Blog Católico, para os Católicos

BLOG CATÓLICO, PARA OS CATÓLICOS.

"Uma vez que, como todos os fiéis, são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, os leigos têm a OBRIGAÇÃO e o DIREITO, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente através deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo. Nas comunidades eclesiais, a ação deles é tão necessária que, sem ela, o apostolado dos pastores não pode, o mais das vezes, obter seu pleno efeito" (S.S. o Papa Pio XII, Discurso de 20 de fevereiro de 1946: citado por João Paulo II, CL 9; cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 900).

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Oração Indulgenciada a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Oração Indulgenciada

ao Santo Nome de Maria. 1


Ó Mãe do Perpétuo Socorro, concedei-me a graça de sempre invocar o vosso Nome Onipotente; porque o vosso Nome é o nosso socorro durante a vida e a nossa salvação no momento da morte. Ó Maria puríssima, ó Maria dulcíssima, fazei que o vosso Nome seja de agora em diante a respiração da minha vida. Soberana minha, não tardeis a me socorrer cada vez que Vos invocar; porque em todas as tentações que vierem me assaltar, em todas as necessidades que experimentar, não cessarei jamais de Vos invocar, repetindo sempre: Maria! Maria! Que força, que doçura, que confiança, que ternura faz nascer na minha alma o vosso Nome, só o vosso pensamento! Dou graças ao Senhor que, para o meu bem, Vos deu um Nome tão doce, amável e poderoso. Mas não me contentarei com o pronunciar o vosso Nome, quero pronunciá-lo com amor, quero que o amor me recorde sem cessar que devo Vos invocar, ó Mãe do Perpétuo Socorro! 2 Assim seja.


Fonte: Rev. Pe. Saint-Omer, CssR, As Mais Belas Orações de Santo Afonso de Ligório”, p. 635. 1921.


_________________

1.  Por um rescrito de 17 de Maio de 1866, é concedida a todos os fiéis que rezarem esta oração uma indulgência de cem dias, que se pode ganhar uma vez por dia, contanto que seja rezada com devoção e coração contrito.

2.  VII. c. 10.


Novena em Honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. (7º Dia)


Ato de Contrição


Meu Senhor Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador, Pai e Redentor meu! Eis a vossos pés um pobre pecador, que muito tem entristecido o vosso amante Coração. Ai amável Jesus! Como pude eu ofender-Vos e encher de amargura esse Coração que tanto me ama e que nada omitiu para conseguir que O amasse? Quão grande foi a minha ingratidão! Mas, ó Salvador meu! Consolai-Vos, consolai-Vos, dir-Vos-ei, porque agora estou arrependido: tanta dor sinto pelos desgostos que Vos tenho causado, que quereria morrer de contrição. Oh! Meu Jesus, quem me dera chorar o pecado, como Vós na vida mortal o soubestes chorar! Pesa-me na alma de Vos ter ofendido, Eterno Pai, em satisfação de minhas culpas, Vos ofereço a pena e a dor que por elas sentiu o vosso divino Filho.

Vós, oh amante Jesus! Dai-me tal horror ao pecado que para o futuro me faça evitar até as mais leves faltas. Longe de meu coração os afetos terrenos: já quero só amar ao meu bondoso Redentor. Oh! Meu Jesus, ajudai-me, fortalecei-me e perdoai-me.

Minha Mãe do Perpétuo Socorro, intercedei por mim e obtende-me o perdão dos meus pecados. Amém.

Oração Preparatória

para todos os dias

Oh! Santíssima Virgem Maria, que, para inspirar-nos uma ilimitada confiança, quisestes tomar o dulcíssimo nome de Mãe do Perpétuo Socorro, eu Vos suplico me socorrais em todo o tempo e lugar; em minhas tentações, nas minhas recaídas, dificuldades, e misérias e mais que tudo à hora da morte. Concedei-me, ó amantíssima Mãe, o pensamento e o costume de recorrer sempre a Vós; porque estou certo de que sendo eu fiel em invocar-Vos, Vós mais o sereis em socorrer-me. Obtende-me pois, esta que é a maior das graças, recorrer a Vós sem cessar e sempre com confiança de filho, a fim de que, em virtude da minha constante súplica mereça vosso perpétuo socorro e a perseverança final.

Dai-me, ó terna e cuidadosa Mãe, a vossa bênção, e rogai por mim agora e na hora de minha morte. Assim seja.


Sétimo Dia

Consideração: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro dispensa a seus devotos a constância de servi-lA.

A perseverança! Problema sublime, questão capital da vida, tormento perpétuo dos que desejam salvar-se. Não tendes dito tremendo, vendo-vos cercado de tantos perigos, e principalmente ao ver caírem no pecado almas que pareciam confirmados no bem e enfurecer-se paixões violentas não tendes dito – “ai, salvarei-me eu? Espero que minhas culpas me sejam perdoadas, mas perseverarei até a morte na virtude? Qual será minha sentença no dia do Juízo Final? Serei contado no número dos predestinados? Qual a sorte que me espera na eternidade?” Reflexões aterradoras, perguntas, cuja incerteza enche de ansiedade o coração. Santa Teresa escrevendo sobre esta matéria não compreendia como a pena não lhe caía da mão. São Paulo, depois de ter pregado aos outros homens, temia ser do número dos réprobos; São Jerônimo respondia no suposto som de trombeta ao Juízo Final com gritos de espanto. Como, pois, sair desta dúvida tão aflitiva? Como encontrar garantias de tranquilidade? Um grande Santo no-lo diz: De que serve ventilar tais questões agitadas pelos sábios a cerca da tua salvação ou condenação? Se somos verdadeiramente filhos de Maria, seremos com certeza do número dos escolhidos: é esta a doutrina de todos os Doutores da Igreja. É impossível condenar-se quem desfruta do poderosíssimo socorro de Maria.

Sentença consoladora que nos deve encher de confiança e devoção. Mas isto entende-se sob condição de viver fora do pecado ou pelos menos de desejar sair deles, porque se alguém pecasse na esperança de que a Santíssima Virgem o há de salvar, por culpa sua se tornaria indigno e incapaz da sua proteção. É, portanto, certo que, se sou vosso fiel servo infalivelmente me hei de salvar. Servir-Vos-ei, pois, amando-Vos e invocando-Vos constantemente.

Mas ainda assim, alma cristã, não vivas tranquila no que respeita à tua perseverança: deves ainda recear. Sem dúvida Maria Santíssima te salvará se a invocares, mas serás sempre fiel e constante no seu serviço? Não deixarás um só dia de ser-lhe devota? É tão grande a volubilidade do nosso coração, que deixa para amanhã o que poderia hoje abraçar. Por ventura, todos os devotos de Maria perseveraram em servi-lA desde o princípio? Para esta grande miséria chamada inconstância encontramos ainda o remédio na Mãe do Perpétuo Socorro. É Ela quem pode ajudar-nos a perseverar no seu serviço. Se todas as graças passam pelas mãos de Maria, por que não há de passar também a especialíssima graça de invocá-lA continuamente? O mesmo nome de Perpétuo Socorro não é já garantia segura de que nos socorrerá perpetuamente? E se nos socorre perpetuamente, como poderemos fatigar-nos no seu amor e esquecer-nos d’Ela? Se uma mãe segundo a natureza soubesse que um seu filho não podia ser feliz sem desfrutar dos desvelos da mãe, que não faria para o conservar a seu lado? Pois bem, a nossa augusta Rainha sabe que não há para nós felicidade, para seus filhos muito amados, sem a nossa fidelidade no seu serviço tão intimamente unido ao culto de Deus e por isso, proporciona a seus devotos o seu maternal socorro abundante e perpétuo.

Quando uma alma, que foi sua devota, quer abandoná-lA, essa terna Mãe conserva-se, para assim dizer, a entrada do seu coração e chama e torna até que Lhe abra a porta, isto é, até que a infiel serva torna ao seu primeiro fervor. Temos, pois, um meio infalível de assegurar-nos a perseverança na devoção a Maria; basta pedir-Lhe a graça de dirigir-Lhe sempre nossas súplicas; basta pedir-Lhe hoje a graça de amanhã e todos os dias podermos suplicar-Lhe o que necessitarmos.

Resumindo. Alma devota de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, grava na memória esta máxima do grande Doutor da Igreja, Santo Afonso Maria de Ligório: “Estou certo de que me hei de salvar, se sinceramente invocar a Maria; estou certo de que o farei se Lhe pedir a graça de o fazer sempre e esta petição fá-la-ei constantemente sem jamais cansar-me de a repetir”. Terminemos, pois, dizendo com São Bernardo: “Ó homem, quem quer que tu sejas, não deixarás de conhecer que nesta vida antes vais flutuando entre perigos e tempestades do que caminhando sobre a terra; se não queres ficar submergido não retires os olhos desta Estrela Maria. Olha para Ela frequentes vezes; nos perigos de pecado, nas angústias da tentação, nas dúvidas relativas ao que desejares resolver lembra-te de que Maria pode ajudar-te, apressa-te a chamá-lA em teu auxílio e socorrer-te-á. Jamais se afaste de teu coração o seu nome poderoso que te inspirará confiança, nem dos lábios para que não cesses de invocá-lA. Segue a Maria e não te transviarás do caminho da salvação; encomenda-te a Ela e não desfalecerá tua confiança; se Ela te servir de apoio, não cairás! Se te proteger, não te perderás; se a tiveres por guia, chegarás facilmente ao salvamento; finalmente, se Maria tomar a tua defesa, infalivelmente hás de chegar à Bem-aventurança. Faze-o assim e viverás. Amém”.

Pedido: Medite-se e peça-se aquilo que mais se deseja alcançar da valiosa proteção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Gozos


Vendo que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


Virgem Imaculada

Vendo que mal nos vai

Vinde sereis louvada

Por filhos de bom Pai.


Socorro permanente

Se sois, querida Mãe,

Ouvi-nos Mãe clemente,

Os filhos consolai.


A fronte inclino e choro,

Remorso na alma vai

Aos vossos pés imploro

Perdão, Virgem, m’o alcançai.


Livrai-nos da tibieza,

Desse fervor nos dai

Que eleva com presteza

Ao Céu donde ele sai.


De padecer cansado

Neste vale, onde vai

Vos pede um desterrado,

Seu peito consolai.


Se a minha fé declina

E na tormenta vai

Estrela matutina

Vinde m’a alentai.


Se vosso fiel amante

Tremendo vês que vai

Nas ondas vacilante

Seus passos segurai.


Vós, Virgem, da fraqueza

Meu peito me livrai,

Alento e fortaleza

Vós vinde e me inspirai.


Na luta derradeira

Perto de mim estás

Clemente mui fagueira

Amante como Mãe.


Lá na prisão do fogo

Virgem me visitai,

Tira-me de lá logo

Convosco me levai.


Que cante em vida e morte

Vós, Virgem, me inspirai,

Para delícia e sorte,

Vossos louvores, Mãe.


Vinde, que a Vós recorro

Virgem bendita e Mãe,

Vinde no seu socorro,

Vossos filhos amparai.


N.B. Esta quadra deve repetir-se no fim de cada uma das precedentes.


Oração Jaculatória

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, dispensai-me o vosso auxílio Onipotente e fazei que instantemente vo-lo peça.

Obséquio

Não passar nenhum dia sem recitar três Ave Marias, pela manhã cedo e ao deitar, a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, para conseguir a graça de A invocar no dia seguinte.

Oração

Ó minha Mãe do Perpétuo Socorro, eu coloco em vossas mãos a minha salvação eterna; nelas deposito a minha pobre alma; confio-Vos a perseverança minha, sede minha Advogada pois sou um infeliz pecador. Tomai-me sob a vossa proteção que é quanto me basta. Protegido de Vós nada tenho a temer. Não temo por meus pecados, porque Vós sabereis reparar o mal que me causaram. Não temo o Demônio, porque sois mais forte do que todo o Inferno. Não temo nem mesmo ao Juiz Supremo, porque só uma palavra vossa é o suficiente para aplacar a sua justa indignação. Não: nada temo. Ai, ainda assim, minha Mãe, um receio me assalta, esquecer-Vos e deixar um dia de Vos implorar socorro e nesse dia perder-me por toda a eternidade.

Ó minha terna Mãe, obtende-me a graça de encomendar-me sempre a Vós e, se vedes que algum dia hei de vir a abandonar-Vos, fazei que hoje morra a vossos pés antes que o mundo seja testemunha de tão grande ingratidão. Mas não, ó Maria, eu não Vos esquecerei, antes seque minha destra e se emudeça minha língua, do que um dia deixar de ir cantar as vossas misericórdias pelos séculos dos séculos. Amém.

Exemplo

Em certa cidade da Inglaterra um homem muito dado às bebidas, chegava todos os dias à casa em estado de embriaguez. Um dia a sua infeliz esposa, cansada já de sofrer as impertinências do marido, lamentou sua sorte diante de um devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a qual movido a compaixão, deu uma medalha da Virgem à afligida esposa, aconselhando-a a que todos os dias acendesse uma vela em honra de tão querida Mãe.

Prometeu a mulher de o fazer e começou a rezar o Santo Rosário diante da milagrosa medalha.

Naquele dia o marido regressou à casa a hora bastante avançada, como costumava, mas não vítima da embriaguez.

Passado algum tempo a esposa cheia de alegria contava ao seu piedoso conselheiro, quando este lhe perguntava pelo marido, o seguinte: “Desde que comecei a honrar a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, está corrigido, somente uma vez voltou a sucumbir ao antigo vício e isto num dia em que eu me esqueci de cumprir a promessa feita à Mãe de Deus”. Assim premeia a Virgem a seus devotos.

Amada, louvada, invocada, bendita sejais eternamente, Virgem do Perpétuo Socorro, esperança minha, meu amor, refúgio meu e minha vida. Amém.


______________________

Fonte: Manual do Devoto de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por um Padre Redentorista, pp. 420-426. 4ª Edição, Estabelecimentos Benziger & Co., S.A., Editores Tipográficos da Santa Sé Apostólica, Einsiedeln – Suíça, 1899.


Redes Sociais

Continue Acessando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...