Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Não ter Devoção à Maria Santíssima, é Sinal Certo de Perdição Eterna.


“… Pobre das almas que deixam de ser devotas de Maria e de se recomendar a Ela em todas as ocasiões. Diz Santo Anselmo, que assim como aquele que se recomenda a Maria e por Ela é olhado com amor, não pode se perder, tampouco é possível que se salve o que não é devoto de Maria e por Ela protegido. – São Francisco de Borja perguntou certa vez a uns noviços, de que Santo eram mais devotos, e achando que alguns não tinham devoção especial a Maria, avisou ao Mestre dos Noviços que olhasse com mais atenção para aqueles desgraçados; e sucedeu que todos perderam miseravelmente a vocação, e quiçá com esta, também, a alma… Quem dera que todos os homens amassem esta benigníssima e amantíssima Senhora, e a Ela recorressem sempre e imediatamente no momento da tentação! Quem jamais havia de cair? Cai e perde-se quem não recorre a Maria”.1

Cum metu et tremore vestram salutem operamini – ‘Com temor e tremor empenhai-vos na obra da vossa salvação’. Meu irmão, avivemos a nossa fé, que tanto o Inferno como o Céu são eternos; lembremo-nos que um ou outro nos caberá por sorte. Este grande pensamento nos encherá de medo e nos fará evitar as ocasiões de ofendermos a Deus e empregar os meios necessário para alcançarmos a salvação. Quem não treme pelo temor de se perder, não se salvará. – Façamos, sobretudo, por adquirir uma devoção verdadeira para com a Santíssima Virgem, e examinemos frequentes vezes se, porventura, nos tenhamos relaxado neste ponto. Oh, quantos cristãos estão ardendo no Inferno, por terem deixado de honrar a grande Mãe de Deus!”2

Que a prática de invocar aos Santos, a fim de nos alcançarem a divina graça, seja não somente lícita, mas também útil, é um ponto da fé. Entre os Santos, porém, que são amigos de Deus, e a Santíssima Virgem, que é sua verdadeira Mãe, há esta diferença, que a intercessão de Maria não é só utilíssima, mas também moralmente necessária, de modo que o Bem-aventurado Alberto Magno e São Boaventura chegam a afirmar, que todos os que se descuidam da devoção a Nossa Senhora, não a servem, e consequentemente não são por Ela protegidos, morrerão todos em pecado mortal e se condenarão: A gente que não Te servir, perecerá. É esta, diz Soares, a opinião universal da Igreja”.3 “… Assim como Holofernes, para conquistar a cidade de Betúlia, ordenou que se cortassem os aquedutos, também o Demônio faz quanto pode, a fim de que as almas percam a devoção à Mãe de Deus. Pela experiência o Espírito Maligno sabe que, tapado este canal das graças, depois fácil ou, antes, certamente consegue conquistá-las. Quantos cristão estão agora no Inferno, por terem se deixado iludir assim”.4



É tão liberal e grata a Rainha do Céu, que, no dizer de Santo André de Creta, recompensa com riquíssimos prêmios os pequenos obséquios de seus servos… Mas não te exorto tanto a praticar todos estes obséquios, como a praticares os que possas escolher ou já tenhas escolhido, com perseverança, temendo que, se te descuidares deles no futuro, percas a proteção da divina Mãe. Oh! Quantos daqueles que agora estão no Inferno, teriam sido Santos do Paraíso, se tivessem perseverado nos obséquios a Maria, uma vez escolhidos e principiados!”.5

Meu irmão, quando nos sentirmos culpados perante a justiça divina e já como que, condenados ao Inferno, por causa dos nossos pecados, não nos entreguemos à desesperação; recorramos a Maria, refugiemo-nos debaixo de seu manto, e Ela nos salvará. Tomemos a resolução de mudarmos de vida; tenhamos boa vontade e grande confiança no patrocínio de Maria e seremos salvos, porquanto, Ela é uma Advogada poderosa e uma Advogada piedosa… Quando a divina Mãe apareceu um dia a Santa Brígida e lhe falou de sua misericórdia para com os pecadores, disse: ‘É para lastimar, e sê-lo-á eternamente, aquele que, podendo em vida recomendar-se a Mim, que Sou tão benigna, para sua desgraça não recorre a Mim e se condena’. – Grande Deus! Se nos condenássemos, qual não seria a nossa pena no Inferno, ao pensar que nos podíamos salvar tão facilmente, recorrendo a Maria, mas que não o fizemos e em toda a eternidade não o poderemos mais fazer? Para que não nos aconteça tamanha desgraça, avivemos hoje a nossa devoção e coloquemo-nos novamente debaixo do patrocínio desta grande Advogada”.6

Oh! Que belo Sinal de Predestinação têm os servos de Maria! A Santa Igreja aplica a esta Bem-aventurada Mãe as palavras da Sabedoria divina e lhe faz dizer: In omnibus requiem quaesivi et in haereditate Domini morabor7 ​– Em toda parte busquei repouso e morarei na herança do Senhor”. A Santíssima Virgem, pelo amor que tem para com os homens, procura fazer que em todos reine a sua devoção. Muitos, ou não a recebem, ou não a conservam; porque esta devoção habita em todos aqueles que são a herança do Senhor, isto é, que irão ao Céu louvá-lO eternamente”.8

É, pois, com razão que chamamos à Virgem a nossa esperança, esperando alcançar por sua intercessão o que não alcançaríamos só com as nossas orações. Oh, quantos soberbos, com a devoção a Maria, acharam a humildade! Quantos iracundos acharam a mansidão! Quantos cegos acharam a vista! Quantos desesperados acharam a confiança! Quantos perdidos acharam a salvação! Numa palavra, afirma Santo Antonino, que todo verdadeiro devoto de Maria pode dizer: Venerunt mihi omnia bona pariter cum illa9‘Com a devoção a Maria vieram-me, juntamente, todos os bens’.”10

Meu irmão, valhamo-nos sempre do excelente conselho que São Bernardo nos dá. Em todos os perigos de perder a graça divina, em todas as angústias, em todas as dúvidas, pensemos em Maria, e invoquemos o seu Nome, juntamente, com o Nome de Jesus, porque andam sempre juntos estes dois Nomes.11 Não se apartem nunca estes dois dulcíssimos e poderosíssimos Nomes, nem do nosso coração, nem da nossa boca. Com eles chegaremos seguros ao porto da eterna salvação. – Mas lembremo-nos que, para obter o socorro deste grande Nome de Maria, é necessário que imitemos os exemplos de suas virtudes: Et ut impetres eius orationis suffragium, non deseras conversationis exemplum”.12

Se você rezar o Rosário fielmente até a morte, eu lhe asseguro que, apesar das gravidades de seus pecados ‘alcançareis a incorruptível coroa da glória’.13 Mesmo que você esteja à beira da condenação eterna, mesmo que você já tenha um pé no Inferno, mesmo que você já tenha vendido sua alma ao Diabo, como os feiticeiros fazem ao praticar a magia negra, e mesmo que você seja um herege obstinado, como um Diabo, inevitavelmente você se converterá, consertará sua vida e JESUS salvará sua alma. Guarde bem o que eu vou dizer, se você rezar o Santo Rosário devotamente cada dia até a morte, com o propósito do conhecimento da verdade, você obterá a graça do arrependimento e o perdão de seus pecados”.14



MATER ADMIRABILIS, ORA PRO NOBIS.

"Na frase de S. André de Creta é a Santíssima Virgem penhor de perdão divino. Isto é, Deus promete garantido perdão aos pecadores, quando recorrem a Maria para que os reconcilie com o Senhor, e como garantia disso lhe dá um penhor. Este penhor é, sem dúvida, Maria Santíssima, que nos foi dada como intercessora. Por sua intercessão Deus perdoa, em vista dos merecimentos de Jesus Cristo, a todos os pecadores que a ela recorrem. Disse um anjo a S. Brígida que os santos profetas exultavam de alegria ao saber que Deus, pela humildade e pureza de Maria, havia de aplacar-se e receber à sua graça os pecadores que o haviam menosprezado.

Nenhum pecador deve temer que Maria o desatenda se recorrer à sua piedade. Não; pois ela é Mãe de Misericórdia e como tal deseja salvar os mais miseráveis. Maria é aquela arca feliz, observa Egiberto, que livra do naufrágio a todos os que nela se refugiam. No tempo do dilúvio até os animais foram salvos na arca de Noé. Debaixo do manto de Maria se salvam também os pecadores.

Certa vez viu S. Gertrudes Maria Santíssima com o manto aberto, debaixo do qual estavam refugiadas muitas feras: leões, ursos, tigres. Viu também como a Santíssima Virgem não só as não afastava, mas com grande piedade as recolhia e afagava. E com isto entendeu a Santa que, ainda que os pecadores mais perdidos, quando recorrem a Maria, não são expulsos, mas antes bem aceitos e salvos da morte eterna. Entremos, pois, nesta arca; refugiemo-nos sob o manto de Maria. Sem dúvida ela não nos repelirá, mas seguramente nos há de salvar."

Santo Afonso Maria de Ligório, Glórias de Maria, pág. 85.


_______________________

1.  “Meditações para todos os Dias e Festas do Ano, tiradas das Obras Ascéticas de Santo Afonso Maria de Ligório”, pelo Pe. Thiago Maria Cristini, CSsR, versão Portuguesa do Pe. João de Jong, CSsR, Tomo III, Cap. Maria Santíssima alcança a perseverança para seus devotos, pp. 57; Herder & Cia - Livreiros-Editores Pontifícios, Friburgo em Brisgau (Alemanha), 1922.

2.  Ob. cit., Cap. A perda da Salvação é um mal sem remédio, p. 180.

3.  Tom. 2 in 3 p., disp. 23, sect. 3.

4.  Ob. cit., Cap. Necessidade que temos da Intercessão de Maria Santíssima para nossa Salvação, pp. 205-206.

5.  Ob. cit., Cap. Prática da Devoção a Maria Santíssima, pp. 259-260.

6.  Ob. cit., Cap. Da Confiança no Patrocínio de Maria Santíssima, pp. 277-279.

7.  Eclo. 24, 11.

8.  Ob. cit., Cap. Maria Santíssima conduz os seus Servos ao Paraíso, p. 332.

9.  Sab. 7, 11.

10.  Ob. cit., Cap. Maria Santíssima é a Esperança de todos, p. 114.

11.  Invocação dos Nomes de Jesus e Maria é indulgenciada.

12.  Ob. cit., Cap. Festa do Santíssimo Nome de Maria, p. 359.

13.  1 Ped. 5, 4.

14.  São Luís Maria Grignion de Montfort, O Segredo do Rosário, Cap. Uma Rosa Vermelha – Para os Pecadores, pp. 5-6. Traduzido do Inglês por Geraldo Pinto Faria Jr., Editora da Divina Misericórdia, Belo Horizonte/MG, 1997.

Novena em Honra da Imaculada Conceição da Virgem Maria. (8º Dia)


V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Apressai-Vos, Senhor, em me socorrer.

V. Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo.

R. Assim como era no princípio, agora e sempre e por todos os séculos dos séculos. Amém.



Oferecimento1

Imaculada Virgem Mãe de Deus, Rainha dos Céus e da terra, minha terna Mãe, eu Vos ofereço e consagro esta novena, destinada a promover o Vosso culto, a celebrar as Vossas glórias e aumentar a devoção para convosco. Dignai-Vos aceitá-la, ó Mãe Virgem, e acolher todos os que recorrem a Vós, e abrasai o meu coração no amor divino, para que de hoje em diante os meus pensamentos, palavras e obras não tenham outro fim senão concorrer para Vos dar glória e a Vosso divino Filho. Assim seja.



Coroinha

em Honra da Imaculada

Conceição de Maria Santíssima2


Primeira Parte: Seja bendita a Santa e Imaculada Conceição da Beatíssima Virgem Maria. Recite-se 1 Pai Nosso, 4 Ave Marias e um Glória ao Pai.

Segunda Parte: Seja bendita… Recite-se 1 Pai Nosso, 4 Ave Marias e um Glória ao Pai.

Terceira Parte: Seja bendita… Recite-se 1 Pai Nosso, 4 Ave Marias e um Glória ao Pai.



8º Dia


Preparação para a

Festa da Imaculada Conceição3

(2º Dia do Tríduo)



1º Ponto


O Pecado venial torna-nos disformes

aos olhos de Maria Santíssima.


Considerações: Para agradar à Santíssima Virgem e obter Dela favores assinalados é preciso, antes de mais nada, esforçarmo-nos por viver numa grande pureza de consciência. Fortifiquemo-nos, pois, na resolução de evitar o Pecado Venial, considerando quanto de odioso ele encerra para Maria… É certo que cada pecado venial imprime na nossa alma uma mancha que a torna mais ou menos disforme aos olhos da Mãe de Deus, e que deve desagradar-lhe tanto mais quanto que obscurecemos assim uma beleza que é preço do Sangue do seu Divino Filho, porque foi pela aplicação que dele nos foi feita no Santo Batismo que as nossas almas se lavaram da mancha do pecado como nos observa o Apóstolo São João: “Lavou-nos dos nossos pecados no seu Sangue”.4

Aplicações: Nesta primeira consideração, que poderoso motivo não encontraremos para detestar o pecado venial e, sobretudo, o seu hábito, que tão facilmente se contrai? Como, com efeito, ousaria blasonar-se de obter de Maria graças extraordinárias, aquele cuja alma, desfigurada por muitas manchas, oferecesse aos olhos da mais pura das virgens um espetáculo repelente? – Examinemo-nos bem. Acharemos talvez que foi o afeto a certas faltas veniais que tornou menos eficazes as nossas instâncias à Virgem Maria.

Afetos: Ponhamo-nos em espírito aos pés da nossa Mãe querida, renunciemos com grande coragem e boa vontade a todo e qualquer afeto menos ordenado.

Propósito: Velemos hoje sobre nós mesmos, com cuidado particular, a fim de passarmos, ao menos este dia, sem pecado.



2º Ponto


O Pecado Venial torna-nos,

em certo modo,

desumanos para com Maria.


Considerações: Esta afirmação que, à primeira vista, parece exagerada, não o é na realidade. Uma reflexão, somente, nos convencerá disso: todos os pecados, quaisquer que sejam, contribuíram para fazer sofrer Jesus no dia da Paixão. Por conseguinte, o cristão que comete o pecado venial está na disposição de acrescentar, de propósito deliberado ou por culpável negligência, alguma coisa às dores do Filho querido de Maria, e fere esta nos seus mais ternos afetos! Na verdade, não se quereria crucificar de novo a Jesus Cristo, segundo a expressão de São Paulo, com o pecado mortal, mas não se quer ter o incômodo de evitar os pecados veniais e, assim, acrescentar novas chagas às mortais com que está preso à Cruz.

Aplicações: Que temos nós feito então, tantas vezes, ao cometer, de propósito deliberado, o pecado venial?! Temos dito, não por palavras, mas por atos: “Ó maria, amo-Vos e amo de todo o meu coração o Vosso Divino Filho; por nada no mundo quereria causar-lhe ferida mortal, mas não estou disposto a deixar de causar-lhe feridas mais leves!” Será isto recorrer ao Coração de Maria para obter favores? Não é antes afligi-lA naquele que é a vida da sua vida?

Afetos: Atos de confusão, de arrependimento, de recurso inesgotável ao Coração de Maria, Refúgio dos Pecadores.

Propósitos: Combater e fazer desaparecer, pela prática fiel do exame particular, as faltas veniais nas quais se pode recair com maior frequência.



3º Ponto

O Pecado Venial

afasta-nos de Maria.


Considerações: Todo o filho bem-nascido sofre impacientemente por estar separado de sua mãe. Todo o tempo em que o está lhe parece sempre demasiado longo e busca abreviá-lo por todos os meios ao seu alcance, isto é, o que vemos na vida de Santo Estanislau Kostka, S.J., e na de muitos outros Santos que, enamorados, com verdadeiro amor filial, de Maria, suspiravam pela morte para mais cedo gozarem da vista de sua Mãe e da felicidade de lhe estarem inseparavelmente unidos no Céu.

Aplicações: Mas que temos feito nós, ao cometer sem o mínimo disfarce o pecado venial e aumentando, assim, as nossas dívidas? Temos prolongado cientemente o tempo que havemos de estar no Purgatório, afastados da nossa Mãe, talvez por longos anos; e, no entanto, talvez sejamos capazes de julgar que temos uma afeição verdadeiramente filial para com Maria!… que podemos contar com os seus favores de predileção!… Como é que este pensamento não nos tem impressionado e mantido mais fortemente no caminho do dever?

Colóquio: Com Santo Estanislau Kostka, que nos obtenha alguma parcela da sua tão terna e tão sólida devoção à Bem-aventurada Virgem Maria, que tão assinaladas graças lhe valeu.

Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.



Oração5

Virgem Imaculada, que agradastes ao Senhor e fostes sua Mãe: por piedade volvei benigna os olhos para nós, os infelizes, que imploramos o vosso poderoso patrocínio.

A Serpente maligna, contra quem foi lançada a primeira maldição, teima em combater e tentar os míseros filhos de Eva.

Eia, bendita Mãe, nossa Rainha e Advogada, que desde o primeiro instante da vossa Conceição esmagastes a cabeça do Inimigo! Acolhei as súplicas que, unidos a Vós num só coração, vos pedimos que apresenteis diante do Trono do Altíssimo, para que nunca nos deixemos cair nas emboscadas que se nos preparam; para que todos nós cheguemos ao porto da salvação; e, no meio de tantos perigos, a Igreja e a Sociedade, cantem de novo o hino do resgate, da vitória e da paz. Assim seja.


V. Toda sois formosa, ó Maria.

R. Toda sois formosa, ó Maria.

V. E mácula original não há em Vós.

R. E mácula original não há em Vós.

V. Vós sois a glória de Jerusalém.

R. Vós sois a alegria de Israel.

V. Vós sois a honra do nosso povo.

R. Vós sois a Advogada dos pecadores.

V. Ó Maria.

R. Ó Maria.

V. Virgem prudentíssima.

R. Mãe clementíssima.


V. Rogai por nós.

R. Intercedei por nós a Nosso Senhor Jesus Cristo.


V. Vós fostes, ó Virgem, imaculada em vossa Conceição.

R. Rogai por nós ao Pai, cujo Filho destes à luz.


Oremos: Ó Deus, que pela Imaculada Conceição da Virgem Maria, preparastes a vosso Filho digna morada: nós vos rogamos que, pois a preservastes de toda a mancha, pela previsão da morte de seu mesmo Filho, nos concedais por sua intercessão, que também puros até Vós cheguemos. Pelo mesmo Cristo, Senhor nosso.

R. Amém.




Ladainha de Nossa Senhora

(Atualizada)


Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, tende piedade de nós.

Senhor, tende piedade de nós.


Jesus Cristo, ouvi-nos.

Jesus Cristo, atendei-nos.


Pai celeste que sois Deus, tende piedade de nós.

Filho, Redentor do mundo, que sois Deus,

Espírito Santo, que sois Deus,

Santíssima Trindade, que sois um só Deus.


Santa Maria, rogai por nós.

Santa Mãe de Deus,

Santa Virgem das Virgens,

Mãe de Jesus Cristo,

Mãe da Igreja,*6

Mãe de misericórdia,*7

Mãe da divina graça,

Mãe da esperança,*

Mãe puríssima,

Mãe castíssima,

Mãe imaculada,

Mãe intacta,

Mãe amável,

Mãe admirável,

Mãe do bom conselho,

Mãe do Criador,

Mãe do Salvador,

Virgem prudentíssima,

Virgem venerável,

Virgem louvável,

Virgem poderosa,

Virgem clemente,

Virgem fiel,

Espelho de justiça,

Sede de sabedoria,

Causa da nossa alegria,

Vaso espiritual,

Vaso honorífico,

Vaso insigne de devoção,

Rosa mística,

Torre de Davi,

Torre de marfim,

Casa de ouro,

Arca da aliança,

Porta do céu,

Estrela da manhã,

Saúde dos enfermos,

Refúgio dos pecadores,

Conforto dos migrantes,*

Consoladora dos aflitos,

Auxílio dos cristãos,

Rainha dos anjos,

Rainha dos patriarcas,

Rainha dos profetas,

Rainha dos apóstolos,

Rainha dos mártires,

Rainha dos confessores,

Rainha das virgens,

Rainha de todos os santos,

Rainha concebida sem pecado original,

Rainha elevada ao céu,

Rainha do sacratíssimo rosário,

Rainha da família,*8

Rainha da paz,


Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.


V. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.


Oremos: Senhor Deus, nós Vos suplicamos que concedais aos vossos servos perpétua saúde de alma e de corpo; e que, pela gloriosa intercessão da Bem-aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.


________________

1.  Manual da Pia União das Filhas de Maria, Cap. V, Devocionário, Art. I, p. 474. Traduzido do Italiano pelo Côn. Dr. Ananias Correa do Amaral, 11ª Edição, Editora Livraria Católica Portuense Ltda, Porto, 1926.

2.  “Manual das Missões e Devocionário Popular”, por um Presbítero da Congregação da Missão, Orações e Meditações, p. 382. 1908.

3.  Meditações Práticas para Todos os Dias do Ano, pelo Pe. Bruno Vercruysse, S.J., Tomo II, 6 de Dezembro, pp. 421-423. 3ª Edição, Livraria Apostolado da Imprensa, Porto, 1950.

4.  Apoc. 1, 5.

5.  Manual dos Congregados Marianos (Edição Oficial), 4ª Parte – Devocionário Mariano, pp. 235-237. Editora Vozes, Petrópolis/RJ, 1938.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...