fértil, à beira da corrente: seus ramos sobem por cima da parede. Archeiros o provocam: Lançam-lhe flechas e atacam-no. Mas o seu arco fica teso; as cadeias, que lhe ligavam braços e mãos, quebraram-se, por mão do Deus poderoso de Jacó. Saiu dali para ser o pastor, o fundador do povo de Israel. O Deus de teu pai será teu protetor; o Onipotente te cumulará de suas bênçãos do Céu: O solo que hás de habitar será abençoado; ali brotarão do abismo as fontes; as mães serão fecundas. As bênçãos de teu pai sobrepujam as que recebeu dos avós até vir o Desejado das colinas eternas. Derramem-se essas bênçãos sobre a cabeça de José, sobre a fronte do Nazareno, consoante o julgam seus irmãos.


*Da Missa votiva de São José.

Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...